18.2.16

Kind of Blues – Episódio 6 Parte 12 por Mel Kiryu


Kind of Blues – Episódio 6 Dois garotos com o coração pela metade
Parte 12 (por Hitaki Kiriya)

      Cinco de maio
              Quarta feira

      Perdi a manhã inteira.
      Meu pai foi até minha escola avisar pessoalmente que eu não poderia comparecer ao evento especial que teria em virtude do feriado, ele contou o motivo e fiquei bravo porque quando você ouve alguém dizer que 'fulano' foi levado a um psicólogo, logo se imagina que a pessoa é problemática.
     Eu não me considerava problemático, eu sabia o que eu queria, de quem eu gostava, o que eu faria quando terminasse o secundário.
    Minha relação com Satomi é que era complicada e a imposição dos meus pais que tornava tudo problemático.

    Além do mais que sentido fazia eu me abrir com uma pessoa que nunca tinha visto na vida? Quero dizer, a psicóloga não parecia ser má pessoa, tirando o detalhe de não possuir qualquer expressão durante todo tempo que fiquei sozinho com ela no consultório.
     Como uma pessoa que te analisa tão friamente pode achar que ganhou sua confiança?
   Em míseros cinquenta minutos de consulta.
      E eu me perguntava como meus pais tinham conseguido marcar uma consulta para mim em pleno feriado.
   Meus pais também tiveram uma consulta a parte com ela... Logo depois que meus cinquenta minutos terminaram.
     Quando tudo terminou naquela manhã, instalou-se entre nós três um incômodo e pesado silêncio.
    Meus pais meramente trocaram olhares, poucas palavras vazias enquanto voltávamos para casa.
    Talvez estivessem frustrados por eu não ter contado nada de relevante, por não chegarem nem perto de desvendarem o segredo amoroso de um garoto.
     Sorri por dentro, mas não de feliz.
     Mas, porque me sentia seguro por ter protegido meu segredo.
    O que eu não contava, era o que o restante daquele dia guardava para mim.

                                                            **********
              No início daquela tarde do quinto dia de maio, num instante em que eu estava distraído lavando a tigela e os utensílios que tinha usado no almoço, reparei que minha mãe entrou na cozinha e parou perto de mim.
    Parecia estar pensando no que dizer, como se não soubesse bem como começar a conversa. Inquieta e pensativa.
__Que foi, mãe?__ Eu perguntei um tanto alheio, fechando a torneira.
__Eu não tenho certeza... É algo estranho de se imaginar, mas... Satomi marcou alguma coisa com você? Eu te disse que não queria que ficasse andando com ele... Sei que andou me desobedecendo.
__Por que está falando sobre Satomi assim do nada?__ Retruquei desdobrando a manga do sueter que eu vestia.
__Ora, porque...__ Minha mãe suspirou com nítido desgosto.__ Que razão traria Satomi até nosso portão?
     E ela estreitou o olhar sobre mim como perguntasse nas entrelinhas o que eu estava aprontando.
__Satomi está no nosso portão?__ Inqueri surpreendido.
__Eu não sei o que ele quer! Mas, trate de ser breve... Sabe que ele não é bem vindo aqui.
    Terminei de enxugar minhas mãos e saí da cozinha, cruzei depressa a sala, saí de casa e Satomi parecia uma miragem, uma visão inacreditável esperando por mim.
    Embora, por dentro eu estremecesse, por fora fiz questão de parecer calmo, pendendo ao indiferente.
    Notei de imediato que seu rosto estava limpo de qualquer vestígio de maquiagem, só não tinha aberto mão do esmalte negro nas unhas.
__Pensei que ia dar para trás.__ Satomi retorquiu assim que me aproximei, havia qualquer coisa de desafiadora em sua postura, pura insolência.__ Por causa da nossa briga ontem.
__Fui eu que te agredi.__ Repliquei discreto, abrindo um pouco mais o portão.__ Depois de ontem, pensei que nem quisesse mais olhar na minha cara, ainda não estou certo se quero olhar a sua.
__Não é que eu queira... Tem uma coisa minha com você, vim buscar.
__Que coisa? Não tem mais nada, deixei tudo naquela sacola ontem no chão da oficina.
__Não, aquilo não é nada comparado ao que vim buscar.
__Satomi... Do que está falando?__ Perguntei desconfiado, sem entender.
__Lembra de quando nos conhecemos? Nesse mesmo quintal?
    Satomi perguntou passando as vistas em torno do quintal.
__Nunca desenterrei aquele tesouro que pedi para você tomar conta para mim... Quando éramos crianças.__ Ele completou voltando a me fitar.
    Era uma memória adormecida que repentina despertou um tanto sonolenta em mim.
__Desenterra comigo?
__Takane não veio com você?__ Hesitei a olhar por trás de mim, eu não estava exatamente preocupado com Takane.
__Deixa de ser idiota...__ Satomi zombou dando um empurrão de leve na minha testa.__ Ele não entende nada de desenterrar tesouros.
__Bom... Você lembra onde enterrou? Suponho que tesouros precisem de um mapa.
__O mapa está aqui, ó.__ Satomi riu maroto apontando para a própria cabeça.
     O que tinha acontecido entre nós dois depois de tudo?
    No dia anterior pensei que tudo entre nós estivesse acabado... Terminado da pior maneira.
    De súbito ambos estávamos nostálgicos, por causa desse tesouro que Satomi tinha enterrado no meu quintal antes mesmo do quintal vim a ser da minha família, nos tornamos amigos.
            Esse pequeno tesouro enterrado era o marco inicial da nossa história.

