6.7.15

True Love Capítulo 83 por Kisu


CAPÍTULO 83 (Extra Don’t Shatter Me 2) - Why on earth have to be me?

- Ei, Hana-chan, até quando vai ficar nesse fliperama? - Makoto perguntou sentando no banco do brinquedo ao lado do que Luke jogava.
- Já cansei de dizer que é Hanamura, cacilda! - reclamou sem tirar os olhos da tela do game de luta. - Vê se não enche a paciência.
- Não gosto desse lugar, é escuro e fede - pestanejou prendendo o nariz com a ponta dos dedos finos. - Ei, não me ignora! Porque você não vai no fliperama do centro? É espaçoso e não tem esse cheiro horrível - tornou a argumentar, puxando o casaco escuro de Luke.
Luke levantou batendo nervoso com as mãos na máquina que mostrava seu personagem morto e a mensagem “Dead End”.

- Ei, Gin, me descola uma grana pra comprar um sorvete pra essa matraca - Luke gritou para o rapaz há algumas fileiras de distância.
- Tch… maldito moleque - murmurou atirando o dinheiro.
          Luke agarrou o saquinho com o dinheiro e olhou com ar de poucos amigos para o rapaz que se encolheu fingindo não ter nada haver com o dito.
Makoto agarrou no braço de Luke com um sorriso largo e eles subiram a escadaria deixando o espaço do fliperama subterrâneo enquanto Luke reclamava para que ela o largasse. Ela só aquietou após começar a tomar do sorvete e mesmo assim não deixou de soltar a manga do casaco de Luke enquanto caminhavam pelo parque. O sol brilhava acolhedor, as árvores estavam bem verdinhas e o pouco vento que tinha era gostoso para amenizar o calor do dia.
         “Quantas roupas essa tábua tem? Cada dia está com um vestido mais espalhafatoso que o outro” Luke pensava olhando de canto de olho para Makoto concentrada no sorvete que já derretia e temia escorrer para suas mãos. Seus olhares se encontraram e Makoto lhe sorriu estendendo a casquinha.
- Não quero.
- Você estava me olhando com tanta atenção que pensei que queria provar - riu. - Ou será que depois de uma semana finalmente meu charme te flechou com um kaboom? - perguntou com um sorriso animado.
- Se toca, flechas não fazem esse estrago todo e quem iria querer uma guria seca que nem você? Nem se entupindo de caloria ou mudando os vestidos vai disfarçar o que não tem.
Makoto abaixou o rosto um tanto quanto quieta e ficou um pouco para trás sem desgrudar do tecido escuro da roupa de Luke. O sorvete escorria pela mão e caía ao chão de pedras ornamentadas de um dos caminhos do parque.
- Que foi que fechou o bico de repente? - perguntou olhando por cima do ombro e ficou desconcertado quando a viu com a face mais vermelha que um tomate.
Pararam de andar e Luke ficou na frente dela.
- Diz logo qual é a sua? Por que insiste em grudar em alguém como eu? Deve ser mais interessante brincar com suas bonecas ou sair com outras minas - perguntou sem jeito e ainda inevitavelmente indelicado.
- Chotto, ninguém brinca disso aos quinze anos - fez bico. - E… bem… porque… - murmurou apertando ainda mais os dedos na roupa de Luke e remexendo o pé incerta. - Não tenho nenhum amigo e também porque…
- Larga de drama e desembucha - suspirou impaciente.
- ita… - murmurou e Luke reclamou sem entender o que ela dissera. - Porque você disse que sou bonita, seu baka - falou de uma vez com o rosto ainda mais vermelho e mesmo Luke se sentiu encabulado, sem saber o que dizer.
Ela saiu caminhando apressada arrastando Luke logo atrás.
- E-ei! Seu vestido tá sujando tudo - lembrou quando viu o sorvete gotejando no tecido rosa-claro da saia.
        Makoto parou olhando alarmada para a roupa toda respingada e lágrimas começaram a se formar em seus grandes olhos azul-marinho que contrastavam com o cabelo tão negro quanto a noite e a delicada pele cor de arroz.
         Luke mordeu os lábios, não sabia como lidar com essas situações.
- Mou… queria o que disparando como uma doida? - falou entredentes remexendo sem jeito nas madeixas castanhas.
Ele tomou das mãos de Makoto a casquinha já completamente preenchida por baunilha derretida e puxou a mão dela para perto, lambendo incerto o líquido que escorria por entre os dedos.
- O que você tá fazendo? -  perguntou encabulada tentando afastar sua mão de Luke sem sucesso. - Eto… Hana-chan… as pessoas estão começando a nos olhar - murmurou baixinho.
- Urusai - murmurou terminando de lamber o sorvete docinho antes de soltar a mão da jovem e colocar o capuz do casaco tentando disfarçar a própria vergonha. - Assim não suja tanto seu lenço… - falou por sobre o ombro.
E Luke passou por Makoto. Andava na frente em direção ao centro do parque até que sentou na beira da fonte que jorrava água fresca e terminou de comer a casquinha em suas mãos antes de pegar um cigarro e levar à boca.
- O banheiro estava mais perto - Makoto lembrou se sentando ao lado de Luke e molhando a pontinha do lenço na fonte para limpar o vestido.
- Tá reclamando do que? - retrucou deitando na estrutura de cimento da borda da fonte. - Tô te esperando, não tô? - pestanejou de cigarro na boca e fechou os olhos, colocando os braços atrás da cabeça enquanto balançava a perna que pendia da estrutura.
- Você só queria um lugar pra fumar, não é?
        Makoto reclamou, tirando o cigarro dentre os lábios de Luke que abriu os olhos assustado com a proximidade e no que a empurrou quase caiu na água enquanto tossia sem parar.
Assim que Luke parou de tossir mais, pegou irado o cigarro que Makoto segurava já apagado.
- Sua garota maluca! Tá querendo morrer ou o quê? Já disse pra não chegar perto quando tô dando um trago.
- Você devia parar de fumar, Hana-chan, vai te fazer muito mal - falou apreensiva, ignorando o que quer que Luke tivesse dito.
- Ano nee - balbuciou se sentando direito e remexendo as madeixas irritado. - O doido do teu bro não reclamou da tua asma? Devia se preocupar mais com tu que com estranhos.
Makoto se aproximou tomando a mão de Luke junto às suas e elevou seu rosto dando um selinho em Luke.
- Então, pararia de fumar por meu bem? - perguntou meiga, o rosto corado. - E… Hana-chan não é nenhum estranho - completou segura, embora tímida, o que deixou Luke com as maçãs do rosto quentes de vergonha.
- Já disse que é Hanamura - foi a única coisa que conseguiu falar ainda que desconcertado se levantando e tornando a andar ao passo que Makoto correu a lhe segurar no casaco.
            Não era bem uma mentira, Makoto era asmática, mas há anos não tinha um ataque e quando estava na época do frio apenas tinha algumas poucas tosses e chiados leves que passavam com medicamento, mas era interessante ver que Luke se preocupava com seu estado de saúde, a garota pensou contente. Ele era um bom garoto, rebelde por sinal, mas não conseguia esconder sua bondade de seus olhinhos astutos, sempre a tratava bem.

Nota da postadora: Postei a imagem da personagem Makoto no capítulo anterior. Eu havia esquecido, mas já corrigi este esquecimento. ^^"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...