30.5.16

Kind of Blues – Episódio 7 Parte 10 por Mel Kiryu


Kind of Blues – Episódio 7 O fio vermelho do destino desamarra sem querer
Parte 10 (por Hitaki Kiriya)

               Imagine uma partida de ping-pong debaixo de uma chuva brava onde eu sou a bola.
           Estou sendo jogado de um lado para o outro e nada faz sentido para mim, na maioria do tempo apenas me sinto ensopado e perdido.
      Nem sinto a bem dizer mais o impacto, estou cansado e amortecido.
      Assim tem sido os dias do curso de verão.
       Logo depois que saí do banho e estava quase de saída para jantar no restaurante familiar do Albergue, meu celular que estava carregando tocou de novo.
      Mas, não era Satomi.

__Oi, Hitaki... Desculpe por aquilo, sabe? Quando vínhamos juntos...
__Sem problemas, Tsukemi... Seu pai não me conhece, é normal ficar desconfiado.
__Não está tudo bem... Isso é sufocante.
     Havia mais emoção do que eu estava acostumado na voz de Tsukemi, que parecia estar brandamente zangado.
__O que é sufocante?__ Perguntei um pouco surpreendido.__ Se está se referindo ao comportamento de seu pai, diga a ele como se sente.
     Ouvi uma risada incrédula, curta e abafada e Tsukemi emendou sua voz pouca expressiva nela:
__Justo você me diz isso?
__Justo eu... O maior mentiroso de todos, por isso mesmo eu sei e posso dizer com toda certeza que estou fazendo tudo do modo errado.
     Depois ouvi um suspiro de desdém, Tsukemi parecia bem emocional naquela noite.
__É? Mas, parece dar certo para você.__ E ele suavizou a voz.__ Tenho a sensação que meu pai não vai escutar se eu disser como me sinto... Isso seria frustrante, Hitaki.
__Olha... Não é mais frustrante do que ficar guardando tudo para você.__ E ouvi minha barriga vazia roncar.__ Por tudo que é mais sagrado, não faça do meu jeito! Ou vai se afastar do que é mais importante... Vai ficar sozinho e com fome.
__Com fome?__ Tsukemi riu.
__Ah, é... Com muita fome.__ E meu riso emendou no dele, era como se as nuvens de chuva abandonassem o céu e enfim fosse visível aquele azul.__ E faça um favor a si mesmo... Diga ao seu pai que você quer fazer Belas Artes e não Direito ou Engenharia! Diga a ele que você vai reinventar a Monalisa e o afresco do teto da Capela Sistina.
__Ha, ha!...__ O riso de Tsukemi soou bobo como nunca.__ Agora eu sei que você está mesmo delirando de fome.
__Por isso mesmo eu vou jantar e você vai aproveitar o fôlego dessa conversa boba para ter aquela conversa decisiva com seu pai.
__Hitaki... Você se arrepende das suas escolhas até esse momento?
__Em parte sim... Cheguei num ponto que não sei mais o que é mentira ou verdade.__ Respondi puxando a toalha úmida antes sobre meus ombros.__ Estou fazendo o que deveria e no lugar que escolhi estar, mas sempre no limiar da insatisfação... Se está querendo perguntar se eu faria tudo diferente se tivesse uma segunda chance... Eu o faria, Tsukemi.
     Ouvi sua respiração, a sua ausência de palavras, imaginei que devia estar meditando no que eu tinha terminado de dizer.
        Por isso, eu quebrei aquele breve silêncio em tom de brincadeira:
__Tudo bem se eu for jantar agora? O próximo som que deve ouvir é da minha barriga roncando...
__De acordo... Mas, saiba que eu fico agradecido por ter tomado as decisões erradas, ou eu não teria Kiriya Hitaki como amigo.
      Eu sorri retraído para mim mesmo, foi minha vez de calar...
 Talvez fosse a fome, mas eu não tinha certeza se ter minha amizade era um motivo real para se sentir feliz.
                 
