6.8.15

True Love Capítulo 88 por Kisu


CAPÍTULO 88 (Extra Don’t Shatter Me 7) - O que é amar você?

- Então, nos vemos outro dia - Shinku falou assim que deixaram o vagão de trem.
- Ah, esperem, vamos trocar nossos números - Makoto pediu já com o celular em mãos e a malinha aos seus pés.
- Claro, fica mais fácil de marcarmos algo - Shinku concordou também pegando o seu.
Trocaram os contatos e Makoto se apressou ansioso para pegar o de Luke.
- Hana-chan, agora o seu - falou com os olhinhos cintilando, louco para conseguir que Luke compartilhasse com ele.
- Hm… - remexeu as mãos no bolso mais calado que o normal. - Tem uns meses que atirei na parede numa discussão e não vou ganhar outro tão cedo…
Makoto desfez o sorriso no mesmo segundo. Suas expectativas tinham ido ralo abaixo…

- Shouganai yo ne… - Makoto suspirou tristonho.
- Vamos, Shinku - Luke chamou.
     Antes que fossem, Makoto segurou no casaco de Luke e ele o fitou.
- Ano… e qual seu signo?
- Escorpião, por que? - perguntou sem compreender.
- Ah, nada não. O meu é câncer, combinamos até nisso - sorriu desconcertado.
      Os meninos já estavam por ir quando Makoto os pegou de surpresa numa selfie.
- Eba, temos uma foto dos três para comemorar nossa primeira viagem juntos! - falou contente enquanto tratava de enviar para Shinku por email. - Então nos vemos mais tarde, Hana-chan - se ergueu um pouco nos pés e deu um beijo de despedida em Luke.
      Shinku retribuiu sem graça o aceno que Makoto lhe deu em seguida e foram todos embora.
“O que fazer? O aniversário dele está longe para dar um celular de presente a essa altura” Makoto suspirou cabisbaixo, mas logo tratou de se animar ao olhar a foto que já estava devidamente instalada como plano de fundo no seu celular.

       Shinku andava com uma bolsa com a alça cruzando o corpo e Luke com a mochila nas costas. Seguiam quietos pela rua de casas altas oposta à rua tomada por Makoto.
- Luke-chan… mesmo dizendo que não são namorados, você chega a gostar da Mako-chan? - Shinku ousou perguntar, embora hesitante.
Luke não respondeu de imediato e Shinku pensou que esse tipo de coisa não lhe dissesse respeito.
- É diferente quando nos beijamos… e inquieto sem ela por perto. Eu goste dela… mas só um pouquinho! - falou nervoso, se perdendo nas próprias palavras e tentando disfarçar a vergonha pelos sentimentos enquanto ainda meditava sobre qual era o significado ou a característica para identificar o que sentia.
- Mesmo você sendo baixinho, como o caçula digo que devia ser mais ousado - riu levantando o queixo em sinal de superioridade enquanto passava o braço sobre o ombro de Luke.
- Como assim?
- Digo… às vezes parece que a Mako-chan é o cara da relação. Nessa ida à praia, não vi você tomar iniciativa de nada sem que ela ou eu não déssemos um empurrãozinho. Às vezes acho que só está com ela, porque ela fica muito no seu pé.
- Ah tá, claro - murmurou sarcástico. - E o que o boca virgem sugere que eu faça? - perguntou em tom de chacota, dando um leve sorriso.
- Posso ser boca virgem, mas saiba que tenho mais menina correndo atrás de mim do que pensa - riu vitorioso e tirou o celular do bolso lhe mostrando várias fotos dele no meio do mutirão de garotas não somente da sua sala de aula.
Ficou sem palavras para retrucar e apenas resmungou baixinho.
- Vai te catar, Sakura-chan.
       E Shinku que já havia desistido de Makoto lhe chamando de Sakura, deu um belo beliscão em Luke antes de sair correndo e gritando enquanto sorria “você não me pega” e ainda deu com a língua para Luke que o perseguiu mais zangado.
Correram até se cansarem e terminarem esbaforidos ainda bem longe de casa.

