28.7.15

Tsukiyomi no me Capítulo 25 por C.C


Capitulo 25

  Era frio, tão frio. Aquele sentimento como se todo o nosso ser gelasse por completo. Doía tanto que eu só queria desaparecer, evaporar como uma nuvem de vapor fervente.
  Para ser sincero nem eu tinha a certeza do que mais doía dentro de mim. A culpa era minha e eu sabia que ele não me perdoaria e mais uma vez perderia tudo. Uma mensagem do mundo a dizer que não tenho o direito de amar.

  - Não achas que chega de auto piedade e lamentação?
  A voz da minha consciência personificada na imagem da minha esposa volta a tentar chamar por mim.
  - [...].
  O meu nome, que à tanto tempo não ouvia, puxa-me até ela.
  - A sério, quanto tempo é que pretendes continuar com isto? Que eu me lembre tens um livro para acabar e montes de gente preocupada contigo.
  - Ninguém está preocupado. Todos me odeiam. Se eu não tivesse escondido aquilo o padre Shinsuke teria sido internado e...
  - E nada. Ouviste o médico, internado ou não ele ia morrer. E estavas a cumprir a vontade dele. Eles vão entender.
  - Não vão. Vão odiar-me...
  Uma mão acerta a minha face deixando a marca lá estampada. Mesmo sendo um sonho a sensação de dor era bem realista.
  - Tu páras de me tirar do sério e de te comportar como uma adolescente rejeitada? A única coisa que os está a fazer sofrer é a tua condição atual. Por isso mexe-me esse traseiro de volta e já, Arata [...]!
  Não havia mais nada a discutir. Basicamente fui expulso do meu próprio sonho voltando à total escuridão. Começava a encolher-me esperando pelo frio que sabia que não tardaria a atacar-me quando para minha surpresa aconteceu exatamente o contrário. Um calor acolhedor, carinhoso, irradiava por todo o meu corpo. Era bom. Pela primeira vez na vida desejei ficar assim para sempre.
  - Arata.
  Sou eu. Alguém está a chamar por mim. Mas parece tão longe. Talvez o calor venha de lá. Se eu correr será que consigo alcançá-lo?
  - Arata, volta. Volta para mim...
  Eu quero voltar. Deixa-me voltar!
  - Kiritsugu... - Quase não reconheci a minha voz de tão rouca e abafada. Também não sei porque o chamei pelo primeiro nome mas no fundo senti que aquele era o momento, para ele saber que eu estava ali, que tinha voltado graças a ele.
  Quando finalmente abri os olhos e foquei no meu redor, a expressão aliviada do psicólogo foi a primeira coisa que vi. Acho que nunca vou esquecer os olhos que me encararam num misto de emoções que nunca pensei serem dirigidas a mim algum dia.
  A minha cabeça repousava no colo dele e uma das suas mãos afagava-me o cabelo bagunçado. Tinha lá estado poucas vezes mas pelo que me lembrava devíamos estar no quarto da Nanami.
  Antes que pudesse dizer alguma coisa o Tsukiyama encara-me com um olhar afiado:
  - Não é culpa tua e não me traíste. Se voltas a dizer isso bato-te.
  Fiquei surpreendido por várias razões mas a que mais me marcou foi como uma simples frase dita por esta pessoa "lavou" todo e qualquer remorso que antes me atormentava. Todos os sentimentos negativos desapareceram como se levados pelo vento.
  - Tsukiyama, - Começo sem saber ao certo o que dizer. - desculpa. Por tudo. Sei que preciso desculpar-me com todos mas sei que foi a ti que mais causei problemas. Obrigado por não desistires de mim.
  - Ai shitteru*. - Neste momento grande parte do meu sangue, senão todo, está concentrada na minha cara. A sensação das bochechas e orelhas a ferver indicam que devo estar completamente ruborizado. Na verdade nem tenho a certeza se ouvi direito. Ele continua. - Sendo sincero não acredito muito no amor, tanto como psicólogo como como pessoa mas até agora não encontrei outra definição para aquilo que sinto por ti.
  Acreditem no que quiserem mas nunca ouvi nada tão bonito.
  - Não vais dizer nada?
  - Posso usar isso no meu livro?

2 comentários:

  1. boa tarde Mel estou lendo tsukiyomi no me esta linda. eu gostaria de perguntar que significa ai shitteru, eu botei no google encontrei esta resposta VOCÊ SABE QUE O AMOR. por favor me responda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quer dizer "eu te amo" dentro do contexto de um namoro sério no Japão.

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...