17.3.16

Tulipa vermelha Capitulo 10 por Rima-san


Capitulo 10
A libertação

        Mamoru entrou no quarto subterrâneo e encontrou Kaoru acorrentado parecendo mesmo um bichinho inocente que apelava para ser salvo, sua camisa riscada estada desabotoado e suas calças tinham sumido, seus óculos já tinha escorregado até  á ponta do nariz e quando seus olhos encontraram Mamoru na porta suspirou de alivio.
_Como vieste aqui parar?_ Mamoru fechou a porta e caminhou até junto dele.
_Eu me lembrei onde moravas e decidi ver se te encontrava._ Sorriu apesar de seus braços doerem de esticados que estavam.
_Não devias ter vindo atrás de mim é perigoso._ Olhava o molho das chaves procurando a que devia ser a correta para abrir as algemas que aprisionavam Kaoru.

_Eu sei.._ Falou baixo e baixou se rosto e enfim seus óculos caíram.
_O que fizeram contigo? Perguntou largando o molho das chaves e apanhou os óculos de armação frágil.
_Um rapaz que…. Falou ser teu irmão me prendeu aqui…. E outro, me tirou a roupa! Tocou-me em todos os lados falando que estava me examinando!_ Corou envergonhado._ Quando eu quiser ser examinado vou ao médico._ Mamoru riu e colocou-lhe os óculos na face.
_Hiromi-sama é médico, tem uma obsessão por analisar pessoas principalmente humanos._  Mamoru se tinha sentando ao lado dele._ Ainda bem que ninguém te mordeu…_ Conferiu passando os dedos naquele pescoço tenro e macio.
_Não… mas…. Me tiraram sangue…_ Falou contra feito._ Mamoru… por favor me tira daqui.
_Ah… a verdade é que eu não sei qual a chave._ Seus olhos negros olharam o teto._ Então acho que vou ficar a fazer-te companhia… sei lá… acho que ficas bem atraente desse jeito._ Kaoru puxou as correntes que o prendiam e aqueles olhos negros o fitaram intensamente, sua língua deslizou pelo lábio inferior, Mamoru estava provocando-o.
Levantou-se e trancou a porta não queria ser incomodado por outros vampiros e de pé de fronte a Kaoru puxou-lhe os cabelos enquanto suas bocas se encaixavam , o beijo tornou-se intenso e Kaoru começou a esquecer da dor em seus braços.
_Mamoru…_ Sussurrou seu nome no termino do beijo._ Estás a ficar bem atrevido.
_Ainda não viste nada._ Seu sorriso era sarcástico e segurava-o pelo queixo.
_Podias aguentar mais um pouco, agora não é o momento indicado._ Replicou sentindo seu mamilo ser tricando.
_Se não é para mim tanto faz…_ Sua mão deslizou pelo umbigo dele devagarinho, chegando mais a baixo._ Tu nem podes esconder tua excitação._ Não tinha como esconder, Kaoru só trajava seus boxers e acorrentado daquele jeito não tinha como fugir, mas de facto não queria, rendia-se aos encantos de Mamoru e sua excitação se tornava mais toda a vez que ele o tocava.
_ No final de contas de quem é culpa?_ Trincou o lábio ao ser tocado em seus genitais.
_É tua porque me ficar provocando desse jeitinho manso._ De novo seus lábios se tocaram enquanto puxou os boxers de Kaoru até ao meio das coxas, seus lábios se separaram num estalido e Mamoru encarou sua própria excitação dentro das calças, abriu o ziper e ela logo saltou para fora, acariciou sem próprio membro enquanto Kaoru o observava.
_Estás bem duro._ Comentou com o desejo ávido, sentando no chão frio abriu suas pernas como se lhe estivesse dando permissão.
_Nunca pensei desse jeito por outro homem._ encaixou-se em Kaoru e sua glande roçou-lhe bem a entradinha.
_ vai devagarinho…_ Pediu sentindo aquilo forçar seu ânus._ Se não vai doer._ Mas Mamoru ignorou seu concelho e enterrou tudo de uma vez dentro do professor que logo gemeu, puxou pelas correntes como se pudesse ver-se livre delas._ Tu és terrível!_ Seus olhos humedecer e Mamoru se afastou terminando com a penetração, ainda assim estava excitado e estava ansioso para o penetrar outra vez.
_Então faz tu melhor!_ Resmungou sentando-se na frente dele e Kaoru o fitou teso, esticou-se até conseguir sentar em seu quadril, sentia-o ruçando suas nádegas  ergueu um pouco seu rabo e tentou acertar no sitio certo para ser penetrado, acabou tendo uma pequena ajuda de Mamoru e gemeu sentindo o membro dele se enterrando lentamente dentro dele, puxava pelas correntes para controlar o movimento de vai e vem enquanto Mamoru só o observava tendo que fazer o trabalho todo.
_Podias ajudar um pouco._ Censurou-o exausto e sem dizer nada Mamoru agarrou-o pelo quadril intensificando os movimentos, ambos gemiam de prazer e quem estivesse do lado de fora da porta podia os ouvi-los mas isso não importava mais, Kaoru chegou ao orgasmo não levou muito tempo e log depois Mamoru.
Deitou-se no chão erguendo o molho de chaves e procurou a chave para libertar Kaoru, depois do breve descanso ergueu-se fechou o ziper das calças e se levantou abrindo as algemas.
_Afinal esse tempo todo tu sabias quais eram as chaves?_Kaoru massajou seus próprios pulsos doloridos e Mamoru riu-se divertido da cara dele, contudo a brincadeira acabou logo assim que ouviram a porta ranger.
Alguém os estava a espiar…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...