            "No outono de meus seis anos de vida foi a época em que conheci Satomi.
           Eu não queria brigar, mas Satomi parecia invocado comigo por invadir seu território.
__Enterrei tesouros aqui.__ Ele completou, não poderia falar mais sério.
__Se são importantes... Pode ficar com eles... E esse quintal... Acho que não tem problema ser meu e seu.
__Vai deixar eu entrar aqui?__ Satomi perguntou claramente desconfiado, era como se não estivesse acostumado a ser tratado gentilmente.
__Vou sim... __ Eu ri olhando o cordão de folhas dele sacudir ao sabor do vento outonal.
    No entanto, Satomi me olhava seriamente, custei a descobrir que ele sabia sorrir:
__Isso quer dizer... Que quer ser meu amigo?
__Quero sim...
    Não houve mais tempo, queria ouvir o que ele diria em seguida, queria muito... Mas, uma voz cortou o ar a gritar o nome de Satomi.
__Ah, Satomi! Você está aí!... Eu bem devia imaginar! Venha já para casa, menino!
     Eu ainda a conheceria melhor, era Keiko Yasuko, a mulher que depois meus pais me apresentariam como a mãe de Satomi que estava se separando do pai...
    Lamentei sem entender bem o fato do meu novo amigo ter que ir embora do nosso quintal e mais que depressa Satomi amarrou em meu pulso as folhas secas de outono unidas pelo barbante que se enlaçava aos seus caules e disse num cochicho ansioso:
__Cuida dos nossos tesouros, Hitaki... Não conte para ninguém.
__Não vou contar.
    Eu tinha o estranho e desconhecido desejo que aquele momento não terminasse, estar com Satomi era assim. De modo que fiquei parado, com uma estranha sensação de aperto no peito enquanto ele abandonava o quintal, a moça o agarrou pela mão e ouvi ela perguntando sobre mim e em resposta a pequena voz de Satomi ficando distante dizendo algo sobre o quintal pertencer a nós dois..."
           
         

45 comentários:

  1. Esse será um passo pra reconciliação? Às vezes a nostalgia é algo tão bonito e esse momento pode reaproximar os dois... Apesar de tudo que aconteceu.

    Adorei o capitulo ^_~

    ResponderExcluir
  2. De uma lenta reconciliação... Leennnnnntaaaaa mesmo :P
    (Ao menos para mim que escreveu, pareceu acontecer bem lentamente, não sei qual será a perspectiva do leitor).

    Obrigada, Golden!

