28.7.15

True Love Capítulo 87 por Kisu


CAPÍTULO 87 (Extra Don’t Shatter Me 6) - Boys Like a Little Danger

- Tô morto - Shinku proferiu se jogando estirado ao lado de Luke na toalha sob a sombra do guarda-sol. - Ahhh tadinha da Mako-chan sem ninguém para lhe fazer companhia.
Olhou de canto para Luke e nenhum efeito.
- Uma belezinha brincando sozinha na água… Daqui a pouco dois ou três caras devem ir cantar ela.
Luke se levantou quase num pulo, tirou a camisa e cruzou ainda mais veloz o caminho até o mar quando viu um rapaz passando por perto.
         “Me pergunto o que seria desses dois sem um empurrãozinho” pensou sorrindo ardiloso e se permitindo que seu corpo molhado fosse percorrido pela brisa do mar antes de levantar e ir comprar o almoço. Talvez almoçasse no restaurante e depois trouxesse o dos demais.
     Makoto boiava dentro da boia, usando uma das laterais como apoio para a cabeça quando Luke se aproximou.

- Tá treinando para ser peixe fora d’água, Mako-chan? - perguntou sentindo a água lhe subindo geladinha pelo corpo.
- Hana-chan - se levantou quase no mesmo instante. - Achei que não fosse entrar. Ei quer nadar comigo até um pouco mais fundo?
- Chotto, não me ouviu? Já ficou tempo demais, vim te levar de volta.
- Nem vem, está muito quente lá fora e depois do almoço não vou poder ficar nadando - disse se afastando a nadar com a boia.
Luke foi atrás e segurou na boia fazendo força na direção contrária, tendo inclusive mais sucesso.
- Espera, espera, Hana-chan, pára - Makoto pediu em pânico e como Luke não lhe ouvia, puxou sua bermuda com tamanha força que faltou deixar Luke sem ela.
- O que foi agora?! - perguntou super irritado, ajeitando a bermuda.
No que se virou, Makoto deixava apenas a cabeça para fora da água entre a boia e segurava na altura dos seios.
- Meu biquini soltou… - reclamou baixinho. - E com você me puxando, eu não consegui evitar que as ondas levassem - seus olhos danavam a ficar marejados.
    Luke tinha uma expressão de culpa e sabia que não tinha como consertar o estrago.
- Sinto muito…
Não fosse sua situação, Makoto soltaria um sorriso por ver Luke sendo honesto uma vez na vida, mas o fez apenas em pensamento.
- Ali está! - proferiu num grito e temia se afastar quando Makoto faltou arrancar-lhe a bermuda novamente. - O que tá fazendo, Mako-chan?! - e olhou de novo para o local onde vira a peça de roupa, mas as ondas haviam levado impiedosas.
Pronto, teria que buscar alguma camisa para Makoto, mas ela ainda segurava em sua bermuda.
- Não me deixa sozinha assim… - Makoto pediu envergonhada.
- Se eu não for, vamos ficar torrando debaixo desse sol, porque não tenho ideia de onde o Shinku se enfiou - reclamou de fronte para Makoto.
- Então fica aqui me fazendo companhia até ele voltar… e… não fica me olhando, me deixa com vergonha…
         Luke corou e se abaixou até ficar só com a cabeça acima da água. A boia tampava a visão que tinha de Makoto e vez ou outra o pensamento de espiar por debaixo daquele fino plástico inflado lhe ocorria, mas se controlava.
Não havia top à vista, não podia sair, o guarda-sol estava mais vazio do que um deserto e nem sinal de Shinku.

