22.4.17

Especial Love is Stranger Dois homens e Meio parte 5 por Rima-san


Dois Homens e Meio

Capitulo 5
O fio do destino está coberto de emaranhas

Eu tinha decido, não importasse o que custasse eu seria o amenizador da dores de Masaki.
Mas isso era intensamente difícil e doloroso…
Eu não tinha noção concreta da mágoa em seu coração nem das suas necessidades, eu achei que dar-lhe meu corpo era suficiente, mas o que estávamos fazendo era só sexo, em vez de esquecer a tristeza no seu coração usando a bebida estava usando o sexo e eu deixava afogar-se em mim.

O que de facto mais me magoava era o facto de saber que ele não fazia sexo só comigo, mas sim com outras mulheres e talvez homens, mesmo assim eu tentava pensar que era único para ele, afinal era para minha casa que ele vinha quando estava triste, quando não queria ficar em casa e foi quando seu irmão saiu de casa que ele passou uma temporada na minha casa, eu o conhecia tão bem e ao mesmo tempo não sabia nada.
Só tive a real noção dos factos numa das nossas viagens de trabalho, normalmente nossas reuniões gerais eram eu Tóquio mas naquela época o departamento andava em obras então nossa viagem foi para Kyoto, não fiquemos instalados em nenhum hotel enorme mas sim numa simples pousada tradicional com osen e eu até gostei daquela simplicidade que se tornava tão harmoniosa.
Mas Masaki não pensava do mesmo jeito, a viagem o tinha entusiasmado e se eu queria ficar na pousada com ele, ele não queria.
_Que tal dar-mos uma volta pela cidade, conhecer pessoas novas… vai ser divertido!_ Ele me sugeriu enquanto caminhávamos pela calçada,  a noite tinha caído e eu estava cheio de fome.
_Preferia ir comer a algum restaurante aqui perto e depois descansar, até podíamos aproveitar para experimentar o osen._ Minha sugestão era bem oposta á dele ainda assim esperava que ele aceitasse minha companhia ao invés de algum tipo de diversão mundana.
_Ah…. Podíamos sim jantar mas depois ir beber qualquer coisa, a gente também merece divertir-se!_ Ele tornou a insistir, ele tinha um trajeto teimoso e quando insistia com alguma coisa eu acabava cedendo, mas naquele dia eu realmente estava cansado e só queria um pouco de paz.
_Masaki..  tou cansando, tou com dor de cabeça, não tou afim de ir me divertir… olha._ Eu o toquei pelos ombros e esforcei para sorrir._ Nos podemos vir de viagem para aqui sem ser em trabalho e nos divertir-mos, não precisa ser hoje.
_Não quero essas promessas como se fosse uma criança!_ Ele repeliu o meu toque e eu baixei o meu olhar, fiquei em silencio sem saber o que falar._ Se não queres ir tudo bem, eu vou sozinho!_ E dito isso deu costas para mim, vi ele se afastar a passos rápidos, não entendi aquela reação.
Apenas entendi uma coisa naquela noite, Masaki não era meu, não era de ninguém…
Acabei comendo qualquer refeição rápida e  foi para o meu quarto, tirei os óculos e fechei os olhos, estava tão cansando que acabei caindo num sono profundo e acabei acordando sobressaltado com o meu telemóvel a vibrar sobre a mesinha de cabeceira.
Na hora tive vontade de atirar o aparelho contra a parede, mas não o fiz assim que vi que era o numero de Masaki, pelo contrário atendi imediatamente, já passava três quartos de hora da meia noite.
_ Já estavas a dormir? _ Ele perguntou-me alegre, devia ter bebido demais, foi o que eu pensei.
_Ainda não, queres alguma coisa?_ Estava impaciente, tinha acordado em sobressalto e pouco tinha dormido.
_Quer até queria… podes vir até ao meu quarto?_ E aquele pedido, aquela voz tinha em tudo um jeito para em não lhe negar.
_Eu vou ai ter num estante._ calcei os sapatos que tinha deixado no tapete, agarrei nos óculos e saiu, o quarto dele era próximo ao meu, só tive de andar um pouco pelo corredor e bati na porta, logo eu ma abriu com um sorriso traquina estampado no rosto.
Puxou-me para dentro e batendo a porta, beijou-me com afinco, eu segurei em sua camisa enquanto bebia daquele beijo, daquelas caricias tão despretensiosas que me fazia esquecer de que estava de mau humor e cansado.
_Tenho um brinde para nós dois._ Ele agarrou na minha mãe e foi então que vi uma bela moça deitada sobre a cama com uma Yukata vestida, o tecido caia-lhe pelos ombros e dava para ver os seus seios volumosos, os cabelos negros caia-lhe pelas costas e sorria com os lábios cobertos de batom  vermelho._ Essa é a Narumi, uma amiga minha gueixa, veio-se nos entreter e divertir-se connosco._  Masaki apresentou-a enquanto a rapariga me fitava intensamente com o olhar verde esmeralda tão inesquecível.
_Uma gueixa…_ Eu comentei em desdém, enquanto ela se aproximava dengosa de Masaki envolveu os seus braços em volta do seu pescoço e de facto aquilo me estava a irritar, beijou-o deixando uma marca de batom nos lábios de Masaki.
_Uma gueixa também tem seus próprios entretimentos._ Ela riu e deixou-o aproximando-se de mim, seu nariz roçou em minha face, mas eu estava tenso neguei-lhe o beijo mas ainda assim beijou-me a pele.
_Kyoichi… não precisas de ficar tímido… afinal podemos passar bons momentos juntos._  Masaki ousou tocar o meu rosto, mas eu repeli o gesto com uma estalada, era mesmo o que eu estava percebendo, ele estava sugerindo sexo a três! Quando não precisávamos de uma mulher no nosso meio para nos divertirmos.
_Eu vou embora._ Disse seco e bati a porta com força, se queria fazer sexo, que fizessem sem mim, mesmo que isso me deixasse inteiramente magoado, mas partidas de Masaki andavam a deixar me cansado e casa vez mais me magoava com facilidade.

Um comentário:

  1. Esse Masaki é um safadinho rsrsrs Kyoichi está bem envolvido com ele e tenho quase certeza que a relação vai se estremecer agora :/

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...