                                                     **************
              Durante o jantar no restaurante familiar do Albergue, tirei o celular do bolso cogitando ligar para Togashi.
    Era de se imaginar que ele aparecesse para me buscar como na noite anterior, mas já que eu esperava a ligação de Satomi achei melhor ter o bom senso de passar a noite sozinho no meu quarto alugado.
     Não conseguir falar com o celular dele, se quer chamava.
     Aliás, eu estava meditativo sobre Tsukemi e vim pensando nele de volta ao dormitório enquanto enfiava o celular no bolso da minha calça.
     Foi quando me deparei com outra noite que ia ser longa.
     Togashi estava encostado na porta de meu quarto e Kurage estava conversando algo com ele.
     O diálogo entre eles terminou secamente assim que Togashi percebeu minha aproximação, desencostou da porta e Kurage se afastou devagar a olhar de soslaio para mim.
__Vai me fazer buscá-lo aqui todo dia?__ Togashi sorriu amoroso a me fitar.
__Eu tentei ligar para você...__ Eu retruquei puxando minha chave do bolso traseiro.__ Mas, nem se quer chamou seu número.
     Fui abrindo a porta, sentindo que a uma pequena distância o olhar de Kurage estava em mim.
__Não sei quanto tempo faz... Mas, o sinal de rede dos celulares locais ficaram ruins por causa do temporal.
     Nós entramos juntos no quarto e somente assim fiquei um pouco menos preocupado, tirei meu celular do bolso e constatei o que Yuki dissera sobre o sinal de rede estar ruim.
    Era verdade.
    E de pronto fiquei inquieto.
    Satomi poderia ter tentado me ligar, talvez ainda tentasse...

      Se o sinal estava ruim, eu ia passar mais uma extensa noite sem ouvir sua voz.    
   

27 comentários:

  1. dear @god eu só quero q meu shipp volte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Torie! Já estava eu sentindo falta dos seus comentários ^^"
      Se o seu Shipp incluir o Satomi, ele não tarda a aparecer.

      Excluir
    2. boaa noite Mel vc poderia postar o episodio 2 e as partes por favor la no episodio 1 parte 3.Mel eu quero muito ver a foto do yuki.eu nao sou muito de comemtar mais eu acompanho as historia,esses episodio que vc esta postando esta maravilhoso obrigada pela envolvente istoria.

      Excluir
    3. Oi, Dineia! Os capítulos já estão postados... Já tentou acessar o marcador "Kind of Blues" no final da postagem? Vão aparecer primeiro os capítulos mais recentes, mas conforme for acessando as postagens mais antigas, vai achar que está procurando, viu?
      Eu que agradeço por você ler.

      Excluir
  2. Olá Mel
    Ao menos o Hitaki é bom a dar conselhos, mas bom normalmente que é bom a dar conselhos não é muito bom a coloca-los em pratica
    Mas bom agora que a rede não esta boa que aproveite :p

    ResponderExcluir
  3. Hitaki é uma pessoa sensata quando analisa o problema dos outros.
    Mas, fica perdidinho quando se trata dele mesmo :p
    É... Ele vai tentar aproveitar ^^"

    (Desculpe não te responder ontem, quando eu estava de saída para ir ao Banco, uma velha amiga minha apareceu, fomos ao banco juntas e voltamos para minha casa. A conversa rendeu até o anoitecer.)

    ResponderExcluir
  4. Isso me fez lembrar a forma como ele também contribui com ajuda para o Tetsuo, agora o Tesuo não sei se seria de grande ajuda

    Não tem mal.... espero que tenha conseguido por a conversa em dia com sua amiga... sempre é bom reencontrar velhos amigos

    ResponderExcluir
  5. Será que não? Mas, também o Tetsuo é mais novo... Quando ele se sentir mais seguro, talvez consiga ter uma ideia de como ajudar um amigo gay (ou não gay :P) em maus lençóis.
    Gosto de escrever as partes do Tsukemi.

    Ah, com certeza! De vez enquanto ela aparece, a gente estava contando esses dias e percebemos que temos 21 anos de amizade.

