31.1.15

Faceless Angel Equívoco 8 por Mel Kiryu


Equívoco 8
Uma ideia errada sobre confrontar o próprio medo

        Engolindo um bolo de saliva acumulado em sua boca, fechou o baú devagar como se quisesse ganhar tempo e quando se virou se deparou com Yuri de pé ao seu lado.
     Em que momento ele se levantara da cama? Jack o fitou apenas mais sério que o habitual e Yuri riu baixo, levou uma mecha de cabelo escura para a parte de trás de sua orelha e segurou as partituras.


__Que cara séria, Jack... Parece até o Lucien, só falta rosnar para mim.
__Não sabia que o Lucien rosnava...__ Jack retrucou vago, abraçando o violão.
    E Yuri tornou a sentar, só que na beira da cama dessa vez apenas cruzando uma perna sobre a outra enquanto escolhia uma música para cantar.
__Vem aqui, Jack...__ Yuri bateu na outra pontinha da cama.__ Como você espera ler a partitura daí?
         Não tinha o que argumentar, também não queria agir de modo suspeito. Nunca rejeitara a proximidade de Yuri, era estranho suspeitar que ele pudesse ser quem procurava durante todo esse tempo e ainda não se incomodar por ele debruçar em seu ombro, abraça-lo de surpresa pelas costas como costumava.

   Agora que tinha suas suspeitas confirmadas, Jack tinha receio por estarem sozinhos e tão perto um do outro, naquele quarto branco de porta fechada.
 Talvez Yuri não se lembrasse de seu rosto, talvez tivesse uma chance real de Yuri não tê-lo reconhecido.

    As coisas pareceram melhores quando se distraiu lendo a partitura, tocando o violão. Gostava da voz de Yuri, podia ser um pouco convencido no palco, mas cantava com sentimento.
    E a voz dele parecia alavancar sua vontade de tocar violão, soava melhor do que quando tocava sozinho em casa.

         Quando deu por si, tinha esquecido o medo.
       Tocaram três músicas sem perceber que a melodia os aproximava no pequeno espaço da cama de solteiro. Aliás, quando tocava o violão Jack se soltava, se sentia liberto, aquela união do som do violão que tocava com a voz de Yuri era como uma corrente invisível que atravessava os dois.

      Ao término da terceira música, Yuri riu dizendo em voz baixa e envolvente:
__Você devia fazer parte da banda.
    Ficou lisonjeado, Jack apenas sorriu surpreso com o que tinha ouvido. Nunca ninguém havia lhe dito que era bom o suficiente para tocar numa banda.
     Mas, surpresa maior foi Yuri se inclinar, segurar a gola de sua camisa e os lábios dele se apertarem contra os seus num selinho demorado.

   O violão ainda entre os dois.
A excitação causada pela música se confundia com as sensações inesperadas do beijo.
E Yuri se afastou só um pouquinho, o suficiente para poder falar e beijar Jack de novo no mesmo segundo.

 As partituras amassadas entre os dois.
__Pensa que não reparei o modo... Que olha para mim, Jack?
   E investiu mais uma vez cobrindo a boca de Jack com a sua, com uma dose extra de ousadia que fez Jack resistir por algum motivo confuso, por Astrid que o esperava voltar. Segurou com os dedos trêmulos no ombro de Yuri e o fitou com um fulgor nítido em seu olhar castanho esverdeado.

__Eu olho do mesmo modo para todos vocês, Yuri...
   Até a voz Jack soava excitada, por menos que quisesse demonstrar.
__Que mentira...__Yuri riu macio segurando no braço do violão.__ Nem quando está com Astrid tem esse fogo no olhar... Ela o deixa de pau duro porque fica se esfregando em você, mas eu posso fazer você ficar duro apenas usando meus lábios.

      E roçando de leve seus lábios no rosto de Jack, brincou a deslizar pela tez, úmido e macio pelo queixo e ao conseguir arrebatar a boca de Jack com a sua, retirou o violão do colo dele, o único empecilho que havia entre seus corpos...
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...