15.5.17

Ilegítimos Capítulo 49 por Mel Kiryu


Capítulo 49

       Tive um orgasmo antes que Scarface pudesse terminar.
    Só sei que quando ele derramou seu esperma dentro de mim, eu estava acabado de prazer sobre a bancada da adega. Meus braços estavam caídos e apoiavam minha cabeça que pendia de lado.    
   Era bom sentir o corpo daquele estranho junto ao meu, mesmo depois de gozar ainda aspirou meu cabelo e encheu minha nuca de beijos cheio de preguiça e frescor.

      Quando poucas lágrimas correram da beira do meu olhar eu não sabia dizer o porque.
      Fiquei realmente grato por ele ficar um tempinho calado, desfrutando com seu corpo relaxado junto ao meu.
__Estou morto de cansaço, garoto...__ Ele disse depois de um pequeno momento de silêncio pós sexo.__ Vem cá... Vem dormir comigo.    
__É assim que você pune quem invade sua casa?__ Ironizei de leve enquanto ele segurava minha mão.
__Punir? 'Tá brincando... Eu devia agradecer e mandar flores pr'o Noa depois dessa.
    Scarface podia estar cansado, mas ainda sim beijou as costas da minha mão com o sorriso mais safado que você pode imaginar.
    Ele me puxou pela mão e eu bem sabia que não devia, mas eu também estava tão cansado...
    Que fazia todo sentido do mundo dormir junto de alguém, que eu se quer sabia o nome.

                                                                  ☆~☆~☆~☆~☆~☆~☆~
                   
                     Eu podia me apaixonar por alguém assim.
                 Ter um relacionamento impessoal, não saber nem o nome, mas mesmo assim me apaixonar.
         Eu não precisaria saber a razão dele ter uma cicatriz feia na transversal da face.
        Nem porque ele morava sozinho sendo tão bom de cama.
        Eu poderia amar seus defeitos, sem saber ao certo das suas qualidades.
        Porque, o contrário disso, parecia ser o errado para mim.

        Será que eu poderia mudar tudo que vivi até esse dia?
        Scarface diria que sou louco se eu contasse meus pensamentos enquanto o observava dormir.
        Mas, ele não parecia pertencer a ninguém e eu me sentia tão sozinho que talvez num livro essa loucura pudesse até dar certo.
   
          Hermann Hesse escrevera um livro que tinha o meu nome.
         Só que eu não tinha nenhum atributo do Demian do livro.    
         Eu parecia mais o jovem Emil Sinclair atormentado pela ausência de respostas.

        Se Scarface quisesse, eu fugiria com ele para bem longe daqui.
       Esse foi o último pensamento que tive antes de adormecer ao seu lado.

