O Segundo Anjo - Crônicas de Antuerpéria Parte 4 Chapter 17 por Mel Kiryu



Parte 4 Chapter 17 O segredo do Mestre Alquimista

Os livros se moviam sozinhos no ar.
Era como se dançassem e soubessem extremamente onde parar, tal qual uma coreografia sincronizada um a um se encaixou numa brecha da estante feita em cerejeira.
As letras douradas brilharam intensamente alinhadas nas lombadas lado-a-lado, formadas em sentido horizontal:
                  Exaltatio V' Essentie*

O Segundo Anjo - Crõnicas de Antuerpéria Parte 4 Chapter 16 por Mel Kiryu

 

Parte 4 Chapter 16 A dor lancinante, a quase morte

Um pedaço de fortaleza invicta.
A parte mais alta das ruínas de Ankh.
Quando Shou tornou a abrir os olhos depois de horas desacordado e ainda sim mergulhado em sofrimento, não procurou entender que lugar era aquele.
Veio-lhe vagamente a recordação da primeira vez que abriu seus olhos, quando surgiu no quintal de Etzel e seu corpo foi-lhe dado pelos hibiscos-de-fogo.
Nessa noite em que renascera na Aldeia de Hanja, não sabia absolutamente nada sobre o mundo que se descortinava diante de seu olhar.
Não conhecia nada sobre dor.

O Segundo Anjo - Crônicas de Antuerpéria Parte 4 Chapter 15 por Mel Kiryu

 

Parte 4 Chapter 15 Verdades do corpo, verdades da alma

           Na manhã seguinte, o selo sobre seu algorab feito pelo arcanjo, começava a esmorecer.
                    Pouco-a-pouco... Não tão lentamente quanto desejava.
       Jang sabia disso porque novamente a temperatura de seu corpo se elevava e uma sensação  incômoda se propagava sob signo atrás de seu ombro.
        Despertou sozinho, tendo um feixe de claridade entrando por uma fissura na gruta, a luz da manhã refletia em seu rosto, banhando seus olhos verdes que agora encaravam o teto daquela formação calcária.
       Ao passar pela fenda estreita, encontrou o mesmo campo aberto do dia anterior.
           Mas, não viu de imediato o Arcanjo Elein.

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 92 por Mel Kiryu

 
Capítulo 92

Onde estava se metendo quando se apaixonara por Jiang?
Eram para serem melhores amigos, nada mais.
Tudo que Luciel conseguia articular enquanto mirava-se no rosto dele tão pertinho do seu, é que decididamente estava perdido.
Porque era impossível dizer não ao sentimento que ditava o ritmo desordenado às batidas de seu coração.

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 91 por Mel Kiryu

 

Capítulo 91

            Encarou as roupas de Jiang dobradas sobre a cama.
      Luciel já tinha se despido do colete, desfeito o nó da gravata e desabotoava a camisa de manga longa social. Como não tinha levado uma muda de roupa, eram as peças de seu namorado que iria vestir no improviso.
           Estava sozinho no quarto.
         Puxou a gravata que deslizou suave pelo colarinho da blusa, pensando em Jiang que esperava por ele na cozinha... Mas, não apenas nele.
        Também pensava no estranho presente de aniversário oferecido por seu pai e sua mãe, no envolvimento de Alicia com Lalo. Tinha cogitado ligar para sua irmã, avisar sua mãe... Mas, de tanto pensar acabou não fazendo nada.

THE SCARLET CURSE - CAPÍTULO 11 por Golden Moon



Lágrimas de ferro

I
Nossa viagem continuou tranquilamente. As únicas coisas que me incomodavam eram: mosquitos e fome. Os primeiros pareciam me ver como um alvo em potencial e frequentemente me importunavam com seu barulho estridente e irritante. Ayrés divertia-se ao ver minha batalha contra eles e eu respirava fundo tentando parecer impassível, mas explodia por dentro. Unido a esse stress, estava a fome. Eu havia me alimentado com uma ou duas frutas antes de sair da casa, mas acabei devorando as frutas como um animal faminto (deselegantemente para explicar melhor), que eu mal senti o gosto do alimento e agora a fome me aterrava de tal forma que eu mal conseguia pensar em qualquer coisa. Ayrés me explicou que era melhor nos afastarmos das localidades primeiro, antes de parar para fazer uma refeição… E seguíamos por um caminho diferente do que o habitual para as terras dos Cassilas. Aparentemente Ayrés sabia um atalho… Por não saber os caminhos e estar cansado e faminto demais para dar palpites, confiei em seu senso de direção. 
Uma grande árvores frondosa destacava-se à nossa frente e Ayrés olhou para mim, sem mais divertir-se com meu drama de fome e mosquitos. 

Hoshi wa shitte iru 35 por Rima-san e Mel Kiryu

 
Capítulo 35 por Mel Kiryu
Cada forma de olhar muda toda uma perspectiva

Cheguei em casa com fome de algo salgado, isso era quase meia noite.
Passei pela sala deitada em escuridão e imaginei que meus pais já estivessem na cama, indo para a cozinha percebi a luz acesa e Vogel pulou com suas patas dianteiras em meu peito, quase me derrubando.
Daí me perguntei porque Vogel estava na cozinha, nessas horas normalmente ele estaria em meu quarto e em seguida dei de cara com Hans sentado junto à mesa de tampo de vidro, o cotovelo apoiado ali, seus olhos escuros acinzentados em mim.

Hoshi wa shitte iru 34 por Rima-san e Mel Kiryu


Capitulo 34 por Rima-san

Divergências familiares 

         O tempo com Lang em meu quarto foi tão pouco que quase perdi o apetite de comer o resto dos daifukus, estávamos destinados a ter encontros breves mas intensos, ainda assim isso não era o suficiente para mim, eu ansiava por mais, mas ai vinha a angustia de ter que viver esse amor em segredo.
          Adormeci com o cheiro de Lang entranhado na minha pele e acordei com a sensação de o ter ao meu lado, bem na verdade era isso que eu desejava, tomei um banho e cheguei na cozinha Gina estava a acabar de preparar o pequeno almoço para todos, decidi dar uma ajuda.
          Sentado á mesa sentia como se todos quisessem dizer-me alguma desde o meu pai até Yoshiaki que me tinha visto na noite anterior com Lang, mas quem pediu para falar comigo foi minha mãe.
_Mãe o que precisa falar comigo?_ Eu perguntei pegando na loiça usada para lavar.