4.3.12

Deviant Tales Ato 15 (por Mel Kiryu)


Ato 15
As palavras socadas na garganta

              Kimiko Tetsuya costumava ter uma semana ocupada.
        Trabalhava na parte da manhã como secretária de uma Agência de Publicidade e em meados da tarde fazia pós graduação em marketing. De forma que chegava em casa por volta das sete horas da noite.
Entrou no apartamento arrancando os sapatos dos pés, jogando a bolsa no sofá, estava cheia de fome e bem que vinha um cheirinho bom da cozinha, desistiu de tomar um banho antes de tudo e foi até a cozinha também louca de vontade de rever Sayuri.
__Oi, Say! Ai, que dia cheio... Como foi seu primeiro dia na Universidade, hein?
__Legal...__ Sayuri respondeu de costas, verificando se o arroz estava pronto.
__Ui... Que falta de entusiasmo, Say! Se bem que o primeiro dia é meio sacal mesmo...
       Desligou o fogo da boca do fogão onde estava o arroz, não tinha vontade de conversar, tinha feito um imenso esforço para se conter, para se acalmar. Tinha até pensado em ir a polícia denunciar Sasa, mas tinha receio que a situação acabasse se voltando contra ela mesmo. Então resolveu apenas escutar Kimiko tagarelar alegremente...


__E você, Kimi?...
__Ah... Aquela chatice... Tive que ficar ligando para a casa do fotógrafo da agência e sabe o que ele disse?... Que era para ninguém o esperar tão cedo, que alguém que estava com ele precisava de atenção!... Como eu detesto Masahiko Raiden... Coitada da namorada dele!
        E fez uma careta boba encostando na geladeira, próxima a Sayuri.
__Sabe de uma coisa, Say?... Eu não via a hora de voltar para casa para te ver.
       Notou que Sayuri estava bem séria, talvez ela só estivesse cansada... Por isso a abraçou, estalando um beijo carinhoso no rosto.
__Nossa, Say... Você está tão tensa...
         Deslizou seus lábios no rosto de Sayuri tornando o abraço mais íntimo, estranhou o modo como ela tentou se afastar algo transtornada... Mas, Kimiko não deixou Say se livrar do abraço.
__Que foi, Say?...
__Eu não sou sua namorada! Nem uma substituta para Sasa-chan!...
__Ah, Say... Você entendeu errado, meu amor... A Sasa é que era uma substituta para você...


          Olhou-a completamente surpreendida pelas palavras de Kimi, havia também um fogo no olhar de Kimiko que era perturbador.
__ Durante todo esse tempo, você nunca me saiu do pensamento, Say... Acho que sempre fui apaixonada por você.
__Nós somos primas, Kimi... Você devia ficar com Sasa!...
        E discordando totalmente de Sayuri, deslizou por tras suas mãos para dentro da calça de moletinho que ela vestia... Provocou um beijo lento e tímido por parte de Sayuri, enquanto suas mãos entravam na calcinha e seus dedos apertavam a carne macia e firme das nádegas.
__Vamos comer, Say?... Tô cheia de fome...
      Estalou um beijinho serelepe na boca de Sayuri, que parecia ainda desnorteada, sem desfazer a seriedade na face.
        Sentaram uma de frente para outra na pequena mesa que apenas comportava mesmo dois ocupantes, havia se passado alguns minutos que comiam em silêncio, até que Kimiko ainda cismada com a carranca tristonha de Sayuri levou seu pé descalço sobre as coxas levemente arqueadas dela.
__Kimi... Que isso?... __Sayuri perguntou crispando o rosto em desagrado.
__Say... Lembra quando dormíamos juntas quando éramos miúdas?
__Lembro...
__Eu nunca esqueci a primeira vez que eu te masturbei...
       E dizendo estas palavras com a pontinha do dedo na boca, forçou um pouco o pé encaixando-o entre as pernas de Sayuri...
__Fico muito excitada toda vez que lembro que uma garotinha de sete anos gozou na minha mão...
          Sayuri se segurou na cadeira sentindo o pé de Kimiko acariciar o meio de suas pernas...
       Na verdade, queria muito contar o que havia ocorrido no banheiro feminino da Faculdade, mas se sentia tão mal em apenas pensar que não conseguia. Por isso, enquanto sentia uma fagulha de excitação causada pela carícia íntima seus olhos se precipitavam razos d'água, quando romper em lágrimas parecia ser inevitável, arrastou bruscamente a cadeira que ocupava no piso e se trancou no banheiro, abriu o chuveiro apenas para o som da água vertendo abafar o som do seu choro...

2 comentários:

  1. Nossa a Kimiko não faz mesmo ideia do que se passou também como haveria de saber... e Sayuri consegue disfarçar... Mas não sei se por muito tempo...

    Bjito

    ResponderExcluir
  2. Droga...
    Mais uma vez minha net caiu e eu não pude falar com você... -.-"

    A Sayuri tem vergonha das circunstancias, para ela é difícil lidar com os fatos.

    beijos =^,^=

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...