22.1.15

Mel Caramelo e Chocolate Capítulo 25 por Mel Kiryu


Capítulo 25 Como se fosse a última noite de nossas vidas
                 
   Véspera da chegada de Nagoro

       Noite.
    Tinha feito sexo com Datenshi na rede de casal da sala.
    E tinha feito durar o máximo que podia, como se assim pudesse parar o tempo, atrasar as horas.
    Quando se aconchegou contra o corpo dele dentro da rede, apertou os olhos sentindo vontade de romper-se em lágrimas.
    Mas, escondeu o quanto pôde esse sentimento.

    Estendeu-se no futon no quarto dos irmãos a olhar para o teto branco e acabou adormecendo enquanto remoía em sua mente o retorno de sua avó, o fim dos dias sem a vigilância dela.
     Não soube o quanto cochilou, mas de súbito sentiu seu rosto se aquecer e um frêmito vago atiçar seus poros que dormitavam. Gemeu baixinho e involuntariamente e erguendo um pouco a cabeça num impulso, percebeu que Kanda tinha baixado seu short e estava entre suas pernas beijando seus testículos, chupando a pele a fazer um som delicioso e obsceno com os lábios.
    Sem querer o olhar dele se chocou com o seu e a mão lasciva e suave de Kanda subia e descia devagar em sua ereção enquanto nos lábios quietos dele se formava um sorriso que não era de todo safado, exalava certa doçura.
    Com determinação envolvente Kanda avançou sobre Kitsune, a boca dele se abriu úmida e ávida cobrindo a sua, a vontade que sobrevinha sobre os dois sempre era desmedida, como uma brincadeira sem limites entre duas crianças.
    Tocavam um ao outro, Kitsune não conseguia fechar seus olhos para a expressão no rosto de Kanda, tinha um fetiche incompreensível com o rosto dele, pelos olhos cor de mel, a boca dele era pequena, mas carnuda... Quase que os beijos bastavam para Kitsune chegar ao orgasmo.
    Os dedos de Kanda dentro de sua blusa fina de malha giravam em torno de um de seus mamilos que formigava enrijecido, sensação que apenas acrescentava o desejo, acrescentando-se às outras sensações erógenas que faziam  Kitsune gemer entre os beijos imorais.
    A mão de Kanda conduziu seu membro a delizar entre as nádegas dele, fitaram-se febris de excitação e Kitsune compreendeu atônito que que Kanda queria que ele o penetrasse.
   Sua face queimou como nunca, nunca tinha feito isso.
    Lembrou-se de pronto de Datenshi sentado naquele mesmo futon, Kanda montado no pênis dele subindo seu corpo sobre o dele numa lentidão tentadora, enlouquecedora de olhar.
    Quando Kanda conduziu seu pênis para dentro dele mal podia acreditar!
    Não sabia porque, mas ainda se sentia o passivo, o dominado... Ainda que dentro de Kanda fosse tão quentinho e apertado, nem dava para descrever o prazer, era tão intenso que Kitsune gozou na quarta estocada, sentia seu pênis enterrado inteiramente e gemeu com tanta vergonha que escondeu seu rosto contra o ombro de Kanda.
    Mal sabia que até Datenshi tinha ouvido seu gemido da cozinha.
    Tinha gozado, seu membro encolhia devagar dentro de Kanda que o abraçava pelos ombros e  mais uma vez se beijaram com a réstia de desejo que se dissipava gentilmente e assim que separam seus lábios, Kitsune disse olhando bem dentro dos olhos envolventes de Kanda:
__A partir de amanhã não vai ser tão fácil fazermos esse tipo de coisa...
    Havia um lamento na voz de Kitsune que não podia ser ouvido por Kanda, mas ele podia lê-lo no olhar caramelo de Kitsune, em sua face.
   Por isso, Kanda saiu de cima de Kitsune puxando suas peças de roupa para o devido lugar e sentou-se coladinho nele pegando o celular de Datenshi que estava debaixo do travesseiro.
    Kitsune olhava curioso para Kanda, ele sempre digitava tão rápido...
      Não demorou e leu no visor que ele estendeu na direção de seu olhar:
           "Sua avó não pode impedir o que existe entre nós.
            É mais forte do que ela, do que qualquer um, do que nós mesmos.
            Nem nós podemos impedir, não depende mais das nossas vontades.
            É maior do que isso."

__Mas...__ Kitsune disse logo depois que leu as palavras.__ Eu tenho medo que ela descubra sobre nós, Kanda.
    Tendo lido os lábios de Kitsune, pôs-se a digitar a resposta tendo seu semblante coberto de uma calma imutável, contudo seus dedos digitaram com um ímpeto preciso, ávido:
     
                        "O que sua avó pode fazer?
                          Você não é mais criança.
                          Se ela tentar proibir, juro que ela vai se arrepender por isso"

       A última frase digitada fez Kitsune engolir a seco... O que Kanda queria  dizer com 'se arrepender por isso'? Mas, embora seus lábios estivessem entreabertos, não teve como indagar nada, Kitsune apenas se sentia assustado por dentro.
    E de súbito, Kanda digitou rapidamente, era uma sentença pequena:

                        "Quer aprender a dizer 'eu te amo' na linguagem gestual?"
   