    ResponderExcluir
  6. Tem razão talvez ele só precise de crescer e amadurecer um pouco ^^" mas não sei se vai ter muitos amigos gays, pelo menos o pai e o primo já tem :p
    O Tsukemi é bem adoravel, e ele aparenta ser sensivel com os sentimentos ou é só imaginação minha

    Nossa mas isso é uma vida!

    ResponderExcluir
  7. Ele tem 15 aninhos, não é? Pouco se sabe realmente com essa idade.
    (Vai que o Satomi depois até vira amigo do Tetsuo também, nunca se sabe)
    Ele é bem sensível sim... E fica quieto muitas vezes para evitar discussões.

    Pois é... A ironia é que um grande amigo meu (que atualmente eu não tenho tido mais contato) é que me apresentou esta amiga, os dois namoravam na época. A relação deles terminou uma ano e pouco depois, mas minha amizade com ela não.

    ResponderExcluir
  8. Sim... é meio que ainda uma idade problemática
    ( amizades impossiveis sempre podem surgir, digamos que isso ia ser uma amizade dolorosa pela parte que toca ao Masaki)

    Isso que é ironia, ao menos desse namoro saiu uma coisa boa, sua amizade com ela

    ResponderExcluir
  9. Concordo, para mim também foi.
    (o Masaki ia se sentir ameaçado pela beleza felina do Satomi? rsrs... Não creio!)

    Pois sim, ela disse que foi a única coisa boa depois de tudo...
    Mas, eu disse a ela que como ele foi o primeiro namorado dela, não se pode ignorar a experiências que ela adquiriu.

    Rima, cheguei na parte 3 do livro do Murakami.
    Fiquei meio decepcionada com o Toru quando no fim do livro 2 decidiu que ia colocar a Kumiko de novo na vida dele de qualquer maneira e no pé que vai a estória, acho mesmo que ele consegue.

    ResponderExcluir
  10. Acho que toda a gente nessa idade se sente problematico
    ( olha que não sei ao menos o Satomi é mais novo ou seja não tem tantos anos os separando)

    Ah sim imagino mesmo que primeiro namorado não se posso esquecer, no fundo representa uma parte importante da vida

    Ah mas sabe que eu vou no capitulo oito e ele ainda não fez praticamente nada ou mesmo nada para encontrar a Kumiko?

    ResponderExcluir
  11. Entendi... Seria interessante se eu conseguisse escrever um capítulo com os quatro rapazes... (cinco se contarmos com o filho do Satomi).

    Com toda certeza! Foi ela que terminou com ele depois de tudo... Nossa, ele ficou uns bons anos sofrendo pelo término.

    O Toru está estranho... Indo para Shinjuku e arrumando encrencas, ou fica vagando por aí sem tomar qualquer atitude... Isso nem pode ser mais depressão, sei lá... É conformismo.

    ResponderExcluir
  12. Até que ia ser mesmo *-*

    Era sinal que ele gostava bem dela quando se perde uma pessoa que se gosta muito leva seu tempo não é mesmo?

    Mas é um conformismo que eu não gosto o conformismo de que não tem nada e não se importa com isso

    ResponderExcluir
  13. Bom... Vou considerar a possibilidade.

    Gostava sim, levou anos para superar o rompimento com ela. Cheguei a ir num show com os dois quando o término era uma ideia recente e acabei no meio dos dois (não por minha vontade), óbvio que não se resolveu nada... Mas, ele queria ficar perto dela.

    O Toru de certo modo, tem uma personalidade ruim... Não ruim para quem convive com ele, mas é ruim para ele mesmo.

    ResponderExcluir
  14. ENtão considera, afinal é uma coisa dificil

    A Mel foi mais tentar dar uma ajuda, mas sei lá quando as coisas não funcionam, mais cedo ou mais tarde acontece o inevitavel, como se fosse obra do destino

    Sim ele é bom e compreensivo com os outros, mas para se auto-ajudar não sabe nem o que fazer

    ResponderExcluir
  15. Não sei... Não é que seja difícil, mas tem um tempo que não escrevo Kind of Blues. Se eu retomar, pode ser que aconteça!

