3.5.16

Boys Out of Print Capítulo VI por Mel Kiryu


Capítulo VI

       Uma semana depois.

      Descobriu um reduto gay na cidade onde morava.
    Era um barzinho legal, mas Stephen não estava muito seguro em ir sozinho, ainda mais sendo  menor de idade.
   Numa noite de quinta-feira não foi na aula, embarcou num ônibus e foi dar uma checada no ambiente desse bar.
    Muito embora, nem conseguiu entrar.
    Não teve coragem.

    Era muito desespero da sua parte essa vontade de esquecer Lysander, sentia-se propenso ao erro.
     Stephen já tinha recebido vários olhares furtivos de homens mais velhos cruzando aquela calçada, alguns tinham lhe sussurrado gracejos.
     Mesmo assim, acabou sendo abordado por outro rapaz quando estava rondando as próximidades do bar.
        Era um rapaz um pouco mais velho nem bonito e nem feio, usava um piercing prateado nos lábios, o cabelo loiro escuro num charmoso desalinho, uma blusa de gola V por baixo da jaqueta forrada com pelos, jeans coladinho no corpo.
    Se apresentou como Gregory.
__Nem precisa dizer... Está perdido.
__Não... Matei aula e vim aqui porque quis.__ Stephen resumiu umidecendo os lábios resseqidos com a língua.__ Mas, confesso que estou menos a vontade do que imaginei.
__De longe percebe-se que está no lugar errado... Quantos anos tem? Quinze?
__Dezesseis... Por quê?
__Você não pretende entrar aí... Pretende?__Gregory inqueriu, os dedos na presilha da calça.
__Está preocupado com um estranho? Acho que vi você saindo desse bar... Se entrou, é porque deve achar que tem algo de bom nele.
__Se eu saí e prefiro estar com você... Com certeza não tem mais nada lá que valha a pena.
    Gregory lhe sorriu, o piercing prateado no lábio realçava seu sorriso, os dentes da frente eram levemente separados e seu cabelo tinha nuances douradas sob a luz artificial da rua.
__Não quer dar um pulo num quiosque no fim da rua? Fazem uma vitamina de morango muito boa... Eu pago.
__Vitamina... Sério?__ Stephen riu.
__Vitamina e pastel doce... Que me diz?
     Stephen sentiu os pés oscilarem dentro dos tênis de cano alto, pendeu um pouco a cabeça para o lado a umedecer mais uma vez os lábios num gesto nervoso, sua mão segurava com força desmedida a alça da mochila dependurada em seu ombro.
__Eu topo... Vai ser legal.
    Para uma noite fria, não achou que vitamina seria a melhor opção. Mas, saíram caminhando lado a lado, trocando olhares.
    E para sua surpresa foi melhor do que esperava.
     Gregory parecia conhecer bem o homem que atendia no quiosque, o chamou pelo primeiro nome, pediu vitamina de morango para dois.
   Ali por perto o ambiente parecia mais tranquilo, o gosto vívido do morango pairava em sua boca agora geladinha.
        Doce e azedinho, encorpado.
   Naquele instante que estava no quiosque conversando com Gregory e um casal de garotas que passeavam de mão dadas aproveitando a noite, esqueceu-se por um tempo do frio, esqueceu-se do lugar onde deveria estar.
     Stephen tinha que voltar para casa dentro do horário de término da escola, por isso Gregory o acompanhou até o ponto de ônibus, tirou um maço de cigarros de bali do bolso interno da jaqueta junto com o isqueiro azul.
__Tudo bem se eu fumar?
__De boa.
    E Stephen soprou entre suas mãos em concha depois esfregou uma na outra, atento ao tráfego na rua.
   Sem perceber de todo que Gregory não tirava os olhos dele nem na hora de acender seu cigarro.
__Está sentindo muito frio?__ Gregory indagou depois de tragar seu cigarro.
__Acho que a vitamina colaborou um pouco para isso...__ Stephen riu encostado no apoio da marquise.__ Mas, foi a melhor que eu já tomei... Valeu.
__Ah... Eu que agradeço por ter matado aula.
     Gregory encostou-se no outro lado do apoio da marquise, perto e aconchegado em Stephen.
__Isso não deve acontecer de novo.__ Stephen retrucou distraído.
__Por quê? Ficou arrependido pelas últimas horas?
__Não... Boa companhia, boa vitamina de morango... O que mais um cara pode querer?
__Não sei você... Mas, eu sei o que mais um cara pode querer.
    Nunca tinha experimentado clima semelhante com outro rapaz, os climas que que incidentalmente ocorriam entre ele e Lys eram como discretas nuvens brancas pairando no ar, no plano de fundo de um vasto céu azul.
   O clima com Gregory era como ter faíscas escapando de uma fogueira crepitando com vontade, o calor se propagando em meio ao frio daquela noite.
   O aroma diferenciado do cigarro de bali criava uma atmosfera, as luzes artificiais da rua ou as sombras criadas pela marquise na parada de ônibus.
    Todos os contrastes da noite acrescentavam aos seus olhares percorrendo a tez um do outro.
__Você agora é meu.
    Os olhos de Gregory sorriram ao dizê-lo, seus lábios ternos também, o piercing dentro daquele sorriso reluziu.
    Era verdade que esperava ser beijado, todos os indícios apontavam para isso. Mas, não era um beijo unilateral, os dois queriam.
   As duas bocas conectadas se abriram de bom grado, suas línguas se envolveram e sentiu a mão de Gregory afagar longamente seu rosto...  
    O gosto de cravo, uma leve dormência na língua.
      Nas entrelinhas do beijo um segundo encontro estava previamente marcado.

