23.2.16

Kind of Blues – Episódio 6 Parte 13 por Mel Kiryu


Kind of Blues – Episódio 6 Dois garotos com o coração pela metade
Parte 13 (por Hitaki Kiriya)

       Um pião, dois carrinhos talhados em madeira, três conchinhas, duas pedras coloridas de aquário e uma moeda antiga.
      Esse era o tesouro que Satomi tinha enterrado dentro de uma caixinha quando tinha seis anos, no lugar que viria a ser meu quintal.
     Nós dois usamos as mãos e uma pá pequena para jardinagem, estávamos sentados no chão e paramos juntos para contemplar o tesouro desenterrado.
    Deixei de olhar para o conteúdo da caixinha para olhar para Satomi.  

    Seu rosto estava distante, certamente mergulhado em lembranças que deviam envolver sua falecida mãe.
    E fiquei mal de um minuto para o outro, porque pensei que talvez ele quisesse desenterrar o tesouro por querer romper o último vínculo que tinha comigo.
    Nossas mãos estavam sujas de terra e havia pedaços de mato por baixo de nossas unhas.
__Desculpe pelo tapa que eu te dei ontem.__ Eu disse muito baixo, desviando meu olhar para o buraco qur tínhamos feito.__ Agora não tem mais nada seu que esteja em meu poder...
__Mas, não foi isso que eu vim buscar.
    Voltei meu olhar surpreso para Satomi, um pouco nervoso porque era de se imaginar que minha mãe estivesse espiando nós dois pela janela da sala.
    Ao trocarmos olhares a dúvida estava desnuda em minha íris.
__Sinto que só tenho metade de um coração.__ A voz de Satomi estava séria em demasia, tal como no dia em que disse que tinha me comprado um beijo azul.
__Eu também, Satomi.
      E igualmente como aquela ocasião, o vento estava entre nós dois, meus olhos estavam presos aos dele e os olhos dele nos meus.
    Devagarinho a pontinha da língua de Satomi umideceu seu lábio inferior.
__Se juntarmos as duas metades, pode ser que enfim tenhamos um coração por inteiro.__ Satomi sugeriu como quem está prestes a encaixar a última peça num tangram.
    Mas, na verdade o que ele pretendia?
    Esse era seu jeito de admitir que sentia a minha falta.
__Foi você mesmo que terminou comigo, Satomi...__ Eu sussurrei.
__Eu sei, pô... E fiquei com muita saudade... Só fiz merda.
__Você não foi o único.__ Eu retruquei abraçando meus joelhos flexionados diante do corpo.
__Por isso você não foi na escola hoje? Rolou um boato que você estava doente... Que seus pais iam te levar num médico, eu sei lá...
    Satomi brincou com uma das pedrinhas de aquário entre os dedos, olhou as cores dela contra o sol feito um prisma e encostou-se de levinho em mim.
__Ontem... Depois da nossa briga, parecia que eu explodir de tanta dor...__ Eu cochichei.__ Para extravasar o que eu sentia destruí metade do meu quarto e a outra metade atirei ao chão.
    Senti a cabeça de Satomi encostar em meu ombro, seu cabelo esbarrar com doçura em meu rosto.
__Daí meus pais acharam que eu pirei de vez... Me levaram para falar com a psicóloga.
__Que barra, hein? Já meu pai ficou puto porque abandonei a oficina para ir atrás de você, na verdade ele ficou foi furioso!...__ E Satomi ironizou a si mesmo, riu de leve.__ Queria me deixar mais três dias trancado no quarto de castigo, mas só relevou hoje por causa do meu aniversário.  
__Hum... E o que você pretende fazer com esse tesouro desenterrado?
     Também acabei esboçando um pequeno sorriso.
    E Satomi desencostou de meu ombro, olhou para mim:
__Vamos enterrar de novo para nunca esquecermos que esse foi o início de tudo... E na próxima vez que brigarmos, vamos sujar as mãos de terra e fazer as pazes.
__Espera, Satomi... Devíamos guardar algo mais na caixa, algo que simbolize o dia de hoje.
    Satomi de pronto enfiou os dedos no interior do bolso do colete que vestia e jogou dentro da caixa aberta de tesouros uma caixinha de chiclete.
__Sua vez, Hitaki... Bem que podia deixar aí na caixa esse óculos feio.
    Sua sugestão arteira veio seguida de uma careta, Satomi não perdia a chance de escarnecer meu óculos.
    Apenas mirei um olhar atravessado para Satomi e busquei qualquer coisa em meus bolsos, achei que talvez pudesse achar uma moeda, mas acabei puxando um ticket de metrô.
     Havia uma solenidade inevitável em nosso gestos, depositei meu ticket no fundo da caixa desenterrada e tornamos a lacrá-la logo depois.
      Satomi tornou a colocá-la no buraco que ele tinha cavado sozinho há doze anos atrás, não era muito fundo visto que o buraco tinha sido cavado pelas pequenas mãos de um menino de seis anos e nós dois a cobrimos com um monte de terra.
    Apenas tornamos a falar quando fomos lavar nossas mãos numa bica daquele quintal.
__Por que você não dá um pulo na minha casa? Meu pai comprou uma torta de morango por causa  dos meus dezoito anos.
     Eu estava de cabeça baixa tentando limpar minhas unhas sob a água corrente quando ouvi a voz de Satomi sugerir num tom meigo que eu fosse em sua casa.
     A doçura na voz de Satomi era despretensiosa, sem querer.
     Mas, nada era tão simples.
__Satomi, ainda temos muito o que conversar, muito mesmo... E tenho quase absoluta certeza que minha mãe não vai permitir.
     Desliguei a água da bica, bati minhas mãos molhadas nas laterais de meu jeans ainda salpicado de terra.
    E Satomi chegou mais perto, deslizou os dedos frescos e úmidos na gola V do meu suéter.
    Também correu com seu olhar macio no meu rosto, passeou de propósito pelos meus lábios tendo um meio sorriso melindroso no seu.
    Suspirei.
    Sim, eu era um idiota por Satomi.
     Eu o amava, mas eu tinha que admitir...
     Era loucura beijar sua boca no meu quintal.
   

27 comentários:

  1. Oi Mel
    tudo?
    O que eu achei é que seria mesmo loucura beijar satomi no quintal, era da maneira que a mãe do Hitaki descobria de uma vez de quem o filho gostava, bem que a seguir era capaz de lhe dar uma coisinha má

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rima! Tudo bem.
    Gostou do singelo tesouro do Satomi? Digno de uma criancinha de seis anos mesmo. :P
    Ah... Eu creio que o Hitaki não é louco de colocar tudo a perder a esta altura, muito embora a mãe dele está de olho pela janela... Ela viu o Satomi deslizar o dedo na gola V da blusa do Hitaki enquanto se olhavam.

    ResponderExcluir
  3. Gostei sim digno mesmo de uma criança de seis anos, que guardou aquilo com delicadeza, gostava de saber o que ele pensou para enterrar aquele tesouro
    Bem se ela já viu isso já deve ter achado um gesto bem provocativo e de certo deve ter ficado com a pulga atrás da orelha

    ResponderExcluir
  4. Esses pequenos objetos que ele enterrou na época tinham valor para ele.
    Agora só restou o simbolismo, é algo que vai sempre unir os dois nas desavenças.
    Pode ter certeza que a pulga vai ficar atrás da orelha... Por um bom tempinho.

    Agora, sobre seu capitulo... Puxa, foi tenso!
    Fiquei com dó mais uma vez do Hisashi... Sei que as coisas tendem a se resolver com o tempo, mas é angustiante essas situações que ele passa por conta da Ina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou mesmo egoista porque não conseguiria enterrar algo que acho que tem valor
      Mesmo assim é bonito, o simbolismo ás vezes é o suficiente
      Por um bom tempinho? O tempo de ela descobrir a verdade?

      Pode crer que para ele foi uma situaçao bem complicada e traumatizante para o Tetsuo.
      Ele não deve passar por muitas mais situações dessas esse é o ponto positivo ^^"

      Excluir
    2. Ele enterrou justamente porque era um tesouro.essa é a lógica do Satomi.
      Pode-Se dizer que sim...

      A segunda parte de love is strange parece que será mais suave.

      Excluir
    3. Bem a minha lógica é diferente, se é preciso tem que estar junto a mim :p
      Eu ate tenho medo duque possa vir


      Sim é... eu já tou no capitlo 3 ^^

      ok :)

      Excluir
    4. Se bem que estamos falando da lógica de um menino de seis anos.
      Pode ser que a lógica do Satomi seja diferente agora.
      Ah, a reação da Hanabi não vai ser nada boa mesmo...

      Rima, vou lá lavar louça, assim que der eu volto, viu?

      Excluir
    5. Sim é verdade é a lógica de uma criança e cada criança tem as suas manias
      Espero que agora seja uma logica mais centrada em oferecer felicidade ao Hitaki
      Imagino só não põem o filho numa internato porque...porque...
      Do mesmo jeito que imagino a Ina fula com o Tetsuo se descobrisse que ele namorava outro rapaz

      Ok sem problema
      Também tenho a minha para lavar ^^"

      Excluir
    6. É... Na verdade é uma lógica que tem a ver bastante com doar-se.
      No internato não porque o Hitaki já está no terceiro ano do secundário, mas ela bem quer mudar o Hitaki para a escola do Tetsuo... Isso ainda não decidi se vai acontecer.

      Excluir
    7. Pois eu para doar alguma coisa enrolo demais... ( a minha mãe faz o favor de doar a minha roupa que não uso)
      Quando decidir me diz alguma coisa ^^"

      Excluir
    8. E eu doei um monte de brinquedos do Luan e ele nem deu falta. (Ele não brincava com aqueles brinquedos pra mais de um ao ou mais)
      É que eu acho que se o Hitaki fosse morar perto ou com o Tetsuo, ia complicar seu enredo... Não ia?

      Excluir
    9. rsrsrsrsr criança é mesmo assim nem dá falta, mas uma altura minha mãe duou um cãozinho de pelucia e eu senti bem a falta dele... depois acabou por me dar um urso para compensar a perda XD

      Não para mim tudo bem é da maneira que a comunicação entre eles facilita... agora não sei se não complica o seu

      Excluir
    10. Mas, eu só dou aqueles brinquedos que eu sei que ele nem vai dar falta mesmo... Eu sei quais são importantes para ele, ficam num baú a parte.

      Talvez, o Hitaki possa morar por perto... Eu vou pensar direitinho e te falo.
      Olha, se eu sumir... É porque está trovejando, está começando a dar umas trovoadas por aqui, tá? Vou ficando enquanto dá.

      Excluir
    11. Isso é fixe da sua parte.... minha mãe foi logo pegar no meu cãozinho -.-" Ele ladrava e tudo...

      ok depois me fala :)
      Não se preocupe.... para sabado essas trovoadas vão vir para aqui ( pelo menos dão trovoada )

      Excluir
    12. Rima, eu vou ter que desligar o pc.
      As trovoadas persistem.
      Assim que der a gente se fala, viu?
      Grande beijo! ♥

      Excluir
    13. Ok....
      Até mais Mel
      Beijinhos

      Excluir
  5. Pela primeira vez eu dou meu braço a torcer pelo Satomi e seu tesouro UOSDHSAODASOHOIDSHIUHASDHO.
    Eu acho que não importa por quanto tempo você guarda um segredo desses, ele vem a tona, cedo ou tarde. Ou você passa sua vida inteira triste. Então mesmo que não seja pelo Satomi ou que ele vá ficar com o Satomi a vida inteira, mas ele simplesmente se assumir gay.
    Apesar de que eu acho bem pesado ele fazer isso beijando um garoto na frente da mãe basicamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já é a segunda vez que sua opinião muda a respeito do Satomi ^^" ele sabe ser menos idiota quando quer.
      Mas, é fato... a verdade virá a tona quando se menos esperar.

      Excluir
    2. Verdade -qqq IUHSDHASDUSHDAUSIODH pois é, ele consegue acertar quando se esforça YUGSADGADGSDAUSD

      Excluir
    3. E o Satomi ainda deve se esforçar mais, por incrpivel que pareça deve faltar maturidade ao Hitaki mais pra frente, não ao Satomi...

      Excluir
    4. Ops! *incrível (perdoe a errata)

      Excluir
  6. @deus, que capítulo foi esse? Um dos melhores, sem dúvida.
    Sou só eu que estou torcendo com os dedos cruzados para eles se beijarem? Faz isso acontecer Mel! Por favor, eu nunca te pedi nada. Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que legal que você curtiu, Torie.
      Ih... Aí já não sei... Você me complica, moça. :p
      Já estou longe nessa estória, com o episódio 9 terminado!
      Olha, se eu não puder realizar seu desejo no capítulo seguinte, farei o possível em outro capítulo que você tiver um pedido para me fazer, viu? ;D

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...