          Seria uma longa hora do almoço…

          Quando Shinku voltou, foi outra novela até ele entender a situação. Ao contrário de Luke e suas mímicas que ninguém compreendia, Makoto soube se fazer entender rapidinho. Se levantou passando a mão livre nas costas nuas e tornou a se esconder rapidamente na água.
Infelizmente, Shinku levou um cascudo mesmo que não tivesse culpa de nada e ainda tivesse lhes comprado o almoço.
        Depois de longas horas sob o sol, Makoto agora estava vestida com a camisa de Shinku e comeram da comida com gosto.
       A tarde não demorou a passar e logo ao anoitecer, foram para a pousada de um amigo da avó de Shinku. Como era no início das férias, ele ainda conseguiu arrumar dois quartos para os jovens passarem a noite.
         Fazia muito calor, mas nada era melhor do que um banho quentinho ao ar livre.
- Ahh, que banho gostoso para tirar o sal do corpo, não é Luke-chan - Shinku suspirou deliciado. - Ué, Makoto, não quer tomar um banho? - perguntou sem entender ao ver a menina com o mesmo vestido que usava mais cedo e bebericando de um chá gelado enlatado da máquina em frente aos banhos.
- Já tomei, por que? - deu mais um gole.
- Tem certeza? Ainda está cheirando à maresia… - proferiu pensativo um tanto próximo de Makoto.
- Tira os olhos da minha garota - Luke grunhiu se postando de súbito entre ambos.
Shinku se espantou e se afastou instintivamente.
- Calma, não é como se eu quisesse algo com ela. E mesmo se quisesse… ela não teria olhos para mim - disse apoiando os dois braços nos cabelos alaranjados e sorrindo sem jeito.
          Luke se aquietou apenas então se dando conta do que tinha feito. Aliás, por que tinha feito isso? Não era de seu feitio agir assim por alguém e quando Makoto lhe sorriu, ficou encabulado e disparou na frente de todos para irem jantar.

