18.4.16

Love is strange 2 Capitulo 8 por Rima-san


Capitulo 8
Os presentes do coração são os melhores

          No regresso para casa  Hisashi colocou a duvida duque queriam jantar, tinha sobrado comida do almoço ou preferiam outra coisa, ao que  Masaki se aprontou para ser ele a fazer o jantar, Nobuhiko espantando achou melhor se oferecer para ajudar, contudo chegados a casa Masaki recusou a ajuda.
        O combinado fora montar a playstation apenas depois de jantar e desse jeito Hisashi acabou por mostrar ao filho o jardim nas traseiras  os dois se sentaram no pequeno alpendre, ouvia-se os passarinhos a cantar e ao longo o som dos carros a passar na rua.

_E que tal filho, estás a gostar?_ Hisashi perguntou observando uma borboleta dançar entre as flores.
_Claro que estou…_ O menino disse balançando as pernas.
_ Sinto que estás um pouco retraído para o costume, tem alguma coisa que não te está a agradar?_ Hisashi tornou a insistir e Tetsuo se manteve calado por um tempo.
_Pai…. Não é nada…_ Suspirou sem saber se explicar._ O problema é que agora tudo é diferente…. Essa casa não é a minha.
_Claro que é… tens a liberdade toda para fazer o que quiseres aqui nem precisas de perguntar._ Argumentou e o menino tentou esboçar um sorriso.
_Eu sei… e tou a gostar, juro, Masaki-san é bem engraçado me faz lembrar que tem a mesma idade que eu e Nobuhiko-san também é bem fixe…_ Engoliu a saliva pensando para si que entendia agora o motivo do seu pai sair de casa, agora estava junto de pessoas acolhedoras.
_Quem é fixe?_ Tetsuo estremeceu e voltando-se para trás deparou-se com Nobuhiko encostado á porta.
_ É feio ficar escutando ás portas._  Hisashi resmungou e Nobuhiko se riu sentando-se ao lado deles.
_Mas eu realmente fico feliz em ouvir o Tetsuo-kun dizer essas coisas._ O menino ficou calado e sem jeito._ Eu quero que venhas mais vezes._ Sorriu-lhe prosseguindo o discurso._ Sei que te oferecemos uma playstation, não o fizemos para te comprar e para nos divertirmos, para uma próxima podemos não te dar nada…. Apenas não leves a mal o que te estou a dizer.
_É Tetsuo a gente quer te aqui, feliz, mas felicidade não se compra.
_Pai…. Eu fiquei feliz apenas com o encontro de hoje, se não me tivessem dado a playstation eu não ia ficar zangado, nem nada assim…_ Tentou compor do jeito que melhor sabia._ Para a próxima não preciso que me dê nada.
_ Para a próxima, o quê?_ Os três olharam para trás e mais um escutava á porta, dessa vez era a vez do Masaki.
_Não devias estar a fazer o jantar?_ Nobuhiko perguntou invasivo e logo vieram a descobrir que o jantar que ele havia preparado tinha sido encomendar duas pizzas familiares, ainda assim o jantar foi deveras delicioso e o serão ainda melhor, juntaram-se os quatro na sala a montar a playstation e a jogar, o ambiente fora de pura descontração.
No final cada um foi para os seus quarto, Tetsuo tinha dito que não se importara de dividir o quarto com Masaki e esperava sentando na cama trajando o pijama por seu colega enquanto mexia no telemóvel.
_Ainda acordado?_ Masaki entrou no quarto com os cabelos totalmente soltos.
_Sim… _ Retorquiu dando um espaço para ele e pousou o telemóvel sobre a mesinha de cabeceira.
_Hum… ainda bem, tenho uma coisa para ti._ Sorriu-lhe e retirou a sacola de trás das costas.
_É para mim?_ Tetsuo olhou-o desconfiado.
_Claro que é!  Abre logo._ Tetsuo acabou pegando receoso o embrulho e logo seus olhos brilharam ao deparar-se com o livro que tanto queria “O homem sem qualidades”.
_Nossa! Eu queria esse livro faz um tempão! Obrigada…serio obrigada!_ Ainda passava os dedos na capa  dura sem acreditar que tinha conseguido aquele livro.
_Ainda bem que gostaste, queria mesmo te dar alguma coisa que gostasses._ Masaki se atirou para cima da cama ficando encarando o teto.
_Porquê? Querias assim tanto me agradar?_ Tetsuo encarou aquele rosto pálido e os olhos lilases o fitaram com intensidade.
_ Porque eu quero ser teu amigo, isso não é suficiente?_ Interrogou e descruzou os braços por de trás da cabeça.
_Sim…. Mas… eu nem sei como agradecer._ Tetsuo de novo se sentia tímido e sem jeito.
_ Um abracinho é o suficiente._ Esticou os braços e o menino acabou cedendo ligeiramente constrangido e foi apanhado por aquele abraço que se tornou mais apertado duque julgara, não se lembrava de alguma vez estar colado a outro corpo daquela maneira, a ponto de conseguir sentir as batidas do coração de Masaki se misturarem com as dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...