2.7.15

Wild Lover 2 Capítulo 27 por Rima-san


Capitulo 27

Um lugar estranho, trás sensações estranhas
Desceu a escadaria um tanto constrangido perdia-se naquela casa e mesmo que Akemi se encontrasse mesmo atrás de si, era difícil não sentir um nervoso miudinho, tudo o que queria era regressar para casa, esquecer aquela foto que vira no quarto de seu namorado e não precisar de conviver com aquela família que aos seus olhos ainda lhe eram pessoas estranhas.



_ Boa noite…. Respondeu baixo ficando junto á porta, e Akemi lhe sorriu puxando-o pela mão.
_Boa noite…._ O Senhor do outro lado da cozinha o fitava de braços cruzados, os mesmo olhos de Akemi mas com mais severidade._ Tua mãe já me falara que namoravas um garoto, mas não acreditei que fosse mesmo um miudinho._ Riu e Hayato tentou controlar sua compulsividade para não lhe responder.
_Pai…. Ele não é nenhum miudinho… é o meu namorado, por favor respeite-o._ Akemi argumentou em sua defesa arrastando a cadeira para se sentar e Hayato sentou-se ao seu lado, já Hiroíto, pai de Akemi se sentou na ponta da mesa._ E  o garoto faz da vida?
_ Ele chama-se Hayato…_ Sua esposa, mãe de Akemi, pousou a refeição na mesa e sentou-se.
_Tanto me faz…Chiye, quero é saber o que ele faz, de certo nada da vida._ Retorquiu seco iniciando a sua refeição.
_Eu posso ser um nada da vida! Mas…. Mas…_ Seus olhos lacrimejaram e Akemi pousou a mão sobre a de Hayato tentando o acalmar.
_Pai, se for para nos tratar assim, vamos já embora, não estou para assistir a cenas deprimentes como essa!_ Mais uma vez Akemi o defendia e Hayato mais se sentia mal, arrastou a cadeira e levantou-se sua cabeça olha em direção ao prato e sabia eu todas as atenções se dirigiam  a ele.
_Não me estou a sentir muito bem…. Vou apanhar um pouco de ar…._ Sem saber bem o rumo que tomar saiu pela primeira porta que encontrou  e se sentou no degrau da entrada apanhando um pouco de ar.
_Hayato,  está tudo bem? _ Akemi se sentou ao seu lado sentindo a brisa fazer os seus cabelos dançar.
_ Estou… só que… vamos para casa Akemi._ Segurou-o pelo braço como se lhe pedisse mais que tudo para voltarem para o aconchego da sua casa.
_Eu também quero voltar…. Mas não podemos fugir de todos os pequenos problemas que nos aparece, não achas?_ O puxou para junto de si e Hayato acabou o fitando contrafeito.
_Estás a dizer que eu fujo dos problemas?_ Dos seus olhos rompiam as lágrimas e quase empurrou Akemi._ Eu…. Eu….
_Eu não disse isso._ Segurou na mão dele tentando-o acalmar._ Compreendo que estejas confuso e que em parte isso é culpa minha, mas ficar criando minhoquinhas na tua cabeça não ajuda…_ Puxou-lhe os fios de cabelos para trás destapando-lhe a testa._ Primeiro…. Meus pais nunca aceitaram minha homossexualidade, então o problema não és tu…acalma essa cabecinha…_ Bagunçou-lhe os cabelo e estalou um beijo na sua face e Hayato deu um longo suspiro._ Agora vamos voltar para dentro?_ O menino apenas consentiu com a cabeça e Chiye que os escutava á porta regressou para a cozinha antes deles, depois que eles se juntaram poucas palavras trocaram á mesa, mesmo que a mãe de Akemi tentasse dar o máximo de conforto o ambiente continuava tenso.
         Akemi quando era mais novo sempre ajudava sua mãe a levantar a mesa e via-se obrigado a continuar a faze-lo, Hayato que se sentia mal em estar num canto parado ajudou também a arrumar enquanto era fitado por Hiroíto que lia o jornal.
_Telefonei aos teus irmãos, eles vem amanhã ver-te, estão morrendo de saudades._ Chiye comentou enquanto acabava de lavar a loiça._ Mas só devem chegar no inicio da tarde…. Tem a amanhã toda livre, podias levar Hayato-kun a conhecer a cidade duvido que ele conheça alguma coisa aqui.
_Assim o faremos mãe…. Agora se não se importar vamos descansar._ Fez uma pequena reverência e retirou-se puxando por Hayato, não muito depois de se acomodarem no quarto Chiye bateu á  porta, com um sorriso meigo e não entrou da porta para dentro.
_Talvez seja melhor colocar um futon para Hayato-kun dormir…_ Advertiu, mas os dois sentados na cama se olharem e Akemi lhe sorriu também.
_Não se preocupe mãe a gente dorme agarradinho…. Não tenha trabalho connosco e vá descansar.
_Vocês também descansem sim….durmam bem…_ Fechou a porta e Akemi deixou se cair na cama.
_Minha mãe parece estar gostando de ti._ Comentou puxando-o pelo braço e fez Hayato cair ao seu lado.
_Não digas asneiras…_ Retorquiu procurando os dedos de Akemi até enlaçar os seus aos dele.
_Eu não minto._ Estalou um beijo na sua face._ Pensa nisso…._ Hayato suspirou e se virou agarrando Akemi, se Akemi não lhe mentiria então poderia perguntar o significado da fotográfica que tinha visto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...