    Eu tinha mais amizade com ele à princípio, então ele desabafava comigo e eu queria fazer algo para ajudar, daí chamei ela para ir nesse Show também... Pensei que podia acontecer dos dois se acertarem (tudo bem que se isso acontecesse, eu ia segurar vela...)

    Não mesmo, tá mais perdido que o gato. -.-"

    ResponderExcluir
  16. Sério? Eu ando bem entusiasmada com love is strange ^^"
    Mesmo que não faça esse capitulo espero que recomeça

    São coisas que a Mel não esquece, você tem muitos amigos

    Porque né... até o gato soube voltar a casa quando lhe apeteceu

    ResponderExcluir
  17. Espero sim... Ainda mais que agora tem uma criança no meio, eu sei que estou travada justamente por causa disso... Mas, quero muito voltar a escrever.

    Não... Não muitos. Tenho poucos amigos na verdade.
    Mas, os poucos que eu tenho, levo para a vida toda.
    E eu sempre participava ativamente da vida dessas pessoas... Acho que isso me deu muita história para contar.

    Por isso mesmo pensei isso... O gato ainda é mais esperto que o dono.

    ResponderExcluir
  18. Ah criança é fixe e uma coisa fofinha mas ao mesmo tempo dá muito que pensar

    Com certeza quando for velhinha vai ser daquele tipo de velhinha que vai ter um monte de história que qualquer pessoa vai gostar de escutar

    rsrsrs afinal gatos são espertos
    Mas não gostei do novo nome que o Toru lhe deu

    ResponderExcluir
  19. Isso mesmo e ainda o Hitaki não estava preparado para dividir o Satomi com uma criança.

    Ah, é... Vou colecionar tantas histórias que vou escrever o meu próprio livro se Rakugo. ^^" (E ainda coloco a estória do Shinigami no repertório, porque essa estória é assustadoramente legal :P)

    Hum... Ainda não cheguei na parte do nome, ou do gato... Mas, já já eu chego! :)

    ResponderExcluir
  20. Eles são muito novos por isso que não conseguem lidar com a situação, eu sei que tem muita menina que com a minha idade já é mãe, mas eu digo e posso mesmo afirmar que não conseguia lidar com um filho

    Nossa mas eu quero ver esse livro depois! ( essa do Shinigami e a que eu mais gosto)

    Então depois quando chegar me diz o que acha desse novo nome

    ResponderExcluir
  21. Sim... É isso que se passa... O Satomi se empenhando de verdade em ser pai, mas acabando de deixar o Hitaki de lado, sem querer...

    Concordo, é uma estória com um efeito e tanto esta do shinigami.
    Eu assisti o penúltimo episódio, o último Rakugo interpretado pelo Sukeroku... Foi tão melancólico... Que eu até estranhei... Nem parecia ele (até parece que desconfiava que ia morrer)

    Ok!

    ResponderExcluir
  22. Eu acho que em muitos casais acaba acontecendo isso o que de certo modo não é bom é como se o outro membro, neste casa o Hitaki perdesse a importância, deve ser assim que ele se sente

    Não... não parecia não, a parte de morrer acho que não adivinhou mas que a esposa regressaria isso sim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mel eu vou ter de sair...
      Beijinhos e até a amanhã <3

      Excluir
  23. É... Gera uma frustração não ter atenção que ele desejava, mesmo que ele tente compreender.

    Também isso... Mas, o Sukeroku andava mesmo mais... Não é bem amargo, mas ele estava desmotivado a valer.
    A Miyokichi era mesmo uma pessoa muito vazia... Viveu através da amargura e morreu através dela também.

    Até amanhã, Rima.
    Desculpe se demorei um pouco a te responder... É que o Luan chegou da escola e não sabia bem o que quera comer... Ficou enrolando em frente a dispensa aberta.

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...