25.7.15

Kimi o ai Hajimeru Capitulo 13 por Rima-san


Capitulo 13
Noite dos prazer 2

        Mal abriu a porta da sua casa o cheiro a comida boa fez-se sentir em sua narinas, Ikki logo lhe apareceu vestindo um avental por cima da roupa, correu para junto de seu namorado e estalou um selinho em seus lábios, saudoso.
_Okaeri…_ Pronunciou no término do beijo com as bochechas rosadas.
_Itadaima…_ Bagunçou os cabelos ao pequeno e descalçou-se._ Quem fez o jantar para mim?
_Fui eu…. Eu estava te esperando…_ Afirmou com as mãos atrás das costas._ Demoras-te…_ Acabou comentando olhando a sacola de Ren.
_Trouxe-te uma surpresa se é isso que queres saber._ Levantou a sacola e os olhos verdes do menino brilhavam curiosos na direção da mesma.

_O que é?_ Perguntou puxando Ren pela camisola, mas esse apenas sorriu caminhado até ao quarto para deixar os seus pertences.
_Agora não…. Vamos jantar, Kakeru também deve estar por ai…. Isso é  um segredo entre nós os dois…_ Ikki pestanejou os olhos e seguiu atrás de Ren que foi direto para a cozinha, não questionando mais o que continha no interior daquela sacola.
         Kakeru tinha tomado um banho e jantou com eles por sorte no término do jantar saiu, tinha um encontro, um dos costumo, misterioso pois ninguém sabia para onde ia, mas isso não andava preocupando Ren, assim teria mais tempo a sós com o garoto. Ren tinha assistido um pouco de tv enquanto esperava que Ikki terminasse de lavar a loiça e no termino da sua tarefa sentou-se ao lado de Ren apreciando o que ele assistia, e logo a mão de Ren se entrelaçou á dele, seu namorado se levantou puxando pelo menino, que de olhos focados deixou-se ser levado.
        Deu-se por si deitado de bruços na cama, da cinta para cima sem roupa, tudo porque Ren falara que lhe queria fazer uma massagem, e bem que era bom nisso o menino conseguia relaxar, sentindo aquelas mãos subirem e descerem em suas costas, até arrastarem suas calças até baixo do seu traseiro, Ikki olhou por cima do ombro invocado, mas logo Ren lhe estalou um beijo, sua mão apertava aquele traseiro rosado, e logo se retesou sentindo o friozinho daquele gel escorrendo pelas suas nádegas, fazia tempo que Ren não usava lubrificante nele, aos poucos se ia apercebendo da sua excitação roçando o colchão, seus gemidos eram abafados pela almofada.
        Se contorceu ao sentir ser penetrado, contudo a sensação era diferente, aquele dentro dele não era Ren, ainda assim as sensações que lhe provocavam era prazerosas, remexeu-se entre os lençóis e finalmente se virou de fronte a Ren que lhe sorria com o comando remoto em sua mão, o fio cor de rosa ia direto ao entre pernas de Ikki, que ainda tentava assimilar a situação.
_Ren…_ Gemeu alto sendo de pernas abertas para ele, então percebeu que seu namorado mexera no comando._ Que coisa é essa?_ Limitava-se a descer seus dedos em seu próprio pénis ainda que com uma certa reserva.
_Brinquedo novo… não é gostoso?_ Suou sádico  e sentou-se junto ao menino o observando.
_Tira isso…_ Implorou e Ren o segurou pela face.
_ Se te portares bem vou pensar no teu caso…_ Sua mão ainda segurava o menino pelo queixo, que logo se prostrou de quatro na frente dele o beijando, subindo a camisola de Ren acariciava-lhe os mamilos e tocava o seu membro endurecido dentro da calça, Ren gostava, de facto amava ver o garoto submisso a ele e não se conteve muito mais , tirou aquele aparelho rosa para algum quanto e montou em cima de Ikki.
        O menino sentiu ele entrar dentro de si, mas voraz que nunca, e seus gemidos ecoaram por todo o quarto, o sexo era agressivo, mas viciante , sentiam suas pernas perder as forças e sua lombar arder, mas sua excitação ia para além dos limites, no final apenas sabia definir como algo demasiado prazeroso.
         Suas forças tinham-se esgotado, sentiu Ren o cobrir com os cobertores e o observou vestindo a calça do pijama, puxar seus longos cabelos loiros e o fitar….. ao passo que  Ikki sentia-se desnudo debaixo daqueles cobertores que o aqueciam…. A sensação de sexo consumado ainda o preenchia, sentindo o sémen descer por suas pernas, mas ainda assim se deixou estar, quanto Ren se deitou ao seu lado e apagou a luz do candeeiro o abraçou, sussurrou baixo que o amava e fechou seus olhos, deixando que o abraço perdesse a força a passo que adormecia, sentindo a pessoa mais amada á face da terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...