    ResponderExcluir
  3. Aproveitando que eu já tô aqui pra dar um sinal de vida rs
    Ai, esse Satomi deixa o coração de qualquer um mole assim :3 achei muito legal e corajoso da parte dele ter aparecido na casa do Hitaki depois daquela briga feia que eles tiveram, porque pra mim eles não tornariam a se falar tão cedo!
    Ah, Mel, quanto ao Hanae, você vai escrever aprofundando sobre o que aconteceu na vida dele? Me deu um sentimento triste no último capítulo mesmo ele estando do ladinho do Kitsune, como se o amor deles fosse algo tão momentâneo que a qualquer momento pudesse desaparecer :'(

    ResponderExcluir
  4. Oi, Kisu! Demorei um pouco a te responder porque ainda estava trovejando aqui.
    Cheguei agorinha mesmo no PC.
    O Satomi tem é uma cara-de-pau adorável, rsrs... E o Hitaki resiste? Nem!

    Ah... O Hanae vai ter sua estória um pouco mais aprofundada.
    Ele já teve um amor por quem ele largou a vida monástica e ela morreu pouco depois. Então, o Hanae não guarda muitas esperanças, ele vive na simplicidade absoluta... Sem muitas expectativas para a sua vida.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mel!
      Poxa, queria eu que estivesse chovendo por aqui, está muuuito quente D:

      Kkkkkk o Satomi faz sempre o que dá na telha. Tem hora que isso irrita, mas simplesmente adorei esse capítulo *-*
      Hitaki vai que vai correndo :D

      É por que do jeito que ele falou, deu impressão que ele não tinha expectativas de que agora com o Kitsune fosse haver algo de diferente... porque querendo ou não, quando a gente começa uma relação sempre fica mexido pensando que "ah, dessa vez vai dar certo!"

      Excluir
  5. Oi Mel
    Por essa eu não esperava, o Satomi deu o braço a torcer e foi atras do Hitaki, imaginando como vai ser lindo eles desenterrem o tesouro juntos :p
    Espero que seja o começo da reconciliação ( mas não quer dizer que deixe a torcida do Togashi ^^")

    Ah Mel tenho Fanart fresquinha vou tratar de digitalizar para lhe enviar...
    A Mel não quer postar no seu blog ? :)

    ResponderExcluir
  6. Oi, Rima!
    O Satomi é imprevisível... E apesar do seu jeito de ser destrutivo, saber bem ser meigo quando deseja ser.
    Na próxima parte eles vão desenterrar juntos o "tesouro" ^^"
    (Evidente! Nem pensar que você torceria contra o Togashi, rsrs...)

    ÊBA! E ainda pergunta? :D
    CLARO QUE EU QUERO!

    ResponderExcluir
  7. Devia ser assim sempre... e agora tem que aprender a ser " destrutivo" e passar a ser " construtivo "
    Até que tenho uma curiosidade para descobrir o que será esse tesouro
    (Evidentemente :p)

    Obrigada
    Já enviei depois me diz o que achou

    ResponderExcluir
  8. Ele aprende com o tempo... Sabe, o Satomi passou muito tempo sendo destrutivo, até perder o vício demora um pouco.
    Tesouro que el enterrou aos seis anos, não se esqueça...

    Eu recebi e ficou divo *-*
    (Também, só podia...)
    Não sei bem porque... Mas, ao olhar o desenho tive a impressão que a parte mais trabalhosa foi desenhar a rosa que ele está segurando... O cabelo dele e a rosa devem ter dado um bom trabalho, não?

    ResponderExcluir
  9. Bem esperemos que ele vá perdendo o vicio devagarinho ... ( se calhar a psicóloga do Hitaki podia ajudar não? o.O)
    Tem que ser coisa importante para ele não esquecer

    Gostou mesmo
    O cabelo sem divida foi a parte mais trabalhosa, perdi tanto tempo só no cabelo como no resto do desenho, a rosa também foi um bocadinho e sinceramente achei que o olhar ia ser mais...( bom também só desenhei um olho XD)

    ResponderExcluir
  10. Não acho que o Satomi seja do tipo que aceita ajuda psicológica... Acho que ele não ficaria muito a vontade. Em outra situação o Hitaki não se incomodaria de conversar com uma psicóloga, mas na situação atual ele está se sentindo muito pressionado pelos pais dele.