                                                 ☆~☆~☆~☆~☆~☆~☆~
             Não sei bem.
          Devia ser quatro ou cinco horas da manhã.
        Não tinha clareado ainda.
       Não tive vontade de consultar o relógio e fiquei de mal humor quando me sacudiram de manso pelo ombro, ergui com dificuldade as pálpebras e heis que me deparo com o rosto de Noa, o cabelo solto dele fazendo cócegas em meu rosto.
     Quando reconheci seu rosto na penumbra envolvente do quarto, fixei-me nele estritamente calado, sentindo aquela raiva acabar de me despertar.
     Primeiro, que eu me sentia magoado, não tinha vontade de conversar.
     E em segundo, eu não tinha vontade de sair do lado de Scarface, embora não houvesse qualquer lógica na minha vontade.
     Mas, Noa insistiu falando baixinho no escuro, tirou na marra o braço de Scarface que envolvia minha cintura também demonstrando que estava contrariado.
    Não sei mesmo com o que, se foi ele mesmo que me meteu nessa!
    Eu queria ter deixado um bilhete agradecendo pela noite, me desculpando por ter invadido a casa dele assim, por ter que deixa-lo antes do amanhecer.
     No entanto, não pude.
     Saí do apartamento com Noa, que tornou a trancá-lo já que tinha a chave.
     E parei de andar enquanto ele se dirigia ao elevador, Noa ainda vestia minhas roupas.
     Notando que eu parecia petrificado naquele corredor, Noa também se deteve a olhar para mim.
__Qual é... Eu vim te buscar, não vim?
__Depois de demorar tanto, nem precisava!
__Você nem sabe o que aconteceu, Demian... Pergunte antes de ficar bravo comigo.
__Agora é tarde... Não tenho vontade de conversar com você.
    Eu olhei para trás, para a porta fechada de Scarface.
   Minha vontade era arrancar a chave de Noa e voltar para dentro do apartamento, me aconchegar contra o corpo quente dele mais uma vez.
__E eu achando que você ia querer fugir do dono do apê...__ Noa resmungou, revirando os olhos.
__Se você não fugiu, por que eu fugiria? __Cruzei os braços invocados sobre o peito.__ Aliás, você gostou tanto que tem as chaves do apê dele!
    Noa me olhou de lado, mas depois soltou uma risada que me irritou profundamente.
  E ela ecoou e reverberou naquele corredor vazio e Noa usou a mão para jogar seu cabelo charmosamente para trás.
    Seus olhos arteiros colados em mim.
__Hum... Demian está com ciúmes?
__Noa... Você me deixou para trás dentro do apartamento de um estranho no dia em que me pediu em namoro... E o cara apontou uma arma pra mim, pô!
     Ele veio na minha direção, meus tênis estavam calçados nos pés dele e ouvi o som da sola conforme ele trocava os passos. Eu nunca tinha percebido o barulho que meus tênis faziam quando estavam nos meus pés.
      Noa parou quando não havia mais passos que nos separassem, ergueu a chave do apartamento de Scarface entre nossos rostos.
__E mesmo assim você fez sexo com ele, não foi? Não vem me dizer que não gostou.
    As palavras de Noa soaram duras, o sorriso dele tinha evaporado do rosto.
   Mas... Por que? Eu quase disse "É o amante dele que está me repreendendo agora?"... De súbito, fitando Noa percebi atônito que não era bem o que eu pensava.
    O que tinha no olhar dele...
__Noa... Na verdade... Foi você quem ficou com ciúmes?
    Sua resposta imediata foi dar um peteleco irritante na minha testa.
__Claro que sim, besta... Demian é meu, não é do Hidan... Nem de mais ninguém.
__Você não pode exigir isso de mim... Se você mesmo faz favores sexuais para o dono do apartamento que você possui a chave.
      Quando Noa estreitou o olhar irritadiço em mim, achei que quisesse brigar.
   Ao invés disso, ele me abraçou forte e deitou a cabeça no meu ombro.
      Somente pude fazer o mesmo... entregando um beijo no seu cabelo.

4 comentários:

  1. Noa ciumento é uma gracinha, mas ainda assim tô me perguntando pq ele saiu tão de repente.

    Se esse Scarface aparecer mais, ele pode me conquistar a qualquer momento do conto, eu sinto isso kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, ele ainda vai dizer o porque... Pode deixar. ^^"

      Uahuah! Depois de perceber o potencial do Scarface, até fiquei triste agora por ele ser um personagem secundário. Na época que escrevi Ilegítimos até imaginei alguns detalhes a cerca da vida dele, mas acabei usando na estória Linden Twins.

      Excluir
  2. Oi Mel
    (A melga outra vez...)

    Eu fiquei imaginando o Demian voltar outro dia e deixar o bilhetinho por debaixo da porta do scarface afinal ele nao é assim tao mauzinho
    E agora falta ouvir a historia do Noa....

    ResponderExcluir
  3. Oi, Rima!
    Bem que ele podia ter feito isso... Talvez, bem tivesse feito se eu tivesse escrito a segunda parte. Porque acho que o Scarface seria melhor aproveitado.
    No próximo acho (agora não lembro) que Noa dá seus esclarecimentos. ^^"

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...