28.5.17

O Segundo Anjo - Crônicas de Antuerpéria Chapter 28 por Mel Kiryu


Parte 3 Chapter 28  Anjos apartados

                       "Shou... Aqui devemos nos separar."
         O som da cachoeira abafava totalmente o barulho da chuva, mas não as palavras de Jang.
      E o peso dessa sentença pronunciada pela voz baixa e fria fez Shou emudecer, seus olhos turvaram-se ao passo que fitava-o e a dor inevitável da perda apenas se tornava monstruosamente maior.
__Jang, eu... Eu não posso permitir.
__Eu sou seu inimigo.
    E ao afirma-lo, Jang retirou a mão de Shou de sua pele, baixou a blusa que vestia a cobrir seu corpo e soltou-lhe devagar os dedos.

   Esse gesto dividido em três atos breves criou de imediato uma distância que só haveria de crescer entre os dois.
__Não diga isso! Jang...
__Escute atentamente.__ Jang mandou a se afastar mais um passo.__ Essas flechas disparadas pelo mago surtiram um efeito detestável em mim! Não sei como, Shou... Mas, elas despertaram a magia que existe no meu corpo, só que o problema é que meu algorab ainda está selado e eu não sei como controlar isso...
__Você não entende? É mais um motivo para irmos até Miríades, Jang!
__Só pode estar brincando!__ Jang ralhou a desviar seu olhar com uma pontada violenta de desprezo.__ Os magos também estavam atrás de você! Assim como também me tornei alvo deles, mas ao menos ele pensam que sou um anjo... E é melhor que continuem pensando assim.
    E o semblante de Jang tornou-se mais denso, mais amargamente sombrio.
__Além disso, você não me engana... Etzel é tudo que importa e ele é a única razão para te levar a Miríades!
__Não, não é!__ Shou teve o cuidado de se aproximar apenas um passo, freando brusco seus pés.__ Nem diga que é meu inimigo, não me diga algo assim depois de tudo que passamos juntos.
    Jang tinha o olhar demasiado triste, mas o meio sorriso que se insinuou em seu lábios destoava por completo do sentimento de seu olhar.
__A prova de que sou seu inimigo... É estarmos neste lugar.
__E que lugar é este, Jang?__ Havia assombro até mesmo no jeito de Shou respirar.
__As ruínas de Ankh, domínio de Saejin.
    Shou lançou-lhe um olhar hesitante, duvidoso.
   O que Jang queria insinuar?
   Que o tinha conduzido de propósito até os domínios de Saejin?
   Mesmo se fosse o caso, o Jang que tinha diante de seus olhos estava confuso e ferido por dentro, sendo mais um perigo a si mesmo do que a qualquer um.
    E era por isso que ele precisava se afastar, Shou não poderia crer que Jang fosse realmente seu inimigo.
__Não temos mais os mesmos interesses, Shou.
    E tendo o dito, Jang retirou o alforge preso ao seu ombro por uma alça transversal de couro e o estendeu para Shou:
__Vai ser mesmo tolo em ir na direção de Miríades? Se for o caso, precisará mais disso do que eu.  
__Mas... É seu alforge de caçador.__ Shou replicou, desalentando-se.
__Não tem mais nada que eu queira caçar.__ Jang insistiu e pendurou ele mesmo o alforge no ombro do anjo.__ E ainda tenho minha espada, o fato de voltar a trilhar meu caminho sozinho é somente o retorno a minha sina original.
    Shou segurou contrafeito na alça do alforge e franziu os lábios ao ver Jang passar por ele, no intuito de fazer o caminho de volta a saída dos túneis, de volta a ponte, o temporal, as incessantes quedas d'água em torno das ruínas.  
__Jang... Vamos voltar a nos encontrar? Não me diga que isso é uma despedida!
     "Porque... Porque eu não quero, eu não queria me separar de você... Tal qual Etzel, você é como parte de mim..."__ Eram as palavras que sobrevinham em Shou, era o sentimento mais genuíno que fazia disparar seu coração e fazer fluir a dor sutil que transparecia em seu olhar.
__Você ficou de me contar uma daquelas estórias que leu nos livros da câmara secreta do castelo, não é?__ Jang se distanciou um pouco mais, a fitar Shou por cima de seu ombro, embora suas asas atrapalhassem ligeiramente a visão.__ Guarde a melhor delas para mim, Shou... Promete que vai sobreviver para me contar?
__Prometo...
    Shou sussurrou e censurou a si mesmo, ao pronunciar "prometo" somente reforçava a despedida, concordava com a separação.
    Quando não era nem de longe o que seu coração tristonho desejava, a vontade que pulsava com loucura imersa em seu ser.
__Jang!...
    Ele se virou quando estava prestes a sair, a desaparecer das vistas de Shou. Não contava que o anjo viesse rapidamente em sua direção, que o segurasse com ímpeto pelo colete e seus lábios colidissem num beijo.
    Se tinha dito que era inimigo de Shou, era porque o tinha conduzido até as ruínas de Ankh dominado pela vontade de Saejin.
   Por isso, não havia outro jeito se não a separação.
   Jang temia continuar traindo o amor que sentia e foi com imenso pesar que deixou-se levar por aquele último beijo que tornou recíproco.
   Sentindo a respiração de Shou próxima ao seu rosto, acariciou-lhe os lábios com o indicador destilando vazante ternura.
    "Tenha cuidado... Muito cuidado, Shou."__ Tão somente seu pensamento suplicou.
    Seu último gesto antes de sair... De sumir por tempo indeterminado.
    Shou não conseguiu se mover de imediato, tocou também os lábios pensando um tanto atônito na magia que tinha sentido, a magia exalada pela boca de Jang.
    Pôde ouvir a voz dele dentro de sua cabeça dizendo para ter cuidado.
    A magia que havia despertado nele e Jang não sabia como conter.
    Quando conseguiu sair daquele breve transe, também correu em direção a ponte.
    Ergueu o rosto sentindo a chuva fria cair contínua na tez.
    Jang não estava mais ao alcance de seu olhar.
    E o som transbordante das cachoeiras era tudo que invadia seus sentidos.
      Estava sozinho.
     E perdido.
     Não sabia, não fazia a menor ideia onde ficava Miríades.
     Como antes tinha se deixado guiar por Jang, também ignorava como chegara nas ruínas de Ankh.
     Tudo que tinha eram duas mudas de roupa, um punhal, a espada que carregava na bainha junto ao seu corpo, o alforge deixado por Jang e o manto que trajava com capuz.
     Shou saiu da chuva e voltou para dentro do emaranhado de túneis e corredores, andou durante algum tempo.
    "Preciso descansar, esperar a chuva estiar para conseguir me orientar e pensar com alguma clareza..."__ Os sons das imensas cachoeiras o atordoavam, por isso andou e andou, distanciando-se entre uma câmera e outra, até que os barulhos das águas se tornassem mais distantes.
     A medida que caminhava e parecia se perder de seu intento ainda mais, era dominado por uma tristeza crescente que desaguava nele com o mesmo ímpeto das águas que buscava ignorar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...