    O olhar também ficou ótimo, mas o cabelo e rosa realmente me chamaram a atenção. Acaba que desenhar com tantos detalhes vira uma terapia, né? Afora a satisfação que se sente quando está terminado.

    ResponderExcluir
  11. Claro sem duvida que ele percebe a pressão.... porque os pais querem descobrir o que ele esconde, bom ao menos que a psicologa o ajuda a ter coragem de admitir sua homossexualidade
    Eu tou como o Satomi não aceitaria a ajuda nem me sentiria muito á vontade... não sou grande crente em psicologos

    Sim é um hobbie bem legal... eu tou aqui remexendo em desenhos de 2012 também viram belas recordaçoes

    ResponderExcluir
  12. Também não... Prefiro observar do que ser observada.

    E enquanto você mexe nos seus desenhos antigos, eu aqui estava pensando nos desenhos que mandou para mim e guardo com tanto carinho na minha estante. ^^"
    (Ver desenhos antigos traz tantas recordações quanto ver fotos antigas)

    ResponderExcluir
  13. eu também ... não ponho em questão o trabalho de psicologos, mas sinceramente acho que uma pessoa com problemas pode resolve-los sem ter que precisar deles...


    rsrsrs qualquer dia lhe mando mais :p
    Minha mãe estava aqui dizendo que tenho tantos que podia vende-los (isso se alguém os quisesse )

    ResponderExcluir
  14. Há casos em que realmente se precisa da intervenção de um psicólogo, mas não na resolução de problemas cotidianos. Talvez, em questões de grandes traumas ou distúrbios que prejudiquem a vida da pessoa a cerca de compunção.

    Ah, Ok!... Vou gostar, é sempre bem vindo.
    Vender eu não sei... Mas, bem que podia fazer uma exposição deles.

    ResponderExcluir
  15. Sim nesses casos também acho necessário... uma altura minha mãe também queria que eu fosse ao psicologo -.-"

    Quem ia querer uma exposição deles?
    Muitos deles nem estão assim tão bons...

    ResponderExcluir
  16. Mas por quê? Sua mãe tem cada uma! Ninguém melhor que a própria pessoa sabe se está precisando de um psicólogo ou não...
    Minha mãe me levava a psicólogo quando eu era criança e confesso que até hoje não sei porque...

    Não sei... Mas, já imaginei seus desenhos expostos tipo num centro de cultura e as turminhas de colégio indo apreciar... Não sei porque imaginei crianças, acho que talvez elas fossem dar mais valor que certos adultos.
    Ah, são sim... É que a desenhista é muita exigente.

    ResponderExcluir
  17. Eu sei que na altura em questão, devia eu ter meus quinze anos parecia uma menina revoltada contra todos, mas toda a gente tem uma fase assim não? o.O
    Jura? A Mel andou... não deve ter sido das melhores experiências

    Não me importava mesmo que fosse crianças... eu costuma ter sempre meus trabalhos de visual expostos... o meu professor sempre gostava de os expor nem que fosse na biblioteca e eu ficava feliz ^^"
    Não é que seja assim tão exigente... se eu for a contar esse desenho do Muraki falta uma folha na rosa mas estava pelos cabelos com essas folhas e como minha simetria não é igual á do orginal ela não ia ficar bem

    ResponderExcluir
  18. Sim, também tive minha fase assim.
    Acho normal, é complicado ter 15 anos.
    O estranho dessa experiência é não saber o que eu tinha de errado...

    Viu? Seu professor é legal! Pensa como eu ^^"
    Ah... Mas, nunca fica uma réplica perfeita, né?
    Tem que ter o toque pessoal do desenhista! :)

    Rima, tem outro comentário para você responder:
    No capítulo 1 e 2 de Tulipa.

