3.5.16

Tulipa Vermelha Capitulo 16 por Rima-san


Capitulo 16
A noite dos pesadelos

         Por ele ficava a noite inteira ali, encarando as estrelas nos braços daquele vampiro que se tinha tornado seu conforto nos últimos tempos a leve arregrem fazia-o arrepiar, ainda assim não o suficiente para ter vontade de ir embora, Mamoru o abraçava tentando ler nas constelações o seu futuro.

_Sei que estás ansioso.. devias ter feito isso logo do inicio._ Kaoru afastou os seus cabelos e deixou á mostra a pele nívea dos pescoço e seu ombro.
_Eu não posso._ Retorquiu fitando-o cheio de desejo._ Hiromi-sama disse que o teu sangue está fraco._ Segurou-o pelo braço tentando controlar o impulso.
_De certeza que ele estava a mentir, não vou ganhar uma anemia por causa de uma mordidinha._ Riu e se virou de frente para ele._ Vai…. Eu sei que queres.._ Insistiu num sussurro bem perto do ouvido de Mamoru, que mesmo tricando o próprio lábio acabou cedendo aos seus impulsos.
Mamoru enterrou suas presas no pescoço fino e logo o sangue verteu, doce e cheio de enigmas por decifrar, conseguia ler um misto de sentimos, felicidade um enorme consolo e um demasiado puro, devia ser amor… e lá no fundo a solidão, o abandono esse sentimento que petrificou Mamoru e que o fez entender que tinha de parar, afastou-se levemente de Kaoru e limpou os vestígios de sangue da sua boca, ele lhe sorria mesmo que lhe doesse o local onde fora mordido, como ele ainda se sentia tão sozinho se Mamoru tinha ficado com ele todos esses dias? Não estaria sendo o suficiente?
_Estás te sentindo bem?_ Mamoru perguntou e Kaoru levou a mão ao pescoço.
_Sim tou, nacho que doeu mais a primeira vez._ Riu, mas assim que encarou sua mão coberta de sangue  seu semblante mudou e ficou pálido._ Tanto sangue…ou…_ antes que terminasse a frase tombou para o lado acabando por perder os sentidos.
_Kaoru!_ Mamoru o abanou mas ele permanecia inanimado._ Kaoru!_ Insistiu a chamar pelo nome dele  mas ele permanecia desmaiado, verificou se o coração batia normal e a respiração estava certa, era apenas um desmaio mas isso era o suficiente para se arrepender de ter cedido aos seus caprichos, dessa vez Hiromi estava certo, se continuasse desse jeito apenas ia fazer sofrer aquele frágil humano, mas o mal não vinha dele, já vinha muito antes de Kaoru ter conhecido Mamoru, apenas a cortina ainda não tinha sido levantada.
Quando Mamoru despertou encontrava-se deitado na sua cama, ficou encarando o teto um tempo pois seus pensamentos estavam demasiado confusos.
_Como estás te sentindo?_ Ouviu aquela voz e então olhou para o seu lado percebendo a companhia de Mamoru.
_ O que se passou mesmo?_ Perguntou sentindo seus olhos doer, sua cabeça parecendo rebentar.
_Desmaiaste, trouxe-te para casa._  Afagou-lhe os cabelos._ Queres alguma coisa?
_Não…_ A verdade é que se sentia muito cansado e tinha vontade de fechar os olhos outra vez._ Carregaste-me esse tempo todo?
_ Ainda consigo contigo._ Riu e os dois ficaram encarando-se.
_Desculpa…_ Pediu baixinho._ Me sinto tão cansado….mas fica aqui… assim._ Puxou-lhe a mão e Mamoru era incapaz de lhe negar.
_Eu fico, então descansa… podes dormir pois quando acordares ainda estarei aqui, vergou-se e beijou-lhe a testa, Kaoru fechou os olhos e não demorou muito a adormecer, pegou no sono pesado e como prometido Mamoru ficou ao seu lado.
A noite já ia alto quando o sono de Kaoru se tornou inquieto, se remexia na cama e Mamoru se dividia em pensamentos, acordá-lo ou deixa-lo daquele jeito que parecia doloroso.
_Otou-san…._ Proferiu ainda dormindo._ Otou-san… não!_ Sem duvida era um pesadelo e Mamoru acabou o abraçado como se o pudesse proteger daquilo que o estava a afligir.
_Estou aqui… já passou…_ Falou baixo tentando-o acalmar e parecia estar a ter sucesso.
_Não vá…_ Uma lágrima rolou por seu rosto e de novo ficou calmo em seu sono, segurando firmemente a mão de Mamoru que não entendia aquele sonho, apenas sabia que o estava fazendo sofrer.
Aconchegou-se junto a ele e passou o resto da noite deitado ao seu lado, divagando sobre o que era ter um pai, nunca soubera o que era ter uma família sempre fora apenas  ele e seu irmão mais velho ,Yusuke  era a única família que tinha e nem mesmo depois de Hiromi aparecer isso mudou.
A única coisa que sabia era que tinha morrido e voltado á vida, uma vida que julgara ser sóbria para toda a eternidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...