                                                          xXx

- Hm… o que será que eu visto quando formos embora amanhã? - Makoto se perguntava ainda pensando indecisa entre um vestido bege mais simples e fresquinho e um jogo de blusinha azul-marinho com saia rosinha de babados brancos.
        Mergulhou o corpo na água do banho ao ar livre, pensativa. Luke e Shinku ainda não sabiam que era um menino por debaixo de todas aquelas roupas delicadas. Essa era a intenção, mas sentia que seria cada vez mais difícil esconder a verdade, principalmente de Luke…
          Seu irmão Kojiro era o único que entendia seus fetiches de se travestir desde novo. Seus pais pararam de reclamar e se tornaram compreensivos conforme viram que Makoto não mudaria mesmo sofrendo bullying na escola. Por conta disso, tiraram o garoto da escola, contrataram um tutor particular para que não ficasse sem estudar e o deixaram fazer o que bem entendesse, porém…
        Se sentia perdido… Nunca diria que a atração que sentiu na primeira vez que viu Luke seria na verdade amor. Via o menino pintando o sete pelas ruas e um dia convenceu seu irmão a lhe dar uma mãozinha. Realmente, era apenas para matar a curiosidade e quem sabe sair do tédio da rotina ao ter alguém para provocar um pouco, contudo, não imaginou que as coisas começariam a ficar apimentadas.
         Não lembrava quando se apaixonou por Luke, mas provavelmente foi amor à primeira vista e demorou a perceber por completo. Agora… mesmo que a mãe de Luke o apoiasse, tinha medo de que se ele soubesse, lhe abandonaria na primeira oportunidade e nunca mais olharia em sua cara.
Suspirou com os olhos tristes formando pequenas bolinhas na água conforme assoprava. Alguém entrou no ambiente fracamente iluminado pelos lustres de parede e pelas luzes misturadas às plantinhas ao redor da banheira de pedras, mas não deu importância a quem quer que fosse.
Mergulhou o restante do corpo e sentiu a água ondular quando entraram no recinto.
           Devia beirar uma da manhã, era melhor ir dormir. Tirou o rosto da água e ousou se levantar para sair quando reparou em Luke a pouco mais de alguns metros de distância de si. Seus olhares se chocaram e Makoto voltou como um jato para dentro d’água, tomando o cuidado de cobrir suas partes íntimas “femininas” e ficar de costas.
- O… o que está fazendo aqui a essa hora? - perguntou gaguejando mais do que tudo.
“Kamisama, é o fim, estou perdido” pensou se encolhendo.
- Eu que te pergunto por que está no banho masculino - rebateu envergonhado ao se dar conta da presença de Makoto.
- Aqui é o feminino. Não é você quem está errado? - ainda tentou contornar a situação.
Ouviu o barulho de água de Luke se levantando. Pelas ondas atingindo com maior intensidade sua pele, logo soube que Luke se aproximava. Se encolheu muito mais, segurando com força a toalha principalmente em seu pênis.
Mesmo mínimas, havia chances de que Luke não tivesse percebido.
Sentiu as costas de Luke irem de encontro às suas. Os dois corpos desnudos em contato eram bem agradáveis ao tato.
- Não conseguia dormir… - se adiantou a explicar. - Vim esfriar a cabeça já que não tenho cigarros. E você?
- Também estava sem sono… pensava em você sabe…
O silêncio se fez, deixando apenas o barulhinho da água corrente e da brisa noturna. Falar de costas era mais fácil, mesmo assim, sabia que Luke devia estar envergonhado e achava isso fofo.
- Ei, Mako-chan…
- Hmm?…
- Posso tocar seus seios?
        A mente de Makoto ficou em branco. E havia o que pensar nessa situação com seu coração que foi à boca e voltou?
- Se for só um pouco… - disse desconsertado.
         Luke se virou devagar e Makoto sentiu um arrepio quando Luke lhe deu um beijinho no ombro antes de correr com certa lentidão os dedos pelas costas do menino, passar por debaixo dos braços e alcançar aqueles mamilos rosados em meio à pele branquinha.
         Era estranho… Que sensação quente era esta que percorria feroz por seus poros? Pensou que apenas as garotas eram sensíveis nessa região, mas seu corpo reagia a cada toque, a cada aperto de Luke que brincava sagaz com seus mamilos como se procurasse o volume ao redor perdido em algum cantinho debaixo da pele.
          Seu rosto queimava num vermelho vivo enquanto algumas mexas ousavam abandonar os cabelos presos em coque. Sentiu parte do corpo de Luke se recostar em suas costas, mas ele devia estar sentado de lado, pois em nenhum momento sentiu o membro lhe roçar a pele.
         Não queria que Luke parasse, queria ser tocado mais, ter aqueles dedos explorando cada poro de sua epiderme e esse pensamento o enchia de pudor.
          Soltou um gemido longo quando Luke o abraçou forte pela cintura e mordeu sua nuca, mas quando ousou descer por seu quadril para áreas mais baixas, Makoto se sobressaltou e se livrou do toque tomando distância a qualquer custo. Não queria, não deixaria que Luke descobrisse sua ereção saltando por debaixo da toalha.
- Desculpa, Mako-chan. Fui muito longe, não vou fazer de novo, eu juro que não sei o que me deu - falava em pânico, só agora se dando conta do que seus desejos realmente queriam a ponto de chatear ainda mais a menina.
- Não é isso… apenas… me deixe um pouco sozinha - falou envolvendo os próprios ombros e olhando por cima do ombro com um meio sorriso para Luke.
        Teve vontade de abraçar Makoto, mas temia vê-la realmente magoada se o fizesse.
- Não demora muito a sair… e… se ainda continuar sem sono, pode vir para meu quarto…
Se demorou um pouco sem querer deixar Makoto, mas acabou saindo para que ela também fosse logo em seguida.
           Quando Makoto saiu, Luke não estava por lá. Se trocou e foi para o próprio quarto e mesmo deitado, sua ereção não quietava e ficava pior, pois ainda sentiu as mãos de Luke em sua pele. Queria tê-lo beijado e imaginou tanto qual seria a sensação de sentir aquele toque em seu pênis que não pôde mais resistir e se masturbou pensando em Luke.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...