    ResponderExcluir
  19. É complicado mesmo -.-"
    Talvez não tivesse nada de errado... sua mãe podia se sentir mais descansada a leva-la ao psicologo

    Ele era um professor bem fixe, sem duvida me ensinou muita coisa
    Oh sim... o toque da falta da paciência ( sera a idade o.O)

    Jura? Não é a dizer que o Kaoru é pirado outra vez

    ResponderExcluir
  20. Sei lá... Acho que nunca vou entender...

    Já tive algumas professoras fixe também, tenho até saudades.
    Falta de paciência... Acha?
    A simetria é difícil mesmo de seguir.

    Não, não é tão ruim assim... Vai lá ver.

    ResponderExcluir
  21. Eu sempre acho que á coisas que não são para nós entender

    Eu também ( aquele momento que se queria voltar a ir para a escola -.-")
    Não sei... também perdi muito tempo á volta desse desenho ( e acabei ainda não escrevendo hoje)
    Ainda para mais para quem não usa regua.... eu detesto reguas -.-"

    Tinha razão não era mau.... eu que já estava sendo evasiva

    ResponderExcluir
  22. Você também sente saudade da escola? Eu sinto muito, às vezes... (Mas, só as vezes. Daí também lembro dos garotos idiotas e das meninas metidas e a saudade até vai embora)

    Sempre pode escrever amanhã :)
    (Eu fiquei dois dias sem escrever e quase estava surtando)

    Viu? Essa sua estória está mesmo muito boa, instiga a imaginação.
    Eu só não li ainda os seus capítulos que postei hoje, porque estou escrevendo e tirando meu atraso de escritora neurótica. :P

    ResponderExcluir
  23. Eu sinto ás vezes sim ....( quem não perde a saudade quando lembra disso ?-.-")

    Ainda deve ter um tempinho agora antes de ir dormir
    Tou a meio de um capitulo de Love is strange, mas tá complicado
    (Imagino que tivesse mesmo :p)

    Eu não achei que fosse ser tão boa assim e tenho medo que de boa se passe a ruim... mas apenas tou a escrevendo do jeito que imaginei
    Tem tempo.... mas depois tem que matar saudades do Shuji e do Tadashi ^^"

    ResponderExcluir
  24. E eu terminei um agora da estória do anjo.
    Vão aparecer novos personagens ^^" (secundários, mas de vital importância mesmo assim)
    Tá complicado? Faço ideia... Se tiver dedo da Ina então!
    *sai-correndo-que-a-coisa-tá-preta*

    Que passe a ruim que nada... Está é agradando!
    Poxa, com certeza... Meu casalzinho lindo. ♥

    ResponderExcluir
  25. Eba personagens novos (sem os secundários os principais nada faziam ^^")
    Não não tem dedo da Ina é a ponte para a nova fase da história que eu ainda não decidi se vou dividir em segunda parte, porque não vai terminar, apenas vai mudar muita coisa
    *tá-preta-sem-a-ina-imagina-com-ela*

    Eu espero mesmo que continue agradando
    São linduxos mesmos...tenho que escrever mais com eles, foi tão bom escrever esse capitulo

    ResponderExcluir
  26. Pois neste capítulo que terminei agora eles já fizeram sua primeira aparição.
    Ah, entendi... Tem muitas ideias para encaixar no seu devido lugar no enredo.

    Sim! E que depois se resolvam as coisas para o Ikki...

    ResponderExcluir
  27. Depois dessa espero que tenham mais nem se que seja apenas para os conhecer um pouquinho melhor :)

    Tem sim.... tou relendo o capitulo e tou tentando chegar lá...

    Ah sim.... porque esse menino está ficando pior que uma equação para se resolver -.-"
    E você como está com deviant tales

    ResponderExcluir
  28. Sim, eles vão aparecer mais... E tem outro personagem que eu tenho certeza que você não vai gostar.

    E eu começando um aqui...

    Eu sinto assim.. A cabeça dele é tão confusa.