                                                    xXx

- Mas já voltou, Makoto? Achei que não ia dar as caras por aqui tão cedo - Kojiro brincou divertido da porta do quarto.
- Ah, é você, Kojiro - Makoto o olhou sentado da beira da cama, terminando de secar os cabelos com a toalha. - Claro que voltei, já é noite… Mas o que quis dizer?
           Kojiro se aproximou e sentou-se aos pés da cama.
- Nada não, só pensei que a essa hora você e aquele seu paquera estariam fazendo coisas mais divertidas se é que me entende - deu de ombros sem segurar um sorriso.
Makoto parou de correr a toalha pelos cabelos e abaixou o rosto, remexendo com os dedinhos na barra da saia jeans sem motivo aparente, mas com certa tristeza no olhar.
- Quê? Quer dizer que nunca fizeram nada? - perguntou incrédulo e Makoto permaneceu quieto. - Espera, Makoto, não me diga que ele ainda não sabe que minha irmãzinha é macho?
- Não fala assim… sabe que não escolhi nascer com esse corpo… - falou depois de consentir mortificado e mesmo que não pretendesse, Kojiro começou a rir a ponto de não se aguentar.
- Porra, já não tem uns dois ou três meses desde que te dei aquela forcinha? De certo que se divertiria mais andando comigo e os meninos do que com aquele moleque chorão - comentou ficando de frente para Makoto e apoiando a cabeça sobre os próprios braços no colo de Makoto.
- Não é isso, Kojiro… nunca senti nada assim antes, por isso quero que o Hana-chan sinta o mesmo por mim. E se for com ele, mesmo que não me veja dessa maneira, não me importaria de irmos até o final…
         Kojiro não disse nada por alguns instantes antes de levantar a face e pegar entre os dedos uma mecha dos cabelos escuros de Makoto.
- Makoto, com esse seu rosto, você podia conseguir qualquer um dos meus amigos na palma da sua mão. Sabe por que fiquei surpreso de não terem feito nada até agora? É porque não bate a informação que você me deu com esse chupão que no seu pescoço.
Makoto ia levar a mão ao pescoço numa tentativa de esconder, mas Kojiro parou o ato. Aliás, a atitude de Makoto era mais de quem não acreditava que estava com um chupão quando se lembrou que devia ser daquele beijo na sua nuca e por isso não havia como ver no espelho.
- O que ele disse? Bastaram algumas palavras bonitas pra você cair por ele? - perguntou cruel. - Você vai apenas se machucar, Makoto. Ouça o que digo e venha se divertir com a gente, duvido que meus amigos se importem com minha maninha sendo um menino - disse dando um beijo nas costas da mão de Makoto.
          Cada semana Kojiro estava com uma menina diferente e o mesmo era válido para os amigos dele. Makoto parecia meditar, procurando a resposta em algum lugar dos olhos de Kojiro, mas não havia como achar a resposta dentro de alguém que via o sexo como uma diversão, um prazer momentâneo isento de amor.
- Você ainda tem aquele video pornô que o Fukuhara-kun te emprestou? Se eu aprender como se faz, talvez não haja tanto problema…
          Kojiro não respondeu de imediato. Deu um beijo na parte desnuda da coxa de Makoto antes de se levantar e enfiar as mãos no bolso da calça do moletom suspirando.
- Se é o que você quer, não vou falar mais nada…
          E Makoto concordou com um aceno antes de acompanhar Kojiro para o quarto ao lado.
Seus pais estavam na cidade comemorando o aniversário de casamento e além de passarem o dia juntos, tinham o costume de passar a noite em algum hotel, então só voltariam em meados da manhã seguinte, o que deixava os irmãos a sós para desfrutar de suas travessuras.
          O video já ia pela metade, repleto de pura indecência e barulhinho de gemidos que escapavam da telinha da televisão enquanto um homem traçava duas mulheres na mesma cama. Uma delas se esfregava com os fartos seios nas costas dele e lhe beijava o pescoço enquanto que a outra engolia sem pudor o pênis ereto.
         Makoto reagia se remexendo no poof ao lado da cama e esfregava inquieto uma coxa na outra. Sentia seu sangue correr quente pelo corpo e seu pênis palpitando ansioso para que fosse liberto da saia apertadinha, mas se esforçava ao máximo para conter a própria excitação.
- Não precisa ter vergonha, Makoto - Kojiro disse de cima da cama, folheando desinteressado uma revista também pornô. - Você já me viu fazendo coisa pior com uma guria. Se masturbar é o de menos. Ou você quer uma mãozinha aí? - perguntou em deboche.
          Makoto ignorou a brincadeira de mau gosto e abraçou os joelhos próximo ao corpo ainda se contendo enquanto balançava para frente e para trás angustiado.
        Kojiro largou a revista e desceu enfezado da cama. Ergueu Makoto pelos braços ainda que contrafeito e o deitou na cama.
- Kojiro?
- Que droga, Makoto! Ver você se agitando sem fazer nada e já a ponto de gemer tá me deixando duro - reclamou bravio.
         Kojiro se sentou sobre Makoto e rebolou, deixando que suas ereções se esfregassem ainda dentro das roupas.
- Pára, Kojiro… - Makoto tentava persuadi-lo sem muito êxito quando um gemido escapou por seus lábios.
- Só cala a boca que eu vou te mostrar como se faz, Makoto - falou entredentes, os curtos fios do cabelo castanho-escuro roçavam o rosto conforme deslizava o corpo por cima de Makoto.
Kojiro se abaixou e beijou de levinho na altura do cós da saia que já ia para os joelhos de Makoto.
- Ainda usa essas lingeries? E não é que ficam mais sexys em você do que no varal - indagou mais numa exclamação, puxando a rendinha rosa com os dentes ao passo que Makoto levava os dedos à face de Kojiro tentando impedi-lo de prosseguir tirando sua roupa íntima. - O oji-san andou te procurando - pronunciou sem dar muita bola para os dedos de Makoto. - Disse que não vai mais fazer suas roupas se tu não der as caras quando ele aparecer pra te passar a matéria.
Makoto tentou se esquivar, mas Kojiro firmou as mãos em seu quadril, sem dar escapatória.
- Eu não ligo… posso ficar mais tempo com o Hana-chan assim e poderia até sair junto dele para comprar roupas se for o caso… - suas perninhas tentavam fugir ao toque de Kojiro, mas a saia na altura dos joelhos impedia seus movimentos.
Kojiro parou por um momento, pensativo.
- Saquei… - pronunciou baixando o olhar por alguns segundos. - Desculpa, Makoto, mas sabe a diferença entre eu e seu namorado? É que ele nunca vai fazer isso… - enfatizou sem muito ânimo quando levou a boca ao pênis ereto de Makoto.
         Engoliu tudo com vontade, deslizando a língua em cada extremidade, conforme Makoto tremia e gemia ao seu toque. Não demorou para o garoto se render e gozar na boca do irmão.
Kojiro se levantou passando a língua no pouquinho do líquido que fugia de sua boca e em seguida ajudou Makoto a se sentar.
- Que droga, Kojiro. Eu tinha acabado de sair do banho - reclamou, olhando seu próprio estado.
- Larga de mimimi. Bem que tu gostou que eu sei - Kojiro sorriu malandro, tratando de desligar o dvd e no que olhou para Makoto, viu que ele estava emburrado ou ao menos muito chateado.
Kojiro se aproximou, afagando os longos cabelos negros de Makoto e disse gentil do jeito que falava apenas com Makoto.
- O que tenho que fazer pra me redimir, Makoto? Fui longe demais…
Makoto desviou o olhar e se levantou ajeitando a calcinha e a saia no lugar.
- Quero sushi e por sua conta.
- Que roubo! - enfatizou. - Tá saindo mais caro do que pegar minhas amigas!
- Culpa sua, oras. Não sou como elas pra você fazer o que quer e achar que fica por isso.
         Kojiro puxou Makoto pela mão e o segurou pela cintura.
- E não acha que por esse valor é justo eu cobrar a rodada completa?
- Isso é de graça com suas amigas que eu sei, irmão - disse sério. - Essa foi a primeira vez, mas se eu não te cortar as asinhas no início, ainda vai me encrencar.
- Você tá me saindo cara, Makoto… - tornou a falar, soltando Makoto e colocando a mão na testa.
          Já pressentia que nesse ritmo sua carteira não ia durar o restante do mês.
- Também te amo, Kojiro - Makoto esboçou um grande sorriso.
       “Que saco… como fico com raiva com ela agindo assim?…” Kojiro pensou, vendo Makoto deixar o quarto.

4 comentários:

  1. No inicio fiquei esbabacada quando soube que a Makoto era homem.... agora sinto um pouco de pena dela por não ter coragem de contar ao Luke.... também não sei se ele vai aceitar com facilidade que a sua garota tem um penis....
    Mas o irmão.... consegue ser bem ousado! No final deu para perceber que apesar de tudo ele ama muito a Makoto

    ResponderExcluir
  2. Parece que dessa vez peguei você e a Mel na história da Makoto ser homem haha
    Eu sou suspeita pra falar como o Luke vai reagir, mas seria estranho estar numa relação com alguém e só depois de muito tempo descobrir que não sabia de algo dessa gravidade... minhas forças para Makoto ><
    Os irmãos têm um carinho muito especial entre eles, cada um apoia e entende o outro e se preocupa à sua maneira ^^
    Rima, vou começar a responder seu e-mail na faculdade, se não der eu envio por amanhã.

    Oi, Mel! Dei um pulinho por aqui para ver se tinha capítulos e ainda me deparo com um episódio de Junjou (só tristeza... só vou poder ver amanhã de tarde T^T). Amanhã apareço com calma por aqui, hoje é porque realmente é o dia mais puxado com aula de manhã, tardezinha e noite :\

    Beijos, meninas ;**

    ResponderExcluir
  3. Mas pegou mesmo!
    Eu também dou forças para a Makoto, o Luke conseguiu ser enganado duas vezes do mesmo jeito -.-"
    É lindo o facto deles se apoiarem não contava muito com isso vindo do Kojiro para ser sincera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah quanto ao mail.... tudo bem ^^"
      Beijos

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...