5.6.15

Tsukiyomi no me Capítulo 18 por C.C


Capitulo 18

  Aposto que ele não dormia à dias. Depois do pouco tempo de conversa que tivemos voltou logo a dormir. Aproveitei para deixá-lo descansar enquanto fui ver se o médico já tinha chegado.
  Para minha surpresa não só já tinha chegado como até já começara o exame. Conseguia sentir os nervos da Nanami quase palpáveis. Até tenho medo que lhe dê algum ataque. Sendo assim, esgueirei-me para o quarto sem ninguém ver. Era melhor se eu fosse o primeiro a saber, para os preparar.

  Quando entrei o homem encontrava-se a terminar de arrumar as suas coisas. O exame acabara à pouco tempo.
  - Então sensei?
  - Arata-san, não seria melhor eu falar primeiro com a família? É a eles que devo respostas.
  - Eu sei sensei, não me entenda mal. Mas eles estão tão nervosos, eu gostava de os preparar primeiro dependendo dos resultados.
  O médico olha para mim com uma expressão de quem me dava razão. Estaria a quebrar o seu código de ética mas seria por um bom motivo.
  - O caso do padre Tsukiyama é grave. Admiro o trabalho do meu colega que conseguiu controlar a situação por tanto tempo e num lugar com tão poucos recursos. O mais acertado nesta altura seria interná-lo num hospital com uma boa ala médica no tratamento da pneumonia crónica.
  - O hospital onde trabalha estaria disponível, sensei?
  - Posso tratar da papelada para o internamento mas só com autorização do próprio ou da família.
  - Mas podemos ter esperança no tratamento certo?
  - Vou ser sincero Arata-san, mesmo o internamento só irá adiar o inevitável. O Padre Tsukiyama já alcançou o limite das suas forças. No máximo dou-lhe um mês.
  Um mês? Não pode ser. O padre Shinsuke não pode morrer, não assim. Sou tão infantil, sempre o imaginei como uma figura imortal que quando eu precisasse estaria ali para mim fosse em que momento fosse.
  - Com licença Arata-san, vou avisar a família.
  - Sensei… – A voz trémula acompanhada da habitual tosse pára os passos do médico. – Não acha que é a mim que devia avisar?
  Ficamos surpresos por ver que ele estava consciente. Desde que entrei pensei que estivesse adormecido.
  - Padre Shinsuke, se ouviu o que o sensei disse sabe que tem de ir para o hospital.
  - Vais ter de me desculpar meu jovem mas ninguém me tira do meu templo. Nasci aqui e aqui vou morrer e juntar-me à Deusa.
  - Mas…
  - Sensei, – Ele interrompe a minha tentativa de argumentar. – conto com o seu sigilo médico para com a minha família. Pode sair pelas traseiras, peço perdão pelo incómodo.
  Ninguém me deixou falar, o médico saiu sem dizer uma palavra e eu fiquei ali paralisado encarando a realidade de que aquele homem à muito que aceitara a sua morte.
  - Não preciso pedir a tua discrição pois não? – A voz rouca acerta-me como um murro no estômago.
  - Quer que eu minta?
  - Claro que não, não quero que mintas apenas não digas nada. E antes que comeces a tentar fazer-me mudar de ideias tenho um favor a pedir.
  - Um favor? – Já não havia mais nada que eu pudesse dizer, agora resta-me aceitar a escolha dele.
  - Gostava de usar este mês que me resta para te transmitir os ensinamentos da Deusa. Quero que me sucedas como sacerdote deste templo.
  Se a fisionomia humana o permitisse neste instante os meus olhos estariam a rebolar pelo chão tal não era o meu choque. Eu ainda desconfiava ter entendido algo mal.
  - Eu…o sacerdote…?
- Não vais recusar o pedido de um velho moribundo não é meu jovem?

6 comentários:

  1. Bom dia Mel :)
    Quem vai ser o novo sacerdote mesmo? o.O ... O que eu estou pensando? O Tsukiyama será que vai aceitar a ideia? Eu não sei se vai ficar com ciume....

    E bom eu tou de volta :3

    ResponderExcluir
  2. Bom dia!
    Mas, será que ele vai aceitar ser o Sacerdote? Esse foi um pedido inusitado...

    E como foi o fim de semana? ^^"

    ResponderExcluir
  3. Pois foi....é dificil aceitar assim tão de repente, mas o padre não lhe deixa muita opção.

    Foi muito bom.... passei por Óbidos antes de ir para Fátima, é em a era mediaval como se imagina, quando passar as fotos para o Pc lhe mostro ^^"

    ResponderExcluir
  4. Mas, não consigo vê-lo como sacerdote... Não sei o que deu na cabeça deste senhor -.-"

    Nossa, mas deve ter tirado cada foto linda! Quero ver sim :) Todas de preferência (mas se não puder ser todas eu entendo)

    Rima, vou sair para ir ao banco.
    Então, mais tarde apareço, viu?

    ResponderExcluir
  5. Eu também não consigo o ver....imaginava sim o Tsukiyama e o Sakurai como amante do futuro sacerdote :p

    Ok farei os possiveis :)

    Eu mais logo vou ter de trabalhar
    Então
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. (Cheguei agora do banco)
    Imagino que você já tinha ido trabalhar.

    Eu também, Rima... Acho que o Sakurai vai ficar perdido na função de Sacerdote.

    Bom trabalho!
    E grande beijo =^.^=

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...