22.4.17

O Segundo Anjo - Crônicas de Antuerpéria Parte 3 Chapter 19 por Mel Kiryu


Parte 3 Chapter 19  Certas perguntas, deveriam ficar eternamente sem respostas

        Com a escuridão tomando o aposento, fugaz e meramente agraciado pela luz do luar vermelho alaranjado, Shou despertou de um cochilo junto ao corpo de Etzel.
   Estava aconchegado contra as costas dele, sentindo o cheiro de sua nuca.
   O amor a que se corpos se propuseram havia sido breve, levantou um pouco a cabeça sentindo o cabelo cair por suas costas e na penumbra viu que Etzel dormitava profundamente, tão exausto que nem o mundo dos sonhos ele deveria visitar naquela madrugada.

     Em silêncio, beijou-lhe afetuoso o ombro, cobrindo-o com a capa que costumava usar já que a camisa qe Etzel vestia estava desabotoada.
     A noite seguia destilando frescor.
     Shou se levantou trajando apenas a calça, os pés descalços se revezando no piso frio enquanto caminhava até a única janela e pegava de volta sua blusa antes deixada no parapeito de pedra.
     Sua pele se arrepiava ligeiramente e vestiu apressado a blusa, puxando a maior parte de seu cabelo para fora, antes entre o tecido macio e suas costas.
     Quando olhou vago a noite pela janela, perguntou-se inquieto onde estaria Jang.
    Tudo que via se movendo era uma vintena de pirilampos voando próximos a janela daquele aposento.
     Não sabia quanto tempo havia se passado desde que fizera sexo com Etzel, tão pouco o tempo que cochilara junto dele.
      Por um momento, Shou tornou a se debruçar no parapeito a pensar no centauro Saga e em Illy. Tinha agradecido por tudo que tinham feito por ele, mas não conseguira se despedir.
     Ainda mais por Illy tê-lo abraçado com lágrimas na beira do olhar.
     Perguntava-se distraído se algum dia conseguiria voltar a Holden quando viu num dos telhados do castelo, algo distante da onde estava, alguém sentado nas telhas de cerâmica.
    Podia bem imaginar quem era, por isso mesmo é que não conseguiu ficar parado naquele parapeito a pensar...

