25.6.17

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 53 Por Mel Kiryu


Capítulo 53   A despedida de nós dois

         Na parte da noite em que ficara ouvindo os recados na secretária eletrônica de seu irmão, dentre vários, ouvira um recado de Syaoran.
     
         "Huang, se você estiver aí... Por favor, atenda! Aqui é o Syaoran... Não entendo por que você sumiu há dois dias, os caras da banda também querem saber onde você está. Sinto muito a sua falta, muito mesmo... Eu te amo... Preciso de qualquer notícia sua." ♪


        Três semanas sem Huang se passaram desde então.
      A voz da gravação era tão apaixonada, que Jiang não tinha dúvidas.
      O amor que Syaoran sentia por Huang podia ter enfraquecido com a ausência sem explicação de seu irmão, mas jamais desaparecer por completo.
     E com o retorno de Huang, esse amor antes adormecido pela ausência, retomava com a força de ondas bravias investindo contra a arrebentação.
      E esse amor em forma de ressaca marítima furiosa não encontraria seu fim tão facilmente.
      Havia os sentimentos, os vários e inúmeros sentimentos difusos de Syaoran.
      Havia também uma sincera carta de amor de um propenso suicida.
      Jiang estava derrotado, não podia competir com amor.
      Era uma verdade incontestável que gostasse de ter Syaoran ao seu lado, tudo era tão simples. Ele parecia um garoto bobo ligeiramente crescido.
       E ao tentar ser franco consigo mesmo, tinha que admitir que o que sentia por ele não passava muito de uma forte atração sexual.
     Uma atração sexual revestida de tremenda ternura, mas a devoção de Syaoran que por algumas semanas foi sua, apontava sem mais para outra direção.
     Claro que estava atento enquanto ele comia os sanduíches, ao modo como sua mão morna e amiga segurava a agenda de Huang em seu colo.
      A determinação contida no gesto, revelando de maneira sutil que Syaoran não queria mais se separar do dono daquela agenda de capa dura.
      As observações de Jiang a cerca daquele pequeno instante nunca estiveram tão nuas.
      Talvez por isso, se sentisse sozinho de uma maneira tão real.
      Um vazio brutal se apossava de seu espírito e por isso, observou Syaoran comer, sem pronunciar-se por um bom tempo dentro daquela noite.
__Ei...__ Syaoran retorquiu de boca cheia.__ Você não vai comer?
__Não... Pode se servir do restante.
    Era uma reposta tão simples, mas a voz de Jiang tremeu e seu rosto se franziu. Não soube o que fazer com seus olhos a se turvarem, que vergonha horrível sentia ao chorar...
    Syaoran engoliu o que estava mal mastigado, agitando-se ao perceber a dor estampada no semblante de Jiang.
    De pronto sentiu o dedo de Syaoran na beira de seu olhar e sentiu o cheiro do patê de presunto na pele, o mesmo patê que recheava os sanduíches.
__Ah... Não fica assim, Jiang.
__Não é nada demais...__ Jiang fungou, fazendo pouco das próprias lágrimas.__ Foi bom ter você por perto enquanto durou... Nós dois nos enganamos um bocado.
__Não fique bravo comigo, viu?__ Syaoran disse de manso.__ Esse é o momento em que Huang mais precisa de mim... Quero ficar ao lado dele, mesmo que venha a me desprezar.
__Compreendo... Mas, a noite nem terminou e já sinto que te perdi... Tinha esquecido como era se sentir só.
__Jiang... Você não precisa ficar sozinho.
     O tom de Syaoran era mavioso e complacente, abocanhando o resto de um sanduíche com um sorriso moleque dentre os lábios.
     Jiang podia traduzir a mensagem por tras daquele sorriso, insuflando como num assopro o nome de Luciel.
__Muito espertinho... Sei bem o que está querendo insinuar com esse teu sorriso besta.__ Jiang alfinetou, portando metade de um sorriso irônico.__ Mas, algo me diz que não há chance de Luciel me perdoar.
    Syaoran enfiou a mão no pacote de papel e descobriu que só haviam farelos em seu fundo, tinha devorado há pouco o último sanduíche. Por isso, ele riu baixinho e lambeu o dedo feito um gato vadio.