    Deviant?... Ah... Como estou?
    Bem, não estou -.-"
    Estou com pouco tempo para escrever (e ainda tem ocorrido tempestades durante a tarde) e a estória do anjo tem consumido o pouco tempo que eu tenho, porque fantasia me dá muito trabalho para desenvolver... Ficou pensando nos detalhes até enquanto durmo.

    ResponderExcluir
  29. Se não vou gostar não quero conhecer -.-"

    Então vamos as duas escrever muito :)

    Puxa é confusa.... tipo a autora ^^"

    Imaginei... apenas perguntei.... tudo com seu tempo
    Enquanto dorme! Puxa dai a pouco ainda chama alguém de Shou ou Eztel :p
    Esses dias tenho estado com o Jin2 e me lembrei

    ResponderExcluir
  30. Não vai ter como evitar isso... A não ser que pare de ler a estória.

    Sim! Sim!... Muito ao quadrado.

    Tá explicado :p

    Eu sei... Mas, eu mesmo me cobro... Não estou dando conta e isso me aborrece.
    Olha que é mesmo...

    ResponderExcluir
  31. Não parar de ler não vou.... eu aguento com ele *^*

    Não tem que se cobrar por isso, quando menos esperar vai ter tento então não se aborreça por antecipação

    ResponderExcluir
  32. Em todo caso deve querer voar no pescoço dele...

    Por isso vou escrevendo a estória do anjo, eu tenho que ver pelo seguinte ângulo: Estou a muito tempo para escrever essa estória com o anjo.Lembra que eu sempre te falava?

    ResponderExcluir
  33. Se realmente o odiar se não, não pretendo ser uma assassina demasiado cruel

    Sim eu lembro e se agora esta conseguindo é melhor aproveitar o momento mesmo

    ResponderExcluir
  34. Bem que ele merecia uma morte lenta...(para a autora digitar isso, é porque o cara é uma peste)

    Justo isso.

    ResponderExcluir
  35. Nossa mas se quiser eu penso nisso XD
    ( Realmente logo que não seja a encarnação do diabo tudo bem ...)

    ResponderExcluir
  36. Então guarde o nome dele: Oni de Pergamon

    (Não... Ele até tem qualidades bem recebidas pelo diabo, mas ainda não chegou a este ponto...)

    ResponderExcluir
  37. Opa eu já não gosta dos Onis de Hakuouki.... e o parte de Pergamon...não pode ser " pregarnoutrafreguesia"

    ( Mel a dizer isso e eu ainda fico imaginando um ser sexy! o.O)

    ResponderExcluir
  38. Foi meio que pensando na ideia da figura do Oni das lendas do japão que acabou surgindo esse personagem. De fato ele não é feio, mas é mal e ardiloso, tremendamente enganador.

    Pode ser que o ache atraente visto poe certo ângulo, mas a Dawn vai detestá-lo de cara!

    ResponderExcluir
  39. Realmente Onis era poderosos como demonios... puxa tou vendo que não da para confiar nem um nico nele

    srrsrs a Dawn que lhe prepare algumas travessuras :p

    ResponderExcluir
  40. Nem um tiquinho mesmo... -.-"
    Ele que faz travessuras com a Dawn.
    (Nem ela escapa)

    ResponderExcluir
  41. Agora fiquei com pena dela -.-"
    Que o enfiei numa panela de água quente e que o depene igual a uma galinha

    ResponderExcluir
  42. Até o Etzel vai ficar preocupado com ela!
    Olha que é mesmo uma boa ideia. (Mel apoia)

    ResponderExcluir
  43. Para ele ficar preocupado é porque ele é mesmo ruim hein!
    Rima tem sempre ideias brilhantes iguais á de um pisca pisca de natal XD

    ResponderExcluir
  44. Poxa a atmosfera dessa capítulo foi fofa, tenho que dar o braço a torcer pelo Satomi, acho que foi uma das melhores atitudes dele até então -qq. Mas eu não culpo a mãe do Hitaki pela desconfiança -qq
    Na verdade os pais dele são bem fofos. Minha mãe tinha esfolado minha cara se eu agisse igual o Hitaki xD.
    Estou cada vez mais ansiosa pela história <3
    bjs

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...