 

12 comentários:

  1. Oi Mel
    Bem que dizia que ia gostar do Gregroy, parece que deu um ar de leveza aos problemas que rodeavam o Stephen

    ResponderExcluir
  2. Oi, Rima! O Gregory é uma pessoa super do bem e alto astral.
    Mas, não vai ser fácil assim lidar como sentimento que ainda existe pelo Lys.

    ResponderExcluir
  3. Tou imaginando uma pessoa de paz e amor <3
    Esse sentimento fica sempre, mesmo que adormecido fica

    ResponderExcluir
  4. Ele é e apaixonadinho pelo Stephen, mas a questão primordial é que o sentimento por enquanto não vai adormecer.

    ResponderExcluir
  5. Ainda pior fica ali esfaqueando o coraçãozinho do Stephen ainda é pior

    ResponderExcluir
  6. Por isso o Gregory a princípio não vai ter o valor que merece... Enquanto o Lys estiver por perto -.-"

    ResponderExcluir
  7. Agora fico com pena do Gregory, mas quando uma pessoa ama outra nem sequer olha para as outras que estão á sua volta

    ResponderExcluir
  8. E o Gregory até vai tentar lucidar o Stephen sobre a relação dele com o Lys não estar fazendo bem para ele, mas ainda sim... Na segunda parte da estória acho possível o Stephen conseguir se libertar desse sentimento que o prende.

    ResponderExcluir
  9. O problema é que talvez se liberte e o Lys ai dê falta dele, entende onde quer chegar? Ai o Stephen ainda cai na asneira de recuar na decisão

    ResponderExcluir
  10. Ih... Será que isso vai acontecer? Ainda estou no início da segunda parte, sabe... E essa parte está um pouco difícil de escrever, porque se refere a época em que eu fiquei meio deprimida (e claro, o Stephen idem) por tudo ter tido um desfecho tão mal entendido... Então, eu tenho que criar uma situação que salve o Stephen desse momento ruim e deve ter a ver com o Gregory.

    ResponderExcluir
  11. Mas o Gregory parece-me mais que a pessoa indicada para essa função o problema é que para o Stephen não deve ser a pessoa que ele deseja...
    Bem Mel
    Eu vou ter de sair
    Beijinhos e até amanhã <3

    ResponderExcluir
  12. Mas, pode se tornar uma pessoa que ele precise e realmente se torne necessária.
    É o que eu espero conseguir.
    Oh... Mas, já? Demorei um pouco a aparecer, né? Desculpe, hoje trabalhei até mais tarde.
    Até amanha! ^^"

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...