          Essa frase repentina desanuviou o medo que vagava em Kitsune feito névoa e respondeu aproximando mesmo sem querer seu rosto ao dele:
__Eu quero...      
    Sem desfazer o contato visual, Kanda mostrou seu manifesto gestual e moveu a cabeça numa deixa para Kitsune ser sua pantomima.
    Teve que repetir e Kitsune acompanhou, quando errava Kanda segurava de leve sua mão e fazia uma pequena pausa para recomeçarem... Não estava dando muito certo.
        Os dois riram, mas ouviu-se apenas o som da risada de Kitsune que se sentia um fracasso eminente quando se tratava de  linguagem de sinais.
    Até que segurou o rosto de Kanda, suas bocas quase se tocaram e Kitsune sussurrou:
__"Eu te amo"... Eu te amo, Kanda... É melhor desse jeito...
    Ao olhar e olhar nos olhos cor de mel de Kanda, compreendeu completamente que ele precisava se assegurar, ler o amor em seus lábios como garantia que a relação que os três andavam levando cada vez mais longe, fosse sem volta e indestrutível.
     Ou, do contrário... Kitsune é que precisava acreditar desesperadamente nisso.
     Kanda sorriu sem mostrar os dentes e se encostou afetuoso  e sereno em seu ombro.
    Datenshi apareceu na porta do quarto e trocou olhares com Kitsune.
        Ninguém queria que aquela noite terminasse.

   

12 comentários:

  1. Bom dia Mel
    O Kitsune como seme.... ainda assim parecia ser o dominado da situação.....
    O Kanda e bem obsessivo, mas se ele apoia tanto o Kitsune acho que o garoto não precisa ter medo, se a avó dele o puser fora da porta o Kanda deixa-o ficar na sua cama rsrsrsrss

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Rima! (desculpe a demora, cheguei em casa agora.)

    Pois é, menina... Não importa a posição do Kitsune no sexo, ainda é sempre o que é dominado... Mas, em algum momento ele v ai querer inverter essa situação.

    U-hum... Na cama, bem pertinho e agarradinho um no outro como se nunca mais fosse soltar :)

    ResponderExcluir
  3. sem problema :)

    u.u em algum momento.... vou ficar sentada á espera de ver isso acontecer.

    Sim sim, mas sem esquecer o Datenshi :p

    Senhor Misato2 já colocou suas fotos do brasil no face, mas não aparece em nenhuma -.-"

    ResponderExcluir
  4. É... Isso é um bocadinho mais para frente, é bom sentar mesmo. :P

    Verdade, sem esquecer do Datenshi e é melhor comprarem um futon bem maior. ^^"

    Ué...O misato 2 só está postando foto de paisagem?... Vai ver que está todo barbudo e desleixado :p

    Sobre a sua estória de Kimi o ai... Me lembrou Junjou Romantica <3
    Mas, acho que o Usagi não seria tão simpático com as garotas curiosas, rsrs... O Ren ainda foi gentil, apesar do ciúme.

    ResponderExcluir
  5. Então eu sento mesmo ^^"

    Tipo aquelas camas de 2 mentros e tal.... tipo a da minha irmã....

    Só -.-" teve no cristo redentor e numa praia muito bonita, num sei onde.... acho que ele não se desleixava tanto é vaidoso rsrsrsrsrs

    Lembrou porquê?
    O Ren consegue ser sempre gentil, até demais, me deu um gozo escrever essa parte :) e tou ansiosa para escrever o resto da viagem deles

    ResponderExcluir
  6. É, porque até o Kitsune resolver tomar atitude... E quando enfim consegue tomar atitude, ainda complica tudo... -.-"

    Eu sei que ele é vaidoso, mas sei lá...Ou de repente arrumou uma linda morena por lá :p

    Lembrei de quando o Usagi e o Misaki viajaram juntos e quando li a menção de roda gigante... Aí sim, me lembrou mais ainda :) (Roda gigante é tão legal...)

    ResponderExcluir
  7. Que moço.... apenas não dá para descomplicar ?

    Isso.... eu já não sei não....

    tipo eu fui pesquisar os principais pontos de Tóquio, e quando vi a roda gigante achei que ia combinar perfeitamente com eles, também poderei a Disneyland Tóquio, mas achei mais infantil.
    Mas realmente junjou também tem essa passagem que é bem romantica >.<

    ResponderExcluir
  8. O Kitsune?... Não, é um desastre ambulante quando tenta segurar as rédeas do próprio destino -.-"

    Também não faço ideia, mas eu sou uma beleza para pensar bobagem...

    Verdade... Disney é muito infantil (não gosto da Disney... u.u)
    Roda gigante é legal mesmo para quem está sozinho ou com amigos... Que dirá acompanhado pelo namorado! É perfeito :D

    ResponderExcluir
  9. Isso somos duas :p

    Ya, Mel vou ter de sair, vou trabalhar....
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Mel desculpa eu não ter enviado nada, naosei nem porque fiquei sem enviar. Mais decidi manda domingo. E sei que não e certo mais vou começar a conta na terceira pessoa. Desculpas mesmo.

    ResponderExcluir
  11. Tudo bem, Amaya.
    Quando decidir mandar os capítulos será muito bem vindo.
    Ficarei à espera, então. :)

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...