__Olha, eu também sou culpado...__ Syaoran refletiu.__ No fundo... Acho que nem tão no fundo, eu sempre tive ciúmes da sua relação com o Luciel. Eu adorava implicar com ele... Era fácil deixa-lo bravo, sabe? Porque desde o início o único ponto fraco dele era você, Jiang.
     Jiang se espreguiçou recostar-se contra a parede, olhando para um canto qualquer, porque seu olhar assumira a expressão típica de quem estava recolhido nos próprios pensamentos.
__Se as coisas eram assim, já não sei...__ Jiang fechou os olhos por um momento, tão cansado.__ Eu só sei que atualmente eu sou a última pessoa com quem o Luciel gostaria de encontrar... E eu não posso censura-lo, pedir para você ficar comigo... Contradisse tudo o que declarei para ele, fez parecer que eu estava mentindo.
    Syaoran passou o braço em seu ombro, encostando de leve sua cabeça contra a de Jiang:
__E você estava mentindo?  
__Eu sou um idiota, Syaoran... Ter você para mim, era como ter algo do meu irmão.__ Jiang replicou pesaroso.__ Parecia tão simples... Você gostava de mim porque via o Huang, nós estávamos sob o mesmo teto, nossas escovas de dentes estavam uma ao lado da outra... Era o caminho mais fácil, ou parecia ser.
__Eu tive essa mesma ilusão... Mas, esse nunca foi o caminho mais fácil.__ Syaoran disse num cochicho beijando o rosto de Jiang.__ Promete para mim, Jiang... Que você não vai desistir do Luciel.  
__Mas...__ A voz de Jiang saiu um tanto sufocada.__ E se ele é quem tiver desistido de mim?
__Se ele tivesse desistido... Pode ter certeza que ele não teria se afastado.
    Ouviu as palavras de Syaoran e não reconhecia razão nelas, não conseguia acreditar.
   Jiang estava tão exausto, tão arrependido, tão consumido pelos fatos e reencontros desastrosos daquele dia. Que de súbito, ergueu-se a amassar na mão a sacola de papel vazia cheirando a presunto.
       Fazendo menção de se retirar do cômodo.
__Aonde pensa que vai?__ Syaoran também deixou o baú onde estava sentado.
__Dormir.__ Jiang deu de ombros.__ Estou cansado de tanto pensar...
    "E dormir sem dúvida é o melhor jeito de esquecer..."__ Seu pensar completou.
__Ei! Não dormir naquelas almofadas da sala! Só se quiser acordar com a coluna torta, cara... E além disso...
    Syaoran riu baixinho lançando um olhar sugestivo ao sofá cama.
__ Melhor não, Syaoran...__ Jiang censurou.
__Relaxa, cara... Poxa, a gente só vai dormir.
__Você presenciou a reação do Huang quando nos viu.
     Jiang disse, quase a passar pela porta e sua voz triste completou:
__É melhor que essa noite... Seja como uma despedida para nós dois.
     Syaoran ainda ficou um tempo inerte e quando Jiang se retirou, ficou um tempo a vislumbrar a porta do quarto entreaberta e a escuridão soturna do estreito corredor.

4 comentários:

  1. Poxa :/ A conversa foi meiga, mas ao mesmo tempo tão dolorosa... Eu pensei que Jiang ficaria pra dormir, mas depois pensei que seria ainda mais triste pra ele.. E poderia não resistir estar tão perto de Syaoran.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o Jiang não ia resistir mesmo... Já é difícil dormindo sozinho na sala, imagine a dificuldade de dormir junto dele e acordar bem coladinho com ele para ter que dizer adeus logo depois?...
      Esse reinício para o Jiang não vai ser nada fácil.

      Excluir
  2. Olha eu fiquei imaginando o Sayoran em criança com o olhar vago e perdido talvez procurando alguém dai tanta carencia...
    Mas neste momento quem esta mais carente é o Jiang que já esta pensando na sua vida solitária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até que acho o Syaoran bem resolvido, em vista desse detalhe do passado. Mas, ele é carente sim.
      O problema não é bem a vida solitária, é ficar sem o Syaoran...

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...