6.8.17

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 65 por Mel Kiryu


Capítulo 65

      Mesmo o movimento do botão se desprendendo da casa, do zíper descendo aumentavam a expectativa e a sensualidade do momento para Jiang.
   Ainda estava de pé quando abriu-lhe a calça e antes de tocar a ereção que buscava, sentiu a umidade quente no tecido da cueca cor de vinho. Espalmou sua mão entre a calça e aquele volume inquieto numa carícia provocante e ouviu Luciel gemer baixo, entre dentes.
    Jiang estava plenamente tomado pelo desejo que sentia e não hesitou nem por um segundo.
    Agachou-se e fitou Luciel, tendo um olhar nitidamente atentado e vadio.

    Evidente que Luciel compreendeu no ato o que viria a seguir, entre abriu os lábios sentindo a garganta quente e valsou na parte inferior a ponta da língua. Quase disse alguma coisa, mas relutou. Detestava a ideia de sentir-se como um adolescente virgem nas mão de uma mulher mais velha e experiente.
    A cueca desceu e a calça jeans escorregou por seus quadris e Jiang tomou aquele falo para si.
    Não havia o menor resquício de pudor em seu gestual.
    Essa imensa naturalidade diante do pênis de outro homem, desconcertava, irritava e excitava Luciel no mesmo segundo.
   Não, Jiang não era mais velho, tão pouco uma mulher.
   Contudo, era inegável que tivesse mais experiência em se relacionar com outro homem.
    Luciel considerava o fato uma desvantagem, mas o fato logo perdeu a importância. Segurou de leve na cabeça de Jiang e seus dedos se pressionaram contra o couro cabeludo quente ao passo que Jiang primeiro agraciou o falo com as mãos e usou os lábios e a língua logo depois.
    Que se lembrasse, exceto por Shiho, nunca outra garota o chupara com tanta vontade.
    Luciel foi invadido por um prazer que o descontrolava, nem sabia bem o que levava seus dedos a soltar-lhe o cabelo de Jiang que ele mesmo tinha prendido com a liga elástica durante a conversa que tiveram minutos antes.
    O cabelo alaranjado de Jiang caiu-lhe pelas costas e o rosto dele se revelado rubro e adorável enquanto tinha os lábios subindo e descendo por seu pênis.
    As mãos de Jiang se seguraram em seus quadris e apenas os lábios dele passaram a deslizar fenéticos, famintos pelo ápice e por seus gemidos desnorteados.
    Jiang estava tão excitado, que pensou que fosse gozar junto com Luciel. Sua ereção martelava incessante o interior do jeans que vestia, até que em um dado instante, aquele esperma morno esguichou em seu rosto.
    Esbranquiçado, acre e abundante.
    Foi como escalar o corpo de Luciel para voltar a encarar de frente os olhos dele cheios de um frenesi que aos poucos começava a se dispersar como uma névoa gentil que se dissolve com o calor do sol ao amanhecer.
    Jiang passou o dedo nos filetes de esperma derramados em seu rosto e lambeu, um sorriu para o outro e Luciel num movimento quase felino também quis provar de seu próprio gozo.
    Envolveu o seu indicador naquele filete esbranquiçado e enfiou todo o dedo na boca sem desviar seus olhos devassos da face de Jiang.
   O sorriso que trocaram, foi a ponte para um novo beijo e por causa da paixão sedenta, no modo como seus dentes bateram um no outro, percebeu que Jiang ainda estava profundamente preso ao próprio tesão.
   Ao ápice que seu corpo não conseguira alcançar.
   Ainda sim, Luciel revelou-se algo surpreso quando Jiang guiou sua mão até o volume pulsante dentro de sua calça. Suas bocas se apartaram do beijo que fazia seus lábios formigarem e parecia haver uma confusa interrogação na iris de Luciel.
__Ei, mano... Não sei se consigo fazer o que você quer...
__Mas... Eu quero ser tocado por você, Lu.
    Jiang pediu num cochicho safado e meigo, estalando pequenos beijos macios em seu pescoço.
   "Tudo bem", Luciel pensou.
    Claro que podia ir adiante, era só sentir aqueles beijos desferidos na pela fina de seu pescoço. Quase que podia sentir a própria excitação ressurgir, deslizou a valer sua mão para dentro da calça concentrado no olhar faceiro de Jiang que apertou seus lábios num selinho demorado, a sentir a mão de Luciel tocar e quase recuar... Depois trazer para fora seu membro inteiramente teso.
    Os beijos entre suas bocas recomeçaram enquanto a mão de Luciel trabalhava ardorosa pela extensão pulsante que era sua ereção. Tudo, simplesmente tudo acrescentava ao prazer de Jiang, desde os menores toques, o barulhinho de sucção dos beijos até os gemidos baixos que se intensificavam e escapavam com doidice.
__Hum... Assim 'tá bom?__ Luciel sussurrou, sem cessar a masturbação.
__U-hum... Vai... Faz um pouco mais rápido...
__Não quero te machucar...
    Jiang riu a segurar-lhe nos cabelos e a ternura que a voz baixa e protetora de Luciel lhe causava se mesclava largamente a excitação fazendo cada poro de seu corpo explodir feito uma mina terrestre.
__Nada disso... Eu amo sentir essas suas mãos...
__Não fala assim...
    O sussurro de Luciel soava quase tímido, colocou ainda mais empenho e carinho no toque, também surpreendido pelo prazer que algo tão bobo quanto uma masturbação poderia lhe causar... E nem era seu próprio pênis que tocava.
    Pouco depois, Jiang segurou-se forte em seu corpo e esporrou em sua mão e outro bom bocado no chão.
__Satisfeito?__ Luciel sorriu a estalar um pequeno selinho em seus lábios demasiado úmidos pela sensação eminente do orgasmo.
__Eu falei sério, Lu...
    E as palavras de Jiang soando tão cúmplices, levemente febril.
__Sobre o que?...__ Luciel inqueriu tendo Jiang a abraça-lo pelos ombros.
__Amo sentir suas mãos... Amo tudo que há você.
__Uma vez...__ Luciel redarguiu com uma seriedade reflexiva.__ A Shiho disse que somos amigos há tanto tempo... Que não seria estranho se já amássemos um ao outro.
__E não é que aquela guria danada sabe das coisas?
    O riso de Jiang parecia uma doce brincadeira.
__Bom... Quer conhecer meu novo apartamento? Ainda não terminei de tirar a mudança das caixas, mas... É um apê legal.
__Eu sujei seu chão de sexo... Não é melhor a gente limpar?
__Pra que a pressa?__ Luciel riu maroto, segurando Jiang pela mão.__ Eu estava pensando em sujar assim os outros cômodos também.
    A réplica do sorriso de seus lábios, também se refletiu em seu olhar e essa foi sua resposta ao comentário quente e sugestivo de Luciel.
__Chega mais, mano.
    Antes de puxar Jiang para os outros cômodos, Luciel estalou um beijo nas costas de sua mão.

4 comentários:

  1. oi Mel o capitulo esta lindo, desculpe por nao ta comentando e porque eu nao tava mim sentindo bem. mas estou acompanhado as historia brigada pelas historias maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dineia. Tranquilo! Espero que esteja se sentindo melhor, aliás.
      Eu que agradeço por seu comentário. :)

      Excluir
  2. Meu pai Odin, meninos.. Assim vcs me matam! Tô adorando esses dois, quero mais hahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :) Seu desejo será atendido, no próximo tem mais Jiang e Luciel ^^"

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...