30.6.15

True Love Capítulo 81 por Kisu (... e a Mel quer mais Shinku x Luke ♥)


CAPÍTULO 81 - Anata No Soba De*

          Luke se distanciou da morada de Hotaru e acabou por parar na praça que ficava por perto. Sentou em um dos balanços do parquinho e ficou por lá a pensar. Não era tarde, contudo, não havia muitas pessoas nas redondezas e as crianças já deviam ter ido para casa com os pais.
       Repassava mentalmente cada cena do dia e não compreendia como era possível ter confundido Hotaru com uma garota por mais que ele realmente lembrasse uma e dessa vez, seu passado tinha voltado sem dó nem piedade para assombrá-lo.

           Quase três anos haviam se passado desde a tragédia que o perseguia como uma maldição. Tinha passado por um longo tratamento com um psiquiatra e por uma exaustiva medicação tarja preta para sair daquele início de depressão que lhe fez chegar ao ponto de trancafiar no seu mais profundo ser tudo o que lhe assustava, mas… Hotaru fizera tudo se passar por uma brincadeira de criança ao fazê-lo se lembrar tão facilmente de tudo, de cada detalhe, de cada sensação.
           Sabia que não seria fácil retornar à sua antiga relação com Hotaru. Isso estava estampado na cara do menino quando deixou a faxada do pet shop, contudo, tinha para si que a tarde de hoje não passara de um tremendo engano, nada mais, era algo a ser esquecido também caso não quisesse relembrar a cada segundo de seus pecados.
           Deitou um pouco o corpo, segurava nas correntes do balanço e fechou os olhos por um momento a respirar profundo e devagar.
         “Tenho que ir para casa…” pensou amargurado apertando as correntes antes de por fim se levantar.
Não teve pressa em andar e pegar o metrô, então tardou um pouco a chegar ao dormitório. Abriu a porta e como esperava, Shinku já estava por lá.
- Yo, Luke. Suas coisas e as do Chibi-kun estão comigo. Por onde andou até agora? - perguntou travesso quando abriram a porta do quarto, mas logo se deteve de continuar com o tom brincalhão.
Shinku se levantou e foi até Luke que continuava parado, recostado ao batente da porta.
- Ei, o que aconteceu? Você está péssimo, cara - proferiu preocupado levando a mão à face de Luke num carícia.
Luke recostou o rosto na toalha ainda úmida dependurada no ombro de Shinku com certo desânimo.
- Sério, vem cá - levou Luke a sentar na cama mais baixa da beliche e sentou logo ao lado dele. - Você não está nada bem, o que foi que houve? Pode desabafar pra mim o que quer que seja.
- Pode me mimar por alguns minutos? - interrompeu num pedido e Shinku lhe abriu um meio sorriso um pouco mais despreocupado.
           Shinku se recostou na parede após ajeitar um travesseiro às costas e deu uns tapinhas para que Luke deitasse a cabeça em seu colo e assim que o fez adentrou os dedos numa gentil carícia naqueles cabelos castanhos e deixou o amigo tomar o tempo que fosse necessário. Embora fosse o mais novo, ficava feliz quando Luke dependia de si.
- Shinku… eu lembrei de tudo - começou falando devagar. - Aliás, não é como se eu tivesse esquecido os motivos de meus pesadelos, somente os tinha deixado guardados muito bem… O que devo fazer? Eu lembrei de Mako-chan… Me sinto tão perdido… - falou e as lágrimas começaram a rolar pelo rosto e cair na calça de moletom de Shinku.
- Desculpa, Luke. Foi tudo minha culpa, eu devia ter te impedido de arrastar o Chibi-kun quando tive oportunidade, não pensei que as coisas fossem chegar a esse ponto. Como digo… se pudesse escolher entre seus pesadelos e sua memória, desejaria que nunca se lembrasse, assim poderia afastar mais facilmente seus medos por pesadelos - murmurou mordendo o lábio com apreensão.
- Então você sabia que era o Chibi, não é?… - balbuciou como se buscasse confirmar suas suspeitas antes de balançar sem jeito a cabeça, virando o corpo de forma que pudesse encarar Shinku. -  Sore wa Shinku no seide wa arimasen**. Se eu não fosse um idiota naquela época, as coisas seriam diferentes e não faria você se preocupar com alguém como eu - disse com culpa, tocando as pontas do cabelo molhado de Shinku que lhe caíam na testa.
        Shinku tirou a cabeça de Luke de suas pernas e se afastou com jeito da cama, deixando o quarto sem que Luke pudesse dizer uma palavra.
         Após alguns minutos, Luke pegou o celular e abriu o visor. Marcava quase meia-noite e estava a atazanar com a noite até então calma do único amigo próximo que ainda permanecia a seu lado mesmo com todas as suas burradas.
        Deixou o braço cair sobre seus olhos, ainda a segurar o celular. Não demorou e ouviu a porta do quarto se abrir e descobriu os olhos vendo Shinku vir em sua direção, carregando um copo e desviando das caixas de mudança que cobriam boa parte do chão.
Luke se sentou e sem esperar, Shinku lhe deu um selinho antes de entregar o copo de chá quente.
- Mesmo se você não fosse um baka sem conserto, ainda me preocuparia contigo, sacou? - proferiu bagunçando com cuidado os cabelos de Luke para que não derrubasse o copo.
             Luke soltou um curto riso e sorria inconsolável.
- Também te amo, seu sem noção - disse bebericando do chá que por sinal estava muito quente e amargo, o que lhe deixou a fazer caretas.
- Eu sei, afinal, meu nome é puro carmesim de amor, então mesmo para você é difícil resistir - sorriu a brincar e Luke já ria logo em seguida lhe dando leves socos no ombro.
          Luke terminou de beber o chá e foi tomar um banho. Não estava tão preocupado em estar acabado no dia seguinte, pois o festival não aconteceria mais em três dias conforme planejavam, senão seria muito cansativo. Preferiram fazer tudo em um único dia para que todos aproveitassem para alternar entre trabalhar metade do período e se divertir na outra metade.
         Os gastos foram poucos se considerassem os patrocinadores e doadores da escola, então deveriam cobrir o que despenderam cobrando uma significativa taxa na entrada e nos produtos dentro do evento.
          Terminou de se lavar e vestiu uma bermuda e uma camisa para ir se deitar. As luzes estavam apagadas e Shinku já estava deitado. Se preparava para subir para sua cama quando Shinku o chamou e pediu que se aproximasse. Puxou Luke para debaixo dos cobertores com ele e passou o braço pela cintura de Luke.
- Até o dia em que tiver de voltar à Itália, estarei ao seu lado para que possa afastar seus pesadelos mesmo que por algumas horas - sussurrou se aconchegando nas costas de Luke que aceitou o carinho e preocupação do amigo murmurando que sim enquanto o sono vinha lhe embalar.

*Ao seu lado
**Não é culpa do Shinku (google-sama :P)

Nota da Mel para a Kisu: Que o Shinku volte da Itália rapinho... Ah, minha OTP linda! :p

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...