1.10.15

Kind of Blues – Episódio 4 Parte 11 por Mel Kiryu


Kind of Blues – Episódio 4 
Parte 11 (por Kiriya Hitaki)

__O que vocês dois tanto conversam? Eu disse que quero os dois na minha cama.  

      A voz de Togashi arrebentou com nossa troca de olhares, com o clima que vagava em nossas divagações. Nos surpreendeu, aliás... Voltamos nosso olhares para os degraus acima e lá estava ele parado descalço, braços firmemente cruzados sobre o peitoral e de pé na beira da escada.
    Yuki era bem autoritário quando queria e sua paciência tinha esgotado pelo tom da pergunta.
__Eu falei sério.__ Ele afirmou descendo um degrau em nossa direção.__ Da minha parte não houve qualquer encenação.
    Engoli a seco, meus olhos em Togashi.
    Era pior do que se sentir encurralado.

    De um lado estava Yuki me pressionando com sua presença, suas palavras impacientes, com a firmeza insondável de seu olhar e ao meu lado estava Satomi, nosso ombros se tocavam e apesar de nosso olhares estarem dispersos e fixos no alto da escada eu desejava intensamente poder ler a mensagem que poderia haver em sua tez.
    Em meio a minha extrema hesitação e a arritmia cardíaca que eu sentia, a mão de Satomi segurou a minha e somente então percebi como meus dedos estavam frios e suados em relação aos dedos da mão dele.
__Se vocês querem ir embora... O acordo que temos termina aqui.__ Yuki anunciou sério descendo mais um degrau.__ Mas, vou me desapegar dessa situação desfazendo as confusões de Hitaki... Vocês dois estão prontos para enfrentar a oposição da família Kiriya?
     Não, eu não estava.
     Já previa os próximos acontecimentos, eu conhecia bem meus pais e do que eram capazes.
     Desviei bruscamente meu olhar e encarei meus pés.
__Va-mos... Vamos embora... Satomi.
     Não sei porque acabei dizendo isso, eu gaguejei e parecia que ia me desfazer de dentro para fora, meus dedos dos pés se contorceram por um momento e mesmo tendo meus joelhos bambos eu me ergui.

     Nossas mão permaneceram enlaçadas, contudo Satomi continuou sentado no degrau e dei um puxão ansioso em seu braço.
__Hitaki...__ E a voz de Satomi soou baixa, cúmplice.__Não tem jeito, merda... Vamos ficar.
    Eu olhei em minha agitação interna, provavelmente com minha confusão a mostra  e Satomi completou sua sentença.
__É melhor continuar tendo um aliado... Do que arrumar dois novos inimigos.
    Era como se de súbito Satomi tivesse adquirido uma nova percepção, havia firmeza nos dedos que envolviam os meus, o receio de outrora que permeava nele havia sido posto para dormir em seu âmago.
__Mas!... Você mesmo disse que era para contar a verdade, Satomi.__ Eu redargui sem entender.
     E diante da minha confusão Satomi também se ergueu do degrau, sua mão segurava ainda mais convicta a minha.
__Eu sei o que eu disse, 'tá legal?__ Satomi retrucou ríspido, o seu cabelo escuro e desfiado cobria um de seus olhos.__ Só que eu me toquei que não é o Togashi que é a principal ameaça para nós dois... Não gosto dessas mentiras, mas na real... Se a gente se separar por causa da sua família vai ser muito pior.
        Satomi soprou a mecha de cabelo que estava sobre seu olho e arqueou os lábios num sorriso discreto, daqueles pequenos e quase trêmulo que eu amava e tinha medo de perder sua imagem em minha mente de tão fugaz.

                                                    ************
         Eu era a peça vulnerável.
         Em eterna desvantagem.
         Um alvo fácil entre Satomi e Yuki.
         Quando eu estava sozinho com Satomi me sentia em pé de igualdade, quero dizer... Nós tínhamos a mesma idade, compartilhávamos inúmeras lembranças e ao nosso jeito ainda estávamos desvendando um ao outro.
    As coisas aconteciam com naturalidade, um momento romantizado com um toque de inocência conduzido por vontade mútua.
   
        No entanto, estando entre Satomi e Yuki, eu estava à mercê de suas vontades e perdia todo controle da situação.
    Meu coração batia com loucura e eu me sentia ansioso e nervoso com as sensações erógenas que meu namorado e o amante-anjo me causavam... Não.
                Provocavam-me.
        A sensação que se abatia sobre mim é que eu não passava de um brinquedo dentro de um joguete sensual.
     Os meus dois amantes, também eram rivais.
     E de algum modo eu sempre acabava entre eles.

     Eu sentia a boca de Satomi mordiscando minha nuca, a ereção dele pulsando contra minha tez que estava quente em demasia. Meu corpo, minhas costas estavam sobre seu corpo, seus braços passeavam em meu peitoral e eu me sentia confortavelmente preso naquele abraço a sentir a calidez de nossas nudezes.
     Minha boca estava perdida nos lábios, na saliva de Yuki.

     O corpo dele se projetava sobre o meu e eu estava tão enervado quanto enebriado com as possibilidades, eu me sentia tolo, beijava Yuki com anseio e sôfrega excitação.
    Num instante, os dentes deles repuxaram meu lábios inferior enquanto nosso olhares se emparelhavam, assim como nossos membros entre os dedos afilados dele.
    Eu sentia contínuos arrepios cortando minha coluna causada pela sucção deliciosa da boca de Satomi brincando com perversa excitação em meu pescoço, ele se esfregava em mim.
    Eu abraçava Yuki pelo pescoço, o toque em seu cabelo era tão vívido, meus dedos formigavam quando de olhos fechados experimentava um beijo suculento e a minha mente gritava que queria senti-lo inteiro, tal como sentia Satomi sob mim...
__Hitaki... Vou entrar em você.
    A voz de Yuki saíra num sussurro, mas continha um tesão feroz.
__Não!... Mas... Yuki...
__Não negue isso para mim.__ Yuki pediu a me fitar, seu olhar a me devorar.__ Não posso esperar mais...
     Numa carícia lasciva a mão dele correu por meu rosto, deslizou por entre meus lábios úmidos e chupei num gesto febril seu indicador.
    Mal eu sabia que aquele mesmo dedo sujo com minha saliva fosse parar em seguida entre minhas nádegas, permeando meu ânus.
    Meu corpo subiu alarmado por cima de Satomi que me segurou com mais ímpeto, ele beijou o lóbulo de minha orelha suavemente tentando me acalmar.
    Eu queria olhar desesperadamente nos olhos de Satomi, mas apenas sentia seu hálito quente, seus beijos, o frêmito evidente que fazia sua pele arder.
      Me segurei com força em Yuki, minha respiração entrecortada de corrosivo temor...
   

2 comentários:

  1. Bom dia Mel
    Será mesmo o Yuki a tirar a virgindade anal ao Hitaki? Eu estava esperando por isso sabia *-*
    Mas como tudo pode acontecer eu vou ficar nessa duvida rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde, Rima.
    Infelizmente tive que sair pela manhã e só voltei na hora do almoço, por isso não deu para te responder.
    Desculpe.
    Você estava esperando por isso? Rsrsrs...
    Então, deve realizar seu sonho no próximo capítulo. :p
    (Dessa vez não vou ser malvada e te deixar na dúvida *mas, não acostuma... Cof, cof!*)

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...