                                                  ***********
                  Tinha o cotovelo apoiado sobre um dos joelhos flexionados, o rosto apoiado em uma das mãos, as asas abertas e imóveis. Mais parecendo um ornamento petrificado sobre o telhado do castelo.
     Piscou os olhos, tendo a expressão do rosto séria e imutável e ouviu um som de algo derrapando por um momento, brevemente.
__Cuidado... Algumas telhas estão soltas.__ Jang alertou sem tirar seu olhar frígido da noite, sem ao menos se mover.
     Shou fechou as asas sobre as costas, tentando compensar a falta de jeito ao se colocar ao lado de Jang, seu pé descalço apoiando-se ne beira de uma das telhas que ainda permaneciam firmes no telhado antigo, seus dedos dos pés se dobravam inseguros sobre os vincos da cerâmica.
__Por que não descansa um pouco?
__Não iria conseguir.__ Jang resumiu num tom terrivelmente neutro.__ Mas, essa mesma pergunta também se aplica a você.
__Eu cheguei a dormir junto com Etzel... Mas, acordei sentindo sua falta.
__Etzel foi a primeira pessoa a dormir ao seu lado?
__Foi sim...
__Então, não deveria sentir minha falta.
    Shou mordiscou o próprio lábio, não entendia porque de súbito sentia-se tão imensamente só ou o porque de Jang parecer tão distante, quase ao ponto de repelir qualquer um que se aproximasse sem mesmo se mover.
__Peço desculpas.__ Shou retrucou baixo, fitando-lhe o cabelo vermelho banhado pelo luar, em contrapartida a pele clara em contraste com a escuridão.
__Não diga tolices, Shou.
__Não é tolice.__ Shou afirmou categórico.__ Não sei bem o motivo, mas está zangado... De poucas palavras por fora, mas de mente inquieta por dentro.
     Jang riu ligeiramente em seu íntimo, não era tão fácil assim ignorar o olhar de Shou, seu jeito de menino eternamente aprisionado no corpo de rapaz, suas observações curtas e plenas de sabedoria desajeitada.
    Aliás, ao olhar enfim de soslaio, notou as mãos tensas de Shou se apoiando no telhado, teimando em ficar ao seu lado apesar de sentir-se pouco a vontade ou seguro no alto da antiga construção.            
     E claro que nem de longe Shou percebeu seu riso interior, pois mesmo sendo um riso de dentro era discreto e contido, mas era como uma carícia quentinha do lado de dentro do peito... Que durou pouco, porque a escuridão de antes ainda pairava em Jang, ainda drenanava o calor de sua existência.
__Shou, o que são os anjos?
__Está tentando entender o que você se tornou?
__Só porque tenho asas como você, não pode acreditar que nós dois somos iguais. Minha pergunta é sobre você... Você é assim desde sempre, eu suponho.
__Eu existo há muito tempo, devo ser mais velho do que qualquer ser pertencente a Finis Tempore.__ Shou respondeu, aliviado por Jang olhar dentro de seus olhos, ainda que com certa reserva.__Sou uma criatura espiritual e alguns anjos são mensageiros, outros guerreiros... Eu era um guardião.
__Mas, foi banido... Proibido de retornar a morado dos anjos.__ Jang retrucou um tanto pensativo.__ Nisso nós dois somos parecidos, já que não posso entrar na Aldeia dos Contrários.
__Então... Está procurando nossas semelhanças?__ Shou segurou no braço de Jang, tentando entender.
    Contudo, Jang parecia não ter ouvido a pergunta, estava mergulhado nas próprias divagações.
__Sua existência não tem fim...__ Jang deduziu e sua voz parecia misturar-se ao ruído do vento.__ Me sinto idiota por ter tentado proteger alguém imortal.__ E logo completando quase num sussurro sombrio, um pensamento que parecia desconexo:__ Que não pode ser atingido pela lâmina de um mortal... Naquele dia na oiteira, se Etzel não tivesse me impedido, minha espada não lhe causaria grande dano mesmo que atravessasse seu corpo.  
     Enquanto Jang divagava, Shou enroscou seu braço no dele e por um momento recostou sua cabeça no ombro viril, suas pálpebras a pesar.
__Sua pele está tão fria...__ Shou observou em tom cavo.__ Onde quer chegar com essa conversa?
     Shou também queria dizer que estava cansado, mas não deixou as palavras escaparem.
__Quero saber... Como se mata um anjo.
     Trocaram olhares, Shou engoliu a seco pensando consigo que Jang não tinha desistido de matar Saejin.
   O que lhe remetia a novos questionamentos.
    Jang tinha razão, ambos sobre o telhado de cerâmica tinham asas brancas, mas não eram iguais. O fato de ter sofrido a transformação através do veneno de um anjo caído, não tornava Jang um anjo em sua plenitude.
__Jang, isso não vem ao caso agora... Devíamos descansar para o dia que nos aguarda.
__Não, então façamos de outro jeito.__ Jang rebateu, incisivo.__ Eu te conto algo que não sabia sobre mim e você me dá detalhes sobre matar um anjo.
__Eu sei o suficiente sobre você.
    Shou olhou para as redondezas do castelo abaixo daquele telhado, sua voz soou cansada e evasiva.
__Não, não sabe... Nem a metade.
    Já o falar de Jang era afiado, de corte preciso. Expressando uma raiva e inquietação veladas dosadas em quantidade semelhantes.
__Tanto quanto ignoro suas facetas de anjo.__ Jang prosseguiu.__ Sei somente sobre sua essência, tal como o seu medo infundado de cair do telhado, quando você tem asas para voar... Vem comigo, Shou.
     E Jang se pôs de pé repentino, tão seguro e opostamente a Shou que ficou tenso por não ter mais o braço de Jang para segurar, o corpo dele junto ao seu como um amparo necessário.
     Sabendo disso, o ruivo de asas abertas lhe estendeu a mão.
     Puseram-se de pé sobre o telhado, as asas de Shou também abriram-se suavemente num arco, seus dedos entrelaçados num silêncio que se colocava delicadamente entre eles.
   

3 comentários:

  1. De vez em quando eu me percebo com ciúmes por Jang. -_-
    Acho que esse desejo de eliminar Saejin é muito perigoso... Mas a raiva de Jang é tão grande, acho que pode lhe dar ainda mais coragem. :-\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim? Ciúmes do Jang com o Shou?
      A raiva é benéfica até certo ponto, com toda certeza!
      Mas, o Saejin não pretende facilitar...

      Excluir
    2. Ciúme que Jang pode sentir ao ver Shou e Etzel nesse amor todo. Eu sinto ciúmes por ele xD

      Eu imagino... Saejin é o típico vilão que eu posso até gostar. É sedutor, de certo modo.. E me parece muito poderoso.

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...