27.3.16

Boys Out of Print Capítulo I por Mel Kiryu


 Capítulo I

       Era estudante do turno da noite, estava no primeiro ano e tinha dezesseis anos.
       Depois de viver platonicamente algumas apaixonites juvenis, Stephen finalmente sentiu uma paixão memorável.
        Não memorável no sentido de ter sido vivido e inesquecível, mais no sentido de ter sido fulminante e mal ter começado para ter história para contar.
     Por isso, Stephen estava triste e não conseguia esconder.

     Parecia ser o fim, porque pela primeira vez estava levando a sério o que sentia.
     Estava na escola porque precisava estar, mas se pudesse não estaria em lugar algum.
     Pediu licença para ir ao banheiro durante a aula de História, mas não voltou para a sala. Encostou-se junto a parede rabiscada e vandalizada por outros alunos e suspirou, aspirando com indiferença o odor dos mictórios do banheiro masculino no segundo andar.    
    Faltava dez minutos para o intervalo, o corredor parecia estar silencioso e os alunos estavam ainda em suas salas.
    Por isso, não reprimiu sua vontade de chorar.
    Não que seu rosto se franzisse e soluçasse. Ao contrário, vinha devagar primeiro a lhe turvar os olhos e lentamente aquela dor ia endurecendo as maçãs do rosto, fungou de manso e uma lágrima ou duas desceram por sua face.

     Esfregou de leve a manga do camisão bege e marrom sobre os olhos, deixando escapar um pequeno soluço e quando tornou a esconder a mão no bolso do jeans se deparou com outro rapaz urinando em um dos mictórios.
    Não era qualquer um, não podia ignorar.
    Era um carinha do terceiro ano, costumavam bater papo no intervalo e na hora da saída.
        Ambos adoravam música, tinham começado uma amizade despretensiosa por causa da capa de seu caderno, onde tinha colado uma dezena de nome de bandas recortadas de uma revista.
    Seu nome era Lysander e enquanto fechava a barriguilha da calça já estava olhando com interesse em sua direção.
__Steph... Tudo bem?
__U-hum... Beleza.__ Stephen tinha a voz falha, sua tez ameaçando se franzir desmentia suas palavras.__ Só quis dar um tempo da aula de História... Estava um saco.
__Ah, não é isso não.__ Lysander rebateu, arqueando de leve os lábios.__ Quando eu entrei, vi que estava chorando... Não vem dizer que caiu um cisco em cada olho.
__Isso... Isso não tem importância e você tem que voltar para a aula... Não tem?
__Ah, entendi... Você não quer é me contar o que está rolando.
    Lysander era ligeiramente mais alto e se encostou na parede rabiscada bem ao lado de Stephen.
   Não era bem isso, até queria desabafar. Mas, sempre conversavam sobre música e em verdade, um sabia pouco sobre a vida do outro.
__Você vai me achar estranho se eu contar...
__Acredite ou não, eu também choro... Não no banheiro da escola, né?
    Seu tom de brincadeira fez Stephen rir por um instante:
__Viu? Foi o que eu disse... Você não choraria no banheiro da escola, também acho que você não é do tipo que ganha fora de garotas.    
__Você foi rejeitado? Deixa que eu falo com ela... Rapidinho ela acorda e vê o que está perdendo.
__Essa pessoa... Não é da escola.
__Nada me impede de te dar uma força.
__Lys...__ Suspirei.__ Não adianta... Faz algum tempo que eu gosto dessa pessoa, hoje eu me declarei... Nunca eu tinha dito em voz alta que gostava de alguém...
    A cada segundo ficava mais difícil de contar, segurou dessa vez a vontade de chorar tentando estrangular esse ímpeto na altura de sua garganta.
__E ele riu de mim...
    Essa não! Tinha dito "ele" e quase engasgou com a saliva, ia corrigir gritando "não! Ela, ela, ela!"... Mas, a voz de Lysander cortou Steph, a lançar um olhar de soslaio.
__ELE?
    Pensou em mentir, mas reconsiderou... Não tinha muitos amigos como o Lysander por aí.
__É... "Ele"... Ouviu direito.
__Ele riu de você?
__Riu... Disse que gosta de garotas, que eu estava confundindo as coisas... Como ele pode dizer isso? Eu sei o que estou sentindo... Que bosta... E agora, você que deve estar me achando um esquisito...
__Na verdade não.
__NÃO?__ Steph fitou Lys com incredulidade.
__Não ligo se é gay... Ainda sim é o mesmo Steph com um gosto pra música do caramba!
    E Lysander sorriu abertamente a dar os ombros, fingindo ter um par de baquetas na mão, quando gostava era de tocar violão.
__Então... Talvez, seja melhor a gente falar de música.__ Steph sugeriu forçando um pequeno sorriso.
__Isso te ajudaria a não ficar triste? Não me importo se quiser desabafar... Já vai dar a hora do intervalo mesmo.
    Era muita sorte, ao menos era assim que Steph pensava. Não saía contando por aí que gostava de garotos e tinha medo da reação de quem ocasionalmente descobrisse. Quando Lysander levou o fato tão numa boa, sentiu-se mais do que aliviado.
    Assim que soou o intervalo saíram do banheiro masculino e desceram as escadas, saíram do prédio da escola a caminhar em torno da quadra vazia... Era o que precisava.
              Uma conversa de dez minutos com um bom amigo à luz do luar.

7 comentários:

  1. Bom dia Mel
    Espero que tenha tido uma boa pascoa
    Essa história começa logo com uma rejeição amorosa, ninguém merece mesmo sabe, mas mesmo que amigos falem apenas de musica podem começar a falar de algo mais :)

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, minha amiga!
    Foi sim, uma páscoa tranquila. ^^" (não poderia pedir mais do que isso)
    E a sua? Foi legal?

    É porque essa rejeição amorosa mexeu comigo e eu tinha que fazer uma coisa com ela... Então, decidi colocá-la na estória, assim aproveito e tiro um sarro de mim mesmo. :p
    Mas, quem sabe... né?
    Através da música pode surgir algo mais.

    ResponderExcluir
  3. Foi boa sim.... mas bem corrida isso sim!

    Rejeição são um trauma por isso toda ao quase toda a gente tem medo da rejeição e em certos casos nunca se chega a declarar...
    Hummm... assim me deixa curiosa

    ResponderExcluir
  4. Eu imagino, foi uma páscoa corrida para você... E de muito trabalho, imagino.

    Eu nunca tive medo de rejeição, esse é o problema.
    Quando eu tinha que dizer o que sentia... Simplesmente dizia.
    Mas, como essa paixão eu levei a sério, fiquei magoada e levei um tempão para superar.
    Quando escrevo sobre ela... Vejo que hoje em dia estou resolvida com isso.
    (Essa é a intenção. XD)

    ResponderExcluir
  5. Sim... no sabado trabalhei das seis e meia da manhã ás seis da tarde, ontem foi só de manhã mas tinha muita gente e de tarde o compasso andava muito adiantado novamente andei nas corridas

    Já eu tenho esse problema acho que nunca digo o que deveria dizer e acabo me arrependendo, mas viu você disse e acabou ficando magoada
    E ainda bem que está resolvida :) Mas também acho que superou isso apartir do momento que achou um novo amor

    ResponderExcluir
  6. Puxa, agora Rima merece uma folguinha.

    Fiquei, né?Acho que criei muita expectativa sobre este rapaz e mesmo depois de casada me sentia estranha quando topava com ele na rua... Mas, hoje em dia não.
    Nessa estória estou aproveitando para exorcizar dois fantasmas de uma vez só. ^^"

    Rima, eu vou ter que ir ao Correio.
    Demorei um pouquinho a te responder porque estava eu aqui respondendo uns e-mails de trabalho.
    Desculpe ter que sair assim (ainda mais que senti sua falta no final de semana).

    Grande beijo <3

    ResponderExcluir
  7. Acho que mereço mesmo, eu tenho essa semana só ainda não sei quando

    Uma pessoa sempre cria expectativa mesmo que não queira criar assim tanto...
    É mesmo uma boa maneira de exorcitar :p

    Sem problema...
    A gente conversa amanhã melhor ^^"
    (Também senti <3)

    